Igreja Batista Getsemâni

PSD pode declarar apoio a Taques em convenção

"Membros estão livres para articular candidatos", é o que garante Fabris

Larissa Malheiros
Redação

Mesmo fora dos holofotes da mídia nos últimos meses, o Partido Social Democrático (PSD), ainda segue no impasse de quem apoiar nas próximas eleições. A sigla se encontra dividida e deve tomar a decisão durante as convenções que ocorre em julho.

Em contrapartida, segue com o discurso de que os membros partidários tem a autonomia de conversar com todos candidatos, e levantar a bandeira de defesa de cada um durante as convenções.

Segundo o deputado estadual, Gilmar Fabris o que foi combinado será mantido, e cada membro tem a liberdade de buscar o projeto que achar mais viável Mato Grosso.

“O que nós falamos na primeira vez eu repito, o PSD está liberado. Como o presidente (Fávaro) disse vamos conversar com todos os partidos, então tem aqueles que devem ficar com o atual governo, aqueles que querem ficar com o Wellington (senador) e assim vamos decidir lá na frente”, comentou.

Porém, Fabris que desde o começo defendeu a união com o governador Pedro Taques (PSDB), reafirmou seu desejo, mas disse que o tucano já mostrou que vai para reeleição e não existe outros candidatos oficializados, por isso é quase impossível traçar outro diálogo sem conhecer os demais e suas propostas.

“Eu defendo ficar com o doutor Pedro que já está lá, e depois eu queria conhecer os outros governadores. Pois pela primeira vez na minha vida está faltando menos de 4 meses e não vi ninguém ainda, eu quero saber, quero conhecer. Como faltando 4 meses embolado com a Copa do Mundo não tem um grupo que é candidato, um grupo formado para enfrentar, não tem um grupo de partidos para enfrentar. Quem o DEM tem? Não sei. Quem o Wellington tem? Não sei”, completou.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: http://www.muvucapopular.com.br