EM DEFESA DA SOCIEDADE

ALMT - Hanseniase - Topo

Novos governos, esperança de novos rumos...

Artigos

176 acessos


DIRCEU CARDOSO GONÇALVES

Os discursos proferidos pela maioria dos prefeitos – os que saíram e os que entraram – sugerem um quadro diferente daquele que nos foi pintado durante a campanha eleitoral e definiram nosso voto. Os que saíram falaram bem de seus governos e os que entraram não os contestaram. Mas a maioria dos novos prefeitos anunciou corte de secretarias e diretorias e de cargos comissionados, além de defender um novo estilo de administração. Tudo hipocrisia ditada pelo protocolo, já que na maior parte, quem assume é adversário do que quem sai e ganhou a eleição apontando seus erros. É o comportamento que o povo reprova. 

De nada adianta o prefeito cessante dizer que deixou os cofres da Prefeitura em equilíbrio, se não consertou os buracos das vias públicas, praças ou executou serviços de sua responsabilidade. Também soa falso, o novo prefeito exaltar a obra do antecessor se, para ganhar a eleição, criticou ferozmente. Mas tudo isso é página virada. Agora o que a população espera ação e providências. 

Não basta os novos prefeitos anunciarem o corte de secretarias e de cargos comissionados. Isso é importante, mas constitui apenas uma parte do problema. É preciso tirar o serviço público do marasmo, chamando cada profissional à sua responsabilidade de ofício e promover a modernização dos processos de trabalho, para garantir que as ações ocorram dentro do prazo certo, por preço justo e, principalmente, sem os costumeiros aditamentos de contrato e reajuste de preços. A máquina pública tem de ser azeitada de forma a cumprir sua tarefa como se fosse uma empresa particular, onde o dirigente ou proprietário, para evitar a derrocada, reputa bem cada centavo empregado e exige que dele se obtenha a justa produção. 

Prefeitos e vereadores empossados a 1º de janeiro têm o compromisso de governar suas cidades e oferecer ao eleitor aquilo que a ele prometeu quando conquistou o seu voto. O prefeito é o encarregado da gestão, o comandante que terá de decidir as providências e serviços. Os vereadores são os encarregados de, como representantes do povo, discutir e votar as leis e fiscalizar as ações do Poder Executivo. É importante que vivam em harmonia, sem compadrio, e tenham sempre como foco o desenvolvimento do município e o bem-estar a população. É preciso acabar com o nefasto procedimento onde os prefeitos “compram” os votos dos vereadores através de cargos e benesses, e os vereadores, tornados participantes do governo por interesses ou até escusos, perdem a independência e negligenciam na tarefa de fiscalizar... 

* DIRCEU CARDOSO GONÇALVES - dirigente da Aspomil (Associação de Assistência Social dos Policiais Militares de São Paulo) 

aspomilpm@terra.com.br 

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG