EM DEFESA DA SOCIEDADE

Prefeitura conciliação outubro

Prefeitura proíbe mesas e cadeiras nas ruas da praça da Mandioca

Filho de ex-prefeito de Cuiabá organizou abaixo-assinado que culminou na proibição.

Cidades

Redação 2040 acessos 6

Prefeitura proíbe mesas e cadeiras nas ruas da praça da Mandioca

A Prefeitura de Cuiabá notificou os comerciantes da região da Praça da Mandioca, no Centro Histórico, proibindo-os de colocar mesas e cadeiras na rua. A solicitação da notificação veio do Ministério Público Estadual.

Após um abaixo-assinado ter sido enviado ao orgão, e diversas queixas dos moradores da região, que reclamam do barulho durante a madrugada, do cheiro de urina, do uso de drogas e do número de assaltos que, segundo eles, cresceu após a abertura de novos bares e a "popularização" da praça. 

O engenheiro agrônomo Ricardo Arruda, filho do ex-prefeito de Cuiabá Helio Palma de Arruda, é o organizador do abaixo-assinado.
 
Arruda não tem casa na praça, mas diz que visita sempre a filha, que mora na região. O agronônomo colheu 32 assinaturas de moradores que, segundo ele, estariam insatisfeitos com a suposta falta de regulamentação dos bares.
 
“Diversas famílias estão sendo prejudicadas largamente, porque de seis meses para cá houve um desordenamento total da ocupação disso aqui”, afirmou o engenheiro.

Mario Sérgio Carvalho, proprietário do Bar Azambuja, que funciona há cerca de 10 anos na praça, apesar de alegar que o movimento do bar diminuiu cerca de 70% após a notificação da Prefeitura, pensa da mesma forma que o organizador do abaixo-assinado.

Segundo o  Major Noelson Carlos Silva Dias, secretário adjunto da Secretaria de Ordem Pública (Sorp) afirmou à reportagem que, no ano passado, foi organizada uma reunião com a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) , Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, com o Instituto do Patrimônio Histórico e Arstístico Nacional (Iphan) ,Polícia Militar e comerciantes para debater sobre o funcionamento da praça.
 
A notificação, segundo eles, foi dada na gestão passada, no entanto, não há que se falar em "posicionamento de gestão", já que a notificação foi pautada pela lei 389, que dispõe sobre a ocupação do solo no município e determina que as ruas e calçadas tenham, ao menos, um metro e meio para a passagem de pedestres.
 
Ainda, junto ao Ministério Público, estão sendo realizadas operações para fiscalizar a suposta "baderna" na região.

O que dizem sobre isso?

  1. Muito bem prefeito. Que os estabelecimentos hajam conforme a lei e não prejudiquem o bem-estar e a segurança dos moradores da regiao!

  2. Se não prejudica nos moradores,nao vejo problema,porem,colocam mesas nas calçadas,em tda praça é em parte das ruas,deixando um espaço mínimo de um carro se espremendo pra passar....e nós pedestres? Tem q andar com criança no meio da rua e os carros nao respeitam,temos q fazer malabarismo entre carros p andar na rua de nossas casas. Os bares da praça os mais antigos eles acham q são donos da praça até dividem em 3 partes pq são 3 bares mais antigos p cada um usar sua parte,esquecendo de nós pedestres,idosos e criancas q aqui vivem. Então se for o continuar assim que fechem tds mesmo. Assino e assino outra vez e qntas vezes for reciso. Ou melhores ou fechem

  3. Não somos contra nenhuma fiscalização..os Comerciantes precisam seguir as Leis em todos os sentidos. Ninguém está acima das Leis. Me refiro, a forma que estão fazendo. Levando Polícia, como se os frequentadores da mandioca fossem Bandidos etc.etc. Se tem Comerciante que está irregular perante a Prefeitura que seja notificado , multado e outras atitudes. Mas não precisa expor a Mandioca de Forma negativa. As Casas da Mandioca , não possuem estrutura interna ( espaço físico ) para acomodar Clientes. Sempre foi feito parte Externa. Tem essa Tradição. Esse Costume. E nunca ninguém foi prejudicado por isso. Pois, durante o Dia, a Praça sempre foi Livre, mesmo quando tinha a Feirinha, nunca incomodou ninguém. A Prefeitura, precisa entender que Aquela Praça é do Povo, e Povo deve decidir o que fazer com ela. Agora se o Povo, achar que ali não deve colocar nenhuma mesa e Cadeira ( A Noite ) , que seja feito a vontade. Mas, contrariar a Vontade Popular , não é um ato inteligente. Principalmente, onde não se prejudica ninguém. Agora, Os Comerciantes precisam ter cuidado quanto a Legislação, precisam ser Profissionais também. A Mandioca não suporta Eventos de Grande Porte. ( Tipo Carnaval ÚNICO na Cidade ) extrapola os Limites Físicos do Local. Gera incômodo aos moradores. Sujeiras nas portas das Casas, Pessoas com atos libidinosos dentro dos Carros, enfim, tudo isso precisa ser corrigido. Ter Banheiros Químicos ou Construídos nos Espaços Vazios geridos pela Associação Comercial e de Moradores. Tornar aquele espaço mais profissional. Todos ganharão com isso ! A Cidade, Os Comerciantes e os Usuários ! Agora, percebo que, há um pensamento de levar o Povo para a ORLA DO PORTO E A LAGOA ( Próximo Assembléia ). Criando dificuldades na Mandioca, para que esse Público mude de lugar. ERRO GRAVE PENSAR ASSIM ! Ninguém vai Migrar !

  4. PRAÇA DA MANDIOCA !!!! REGULARIZAÇÃO OU PERSEGUIÇÃO???????? Senhor Prefeito Eleito, Emanuel Pinheiro, acho bom o senhor dar uma olhada neste assunto com carinho e já! Óntem (05.01 ) estive na Mandioca a Noite... e percebi uma operação de fiscalização e Polícia. Perguntei aos Fiscais, se os mesmos faziam aquela operação na Praça Popular...Getúlio Vargas, etc..... um deles, um idiota..disse que não devia satisfação. Disse a ele..o senhor deve sim. O Senhor é um agente Público. Bares na Getúlio tomam toda a Calçada e Ninguém fala nada. Praça Popular pior ainda... Na Mandioca, agora querendo colocar a lei para funcionar??????Antes disso, cuidarem do Patrimônio Histórico. Darem infra estrutura para os Comerciantes e Usuários. Estamos preparando um texto para este assunto. Comerciantes precisam seguir a Lei, tudo bem. Mas, sem querer destruir a mandioca em benefício da Orla e Lagoa. Todos esses espaços merecem atenção da Prefeitura, mas não precisa matar um, para dar vida a outro. A População Cuiabana não aceita e vai reagir ! Aguardem ! OBS: Regras precisam ser seguidas e concordamos. Mas, para todos. Ricos e Pobres !

  5. Sou moradora ha 30 anos próximo á praça da mandioca,com o movimento e a fama chegando em nosso centro que nunca teve nada,nós não temos o que reclamar,porém ao abrir tantos bares e investirem em shows,esqueceram da segurança,pois a s ruas estão cheias de noiados fumando em nossas frentes,não podemos sair de casa com nossos filhos para andar de bicicleta,não podemos mais sentar na porta de casa e em qualquer horário,o roubo tornou-se diário.os carros param nas portas de nossas casas sem respeito,precisamos chamar varias vezes no microfone e muitas vezes chamar a policia,pois nao conseguimos entrar em nossas casas. Outro dia eu gravida de 9 meses ja cheguei em casa as 19:00 e meu portao ja estava trancado com carro,fomos por 4 vezes anunciar na praça e nada,chamamos a policia que tbm nao conseguiu localizar o dono,por fim chamamos o guincho,fui entrar em casa ja ia ser 23:00 cansadas com pés inchados e minha filha de 6 anos com fome e sono,isso nao foi so uma vez e nem so comigo,falta de respeito muito grande. Ou seja,isso tdo so prejudicou nós moradores que nem podemos entrar ou sair de casa qnd queremos,pq eles fecham as ruas com mesas.

  6. A elite cheirosa do Centro histórico. Ai sim, o MP atua rapidamente. É mais fácil e rápido, né? Ou seja, quebrou o dedo, vamos amputar a mão. Pronto!!!! resolvido...A situação vulneráveis dos dependentes químicos não é papel do estado e do município? os gestores não teriam que ser responsabilizados? Cadê uma casa de atendimento ao dependentes químicos no centro histórico, com assistente social, psicologo, médicos, enfim.... O cidadão fica confuso com a atuação dos três poderes porque sempre sobra para o cidadão, aqui no caso, para os comerciantes e os cidadãos cuiabanos que frequentam esse belo espaço cultural.

Comente, sua opinião é Importante!

Pontuando rodapé