EM DEFESA DA SOCIEDADE

Prefeitura conciliação outubro

Taques manteve todas as empresas delatadas do MT Integrado e não mostrou auditoria

Governo trocou nome do programa para Pró-Estradas e pagou R$ 1,4 bi no dois primeiros anos de gestão

Denuncia

Redação 1763 acessos 6

Taques manteve todas as empresas delatadas do MT Integrado e não mostrou auditoria
MUVUCA POPULAR

Embora o MT Integrado estivesse sob suspeita desde o final do governo Silval Barbosa, e Pedro Taques determinasse uma auditoria no programa, a nova gestão retomou as obras, mudando apenas o nome, chamando de Pró-estradas. Taques manteve rigorosamente todos os contratos, estes agora estão na delação do próprio Silval, e Taques nunca mostrou o resultado da tal auditoria.

O mesmo aconteceu com o VLT, que também figura em todas as delações, e o governo Taques vem travando um ‘vai-não-vai’ com o consórcio VLT Santa Bárbara, e já falou em concluir, mesmo com a comprovação de fraudes, propinas e roubo.

A propósito, nos dois primeiros anos do governo Taques, foram pagos no Pró-estradas a vultuosa quantia de R$ 1,475 bilhões de reais a empreiteiras, sendo R$ 823,2 milhões em 2015 e R$ 651,9 milhões em 2016.

O Valor daria para construir mais um VLT no estado (R$ 1,447 bi), ou pago o que está faltando para concluir o que foi começado (R$ 600 milhões segundo a consultoria KPMG) e ainda sobraria dinheiro para pagar todo o RGA do funcionalismo (R$ 600 milhões) com sobra de R$ 275 milhões para investir na saúde, por exemplo.

De acordo com o Fiplan, a empreiteira que mais faturou na Gestão Taques, até o segundo ano do governo, foi a Guaxe e Encomind, investigadas pela Polícia Federal, ambas receberam R$ 233 milhões entre 2015 e 2016. A Encomind é a responsável pela recuperação da estrada entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães que, quase 3 anos de governo Taques, não foi concluída.

Sílvio Correa, ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa, conta que R$ 800 mil em cheques da Três Irmãos foram entregues para pagar retratação de Éder, mas voltaram. A empresa pertence ao ex-deputado Carlos Avalone, que embolsou do governo Taques R$ 79 milhões nos dois primeiros anos da gestão.

Várias das empreiteiras que lucram no atual governo foram doadoras para a campanha eleitoral do governador Pedro Taques. Curiosamente, o governo não mostrou o resultado da tal auditoria no MT Integrado, e manteve as 17 maiores empreiteiras e 15 lotes de licitação. A questão já levantada pelo MPopular em outras publicações, mas em nenhum momento houve manifestação de qualquer órgão fiscalizatório, MP, PF, TCE e demais.
 

O que dizem sobre isso?

  1. Caros, matéria no minimo tendencioso gastou 1.2 Bilhão ta mas as estradas foram feitas e ainda estão sendo feitas , poderia aplicar esse dinheiro em outro lugar até poderia mas já não agradaria os caminhoneiros que sofrem com estradas ruins e nos mesmo que vamos a chapada exemplo. Não da para agradar a todos, se faz de um lado reclama se faz do outro reclama também. Agora se teve propina ai sim deve meter o pau mesmo ... ai sim dinheiro que poderia se fazer outras coisas.

  2. CORRETISSIMO Pedrinho! Não se pode criminalizar as Empresas, que sejam investigados e punidos seus diretores.. proprietarios.... Os contratos devem ser mantidos, muitas familias dependem de seus parcos salários! SEUS BANDOS DE ABUTRES!!!

  3. Jutem as peças! http://www.olhardireto.com.br/juridico/noticias/exibir.asp?id=36633¬icia=servidores-e-diretores-da-petrobras-se-uniram-a-silval-para-desviar-dinheiro-de-mato-grosso

  4. Isso nao é novidade para ninguém.

  5. Isso não poderia acontecer. Auditoria já!

  6. Só mudou a coleira, porque os cachorros são os mesmos....

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG