EM DEFESA DA SOCIEDADE

ALMT - Hanseniase - Topo

Mato Grosso bate recorde de retração econômica

Estado é antepenúltimo do país e só ganha de Acre e Roraima

Economia

Redação 1049 acessos 1

Mato Grosso bate recorde de retração econômica

Enquanto a criação de novas empresas atingiu números recordes para o período no Brasil e registrou expansão de 3,5%, Mato Grosso andou na contramão e fechou o acumulado dos cinco primeiros meses de 2016 com retração de 5,8%, a maior entre os estados do Centro-Oeste e a terceira maior do país, atrás apenas do registrado em Roraima (-12,6%) e no Acre (-8,9%).
 
Conforme dados divulgados ontem pela Serasa Experian, por meio do Indicador de Nascimento de Empresas, de janeiro a maio deste ano, Mato Grosso contabilizou o surgimento de 15.236 formais, volume que na comparação com o mesmo período do ano resulta em uma redução de 5,8%. No ranking nacional, em volume de empresas criadas nesse ano, Mato Grosso ficou na 14ª posição.
 
Nesse mesmo intervalo, o país contabilizou a criação de 851.083 novas empresas. “Trata-se de um recorde para o período, desde a criação do Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, em 2010. O número é 3,5% superior ao registrado nos cinco primeiros meses de 2015, quando o indicador apurou 822.519 nascimentos. Em maio de 2016 o indicador detectou a criação de 176.108 novas empresas, aumento de 1,2% em relação ao mesmo mês do ano passado”, destacam os economistas da Serasa.
 
Ainda conforme os economistas, o aumento de novas empresas nos primeiros cinco meses do ano foi puxado exclusivamente pelo surgimento de novos microempreendedores individuais (MEIs). Este movimento tem sido determinado, principalmente, pela perda de postos formais no mercado de trabalho (aumento do desemprego no país) por causa da recessão econômica, impulsionando trabalhadores desempregados a buscarem, de forma autônoma e formalizados, alternativas econômicas para a geração de renda.
 
ESTADOS - O Amapá foi o estado que registrou a maior elevação no período: 29,4%. Foram 2.059 novas empresas nos cinco primeiros meses de 2016 contra 1.591 entre janeiro e maio de 2015. Santa Catarina ficou em segundo lugar entre os estados que mais viram o número de novos empreendimentos crescerem, com 9,7% de variação positiva (36.845 novas empresas contra 33.593 no período anterior). Em terceiro, Rio de Janeiro, com 9,1% de elevação (88.625, nos primeiros cinco meses de 2016, e 81.248 entre janeiro e maio de 2015).
 
Já em termos de quantidade de nascimentos, nos primeiros cinco meses do ano, São Paulo ficou em primeiro lugar, com 238.837 novas empresas. Minas Gerais em segundo, no período, com 94.499 nascimentos. Na terceira posição, o Rio de Janeiro, com seus 88.625 novos negócios. Paraná (54.909) e Rio Grande do Sul (51.715) ocuparam a quarta e a quinta posição, respectivamente.

O que dizem sobre isso?

  1. TÁ TENDO ENGANAÇÃO...

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG