EM DEFESA DA SOCIEDADE

Pontuando

Escolas estaduais seguem ocupadas em cidades de MT há mais de um mês

UNE diz que 20 escolas continuam ocupadas. Alunos são contrários às Parcerias Público Privada (PPP) na Educação.

Educação

Redação 1298 acessos 6

Escolas estaduais seguem ocupadas em cidades de MT há mais de um mês

Escolas estaduais seguem ocupadas por alunos em várias cidades de Mato Grosso. De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), 10 unidades de ensino estão ocupadas, além de uma assessoria pedagógica. Já de acordo com a União Nacional dos Estudantes (UNE), os estudantes estão ocupando 20 escolas no estado.

As ocupações tiveram início em maio deste ano e o movimento é liderado pela Associação Mato-grossense dos Estudantes (AME). Os alunos são contrários ao projeto do governo do estado que prevê transferir a gestão de 76 escolas estaduais para a iniciativa privada, por meio de Parceria Público Privada (PPP).

A UNE afirmou que em todo o Mato Grosso são 20 escolas estaduais ocupadas, sendo 15 delas na Grande Cuiabá, duas na região norte e três em Barra do Garças.

Por meio de nota que foi desmentida pelos líderes do movimento, a Seduc afirmou que só continuam ocupadas as escolas estaduais Padre João Panarotto e Raimundo Pinheiro (Cuiabá); Fernando Leite de Campos, Jaime Veríssimo de Campos e Elmaz Gattaz (Várzea Grande); Marechal Eurico Gaspar Dutra, Antônio Cristiano Cortez e Irmã Diva Pimentel (Barra do Garças); Alda Gawlins Scopel (Primavera do Leste) e Ramiro Bernardo da Silva (Rondonópolis). Além disso, a pasta informou que a Assessoria Pedagógica em Toxiroréu também foi ocupada.

Reivindicações

De acordo com Weliton de Souza, diretor de Cultura da AME, o movimento tem dialogado com o governo estadual e se unificou com o ato dos servidores do Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sintep-MT) - que nesta terça-feira (12) decidiram manter a greve iniciada em 31 de maio.

De acordo com o estudante, as principais reivindicações da associação são o cancelamento integral do projeto das PPP e a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as fraudes e esquemas de corrupção descobertos na Seduc.

Segundo Weliton, as desocupações não devem acontecer até que as pautas do movimento sejam atendidas. “Esse, na verdade, é só o começo. Nós queremos o diálogo e entendemos que os estudantes merecem uma escola 100% pública e de qualidade. A escola é quase uma segunda casa para a gente. Por isso, vamos continuar na luta”, defendeu.

Ocupação da Seduc

Na segunda-feira (11), cerca de 80 alunos ocuparam o prédio da Seduc, em CuiabCuá. Os jovens estavam com barracas, acamparam no saguão da recepção e chegaram a impedir que funcionários da pasta subissem as escadas do prédio. O edifício foi desocupado após a assinatura de um termo de compromisso entre a Seduc e os estudantes.

 

O que dizem sobre isso?

  1. Infelizmente o momento é de luta, e para melhorar precisamos parar

  2. Eu quero estudar, eu estava aqui lendo umas noticias mas eu sinto falta da escola

  3. Vamos a luta

  4. Corte de R$ 10 bi do orçamento estudantil = nenhuma manifestação. Realocação de alunos para otimizar o ensino e utilizar a infraestrutura para criação de creches = ocupação, vandalismos em "prol da educação". Eita juventude incoerente...

  5. Estudar ninguém quer ninguém mesmo.... A coisa mais ridicula que já vi!

  6. Sou contra essas ocupações nas escolas, esses alunos não tem o que fazer, tem político por trás dessas ocupações

Comente, sua opinião é Importante!

Pontuando rodapé