EM DEFESA DA SOCIEDADE

Diário de contas novo (TCE)

Professores de Cuiabá paralisam atividades e fazem protesto na prefeitura

Categoria reivindica 2,56% de ganho real nos salários e se manifesta contra programa Hora Estendida.

Educação

Redação 218 acessos

Professores de Cuiabá paralisam atividades e fazem protesto na prefeitura
O Livre

Professores da rede municipal de ensino vão paralisar as atividades mais uma vez nesta sexta-feira (1º). A categoria planeja um ato público em frente à sede da Prefeitura de Cuiabá.

Na lista de reivindicações está um reajuste nos salários que proporcione um ganho real de 2,56% nos salários e o não envolvimento dos profissionais de educação no programa Hora Estendida, que pretende ampliar até às 19h30 o horário de funcionamento de creches e centros de educação infantil.

Uma reunião entre o secretário municipal de Educação, Rafael Cotrim, e representantes da subsede de Cuiabá do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Mato Grosso (Sintep) está prevista para ocorrer na tarde desta quinta-feira (31).

O presidente do sindicato, João Custódio da Silva, todavia, afirma que a manifestação será realizada independente do que seja apresentado neste encontro. Uma primeira reunião ocorreu na última terça-feira (29), com a presença do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB).

De acordo com João Custódio, o secretário se comprometeu a apresentar à categoria um cronograma de reformas das unidades educacionais; datas para a realização de eleições para os cargos de direção e coordenação das escolas; assim como a publicação de todos os processos de elevação de nível dos servidores e de concessão de licenças.

Todas as medidas correspondem a itens da pauta de reivindicações da categoria. Não há entendimento ainda, contudo, sobre o reajuste salarial e a forma como será colocado em prática o programa Hora Estendida.

João Custódio destaca que a categoria não é contra a implantação do programa, mas que não concorda em ter seus profissionais utilizados nele. O argumento é o de que no período estendido não são previstas atividades educacionais, sendo necessário apenas pessoas que “cuidem” das crianças enquanto os pais não vão busca-las na escola.

Ainda de acordo com o presidente do sindicato, somente um Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) já implantou o sistema e apenas seis famílias aderiram ao programa.

Outro lado

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Educação afirmou que mantém as negociações em aberto com o sindicato, mas que já concedeu um aumento salarial de 2,56% à categoria referente ao Reajuste Geral Anual (RGA). O pagamento ocorreu na folha salarial de julho.

Pontuou também que agiu conforme a legislação quando indicou os novos diretores e coordenadores das unidades, uma vez que tem essa autonomia, quando não há candidatos para o processo eleitoral.

Que vem fazendo a liberação de licenças para os servidores que detinham esse direito e que os processos dos que passaram pelo período de estágio probatório já foram publicados. Resta apenas, de acordo com a pasta, a publicação das elevações de nível.

Acerca das reformas, a secretaria informou também que vem trabalhando num plano emergencial que deve atender 96 escolas.

Já quanto ao programa Hora Estendida, pontuou que as reivindicações da categoria já foram atendidas, uma vez que a adesão dos servidores será voluntária e não imposta pela prefeitura.

Comente, sua opinião é Importante!

Pontuando rodapé