EM DEFESA DA SOCIEDADE

TCE - PI 81198 - MÊS DE JANEIRO 2017

Estudantes de psicologia promovem 'Janeiro branco'

'Terapia não é coisa de gente louca'

Geral

Redação 486 acessos

Estudantes de psicologia promovem 'Janeiro branco'

A exemplo da campanha Outubro Rosa, que surgiu na década de 90 para fortalecer o combate contra o câncer de mama, o Janeiro Branco, que é um movimento mais recente, quer chamar a atenção para a Saúde Mental.

 psicóloga Juliana Silva, de São Paulo, engajada no movimento, explica que parte da sociedade ainda não leva enfermidades emocionais a sério como deveria e ainda acha que terapia é coisa para gente louca.

"Isso não é verdade, muitos de nós precisamos fazer terapia e devemos fazer", reforça a psicóloga, lembrando que o adoecimento mental é silencioso e causa extremo sofrimento, podendo ser inclusive incapacitante.

Em alguns casos de transtornos, a terapia tem que ser associada à medicação, indicada por psiquiatra, como na bipolaridade.

"As pessoas costumam banalizar a bipolaridade, dizendo assim: estava feliz de manhã e depressivo à noite, é bipolar. Só que neste transtorno o paciente vai da depressão profunda, de não quer tomar banho, sair de casa, levantar da cama, à mania, que é uma euforia, uma alegria exagerada, que tem como um dos possíveis sintomas a hiperssexualidade, caracterizada pelo impulso sexual excessivo, ao ponto de levar à promiscuidade", comenta a psicóloga Juliana Silva.

Segundo ela, ter equilíbrio na vida é difícil mesmo e, para isso, os segmentos que mais importam - relacionamento e trabalho por exemplo  - precisam estar em harmonia.

"A cor branca que é a junção de todas as cores denota justamente isso, todas as cores da vida em equilíbrio", destaca.

Ressalta que não somente os transtornos afetam a saúde mental. "Muitas vezes pode ser também pressão no trabalho e um relacionamento abusivo por exemplo", cita.

Ressalta ainda que lidar melhor com os problemas emocionais é inclusive uma forma de minimizar as estatatísticas de suicídio.

O movimento Janeiro Branco aproveita o clima de final de ano e recomeço de um outro ciclo, quando é cultural fazer um balanço dos projetos pessoais, para propor uma vida mais feliz, realçando que o devido tratamento psicológico e psiquiatrico pode contribuir e muito para isso.

Em Cuiabá, o Janeiro Branco ainda está iniciando. Mas haverá atividades lembrando a data em outros locais do país.

Em Campinas (SP) e Uberlândia (MG), a data já virou lei.

Os psicólogos engajados na campanha são voluntários.

Confira os 5 objetivos da campanha Janeiro Branco

1 – Fazer do mês de Janeiro o marco temporal estratégico para que todas as pessoas do mundo reflitam, debatam e planejem ações em prol da Saúde Mental e da Felicidade em suas vidas ao longo de todo o ano;
2 – Chamar a atenção de todo mundo para o tema da Saúde Mental nas vidas das pessoas;
3 – Aproveitar o início de todo ano para incentivar as pessoas a pensarem a respeito das suas vidas, dos seus relacionamentos e do que andam fazendo para serem verdadeiramente felizes;
4 – Chamar a atenção das pessoas para pensarem a respeito do que precisam mudar em suas vidas para serem, realmente, felizes;
5 – Mostrar às pessoas que sempre é possível o fechamento e a abertura de novos ciclos em busca da Felicidade em suas vidas – afinal, ano novo, vida nova, mente nova!

Confira também Como o Janeiro Branco pode ajudar as pessoas

1 – Incentivando-as a pensar: o ano mudou – vamos mudar de vida também?
2 – Convidando-as a entender: assim como os anos, a vida é feita de ciclos – devemos concluir aqueles que não nos fazem bem e iniciar os que nos farão felizes!
3 – Fazendo-as perceber: a virada de ano é o momento simbólico que a humanidade criou para parar um pouco e pensar sobre si mesma – essa é uma boa hora para aproveitarmos o exemplo e fazermos o mesmo em relação as nossas próprias vidas!
4 – Encorajando-as a responder: Janeiro abre as portas de um novo ano para todos – será mesmo que precisamos repetir as escolhas ou condições do ano que passou e que nos impediram de ser, verdadeiramente, felizes?
5 – Motivando-as a calcular: um novo ciclo de 12 meses está se abrindo a nossa frente – há tempo de sobra para qualquer um de nós fazer por onde ser feliz e ajudar aos outros nessa tarefa.

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG