EM DEFESA DA SOCIEDADE

Prefeitura conciliação outubro

Diretor do Sinpaig narra momentos de terror nas mãos da polícia e diz que nada justifica os fatos

Fui cercado, algemado, agredido, jogado no camburão de uma viatura, enquanto pedia desesperadamente para os presentes filmarem aquele extremo ato de abuso e truculência

Geral

Redação 1504 acessos 14

Diretor do Sinpaig narra momentos de terror nas mãos da polícia e diz que nada justifica os fatos
Larissa Malheiros

O diretor jurídico do Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental do Governo (SINPAIG), Antônio Wagner esteve nesta terça-feira (05), na audiência no Juizado Especial, sobre o processo que gerou após constrangimento que teria passado dentro de umas das agências do Banco do Brasil em Cuiabá. Na defesa, Wagner também alega que foi preso, algemado, sem aparentemente fazer nada que se justifica a ação dos militares.

Sendo assim, o sindicalista em desabafo, narrou que esteve na agência do Paiaguás, no dia 30 de novembro quando ficou preso na porta giratória do banco, por cerca de 4 vezes. Até que sentiu certa represaria da funcionária terceirizada, mesmo após idenficar-se como correntista.  Em seguida, ele conta que uma terceira pessoa, que assistia o fato, interrompeu a discursão, que acontecia na ocasião com a funcionária, e passou a ofende-lô.

Fui vítima de uma terceira pessoa, que sequer conheço, mas que disse me conhecer da Lida Sindical, afirmando ainda que não gostava de mim e nem do meu Sindicato ( SINPAIG). Esta pessoa interpelou grosseiramente, na falsa intenção de ser a voz da funcionária, que sequer dissera qualquer coisa. Este, após me xingar de “safado e vagabundo, além de dizer que eu deveria estar preso” sem explicar por que (ora, eu, ou aqueles contra os quais lutamos?!?). Conseguiu com isso provocar uma confusão e um “empurra-empurra”, onde a única “vítima” foi uma “mesinha” de acrílico e vidro. ”, relata o servidor.

Ele também assegura que em nenhum momento houve agressão, como alguns veículos da imprensa noticiaram., e que já idetificou a pessa que o agrediu verbalmente. “Tão logo descobrirmos quem é essa pessoa, pela imagem das câmeras internas do banco, a qual já solicitei formalmente, tomarei as medidas de representação criminal por calúnia, eis que presenciado por terceiros seus impropérios”.

Após o corrido, Wagner permaneceu por mais cerca de 25 minutos dentro do Banco, onde, auxiliado por uma Bancária (Caixa Interna), cancelou dois agendamento de pagamentos, e pagou uma Guia Fiscal no caixa eletrônico e, outra guia fiscal de cerca de R$ 1.560,00, no caixa interno, com a ajuda da mesma “competente, gentil e prestativa bancária”.

“Não fui neste tempo abordado ou seguido por qualquer segurança, nem pela gerência do Banco. Aliás, antes de sair ainda questionei um funcionário das mesas, sobre como fazer para formalizar a reclamação contra a funcionária terceirizada do Banco”, disse.

Ele frisa, que foi  vítima uma terceira vez, quando saindo da parte interna da Agência do Banco do Brasil para os caixas eletrônicos, se deparou com cerca de 7 ou 8 policiais militares, em frente a porta de saída, em fila, com duas viaturas (uma parada de ré) na parte externa. “Perguntado sobre os fatos, apresentei-me, identifiquei-me como advogado e servidor Público (como se não me conhecessem), expliquei o ocorrido e, como não haviam motivos legais nem fato típico que justificasse qualquer detenção, comuniquei que precisava ir ao Fórum completar a operação jurídica que se iniciara com o pagamento das Guias”, comentou.

Porém, foi impedido, abruptamente, pelos servidores militares, que disseram que ele não poderia sair, dando a entender que estava detido. “Perguntei se estava detido, pois que se fosse o caso, gostaria da OAB acompanhando a situação. Disseram que não. Porém, em meio a um diálogo comum para uma situação de constrangimento, enquanto argumentava técnico e juridicamente, sem tê-los ofendido com qualquer xingamento ou menosprezo, fui cercado, algemado, agredido, jogado no camburão de uma viatura, enquanto pedia desesperadamente para os presentes filmarem aquele extremo ato de abuso e truculência”, dispara.

Wagner permaneceu algemado em uma sala de 3x4 com 09 (nove) policiais durante todo este tempo. “Inclusive, prestei depoimento algemado, junto ao meu advogado, que fotografou e filmou mais este absurdo”.

O servidor ressalta, que é conhecido pelos seus enfrentamentos. “Sei que sou bem conhecido pelos servidores Públicos do Estado, inclusive entre os militares, fruto da liderança sindical, travando intensos embates e debates com o Estado. Seja quando criticamos os Incentivos Fiscais, seja quando lutamos pelos servidores Públicos e o conjunto de trabalhadores, e no meu caso, quando fui a voz mais ativa a denunciar o Escândalo dos Grampos Ilegais e sua gravidade para a Democracia”, falou 

Parte do desfabo

“Sei bem a quem e a quantos desagradamos nos últimos anos! Já vinha tendo vários “avisos” que ignorei por despreparo. Alguns inclusive externei.Não sou inocente de achar que fora apenas mais um ato de truculência policial, como acontece diariamente nas periferias das grandes cidades, contra populações pobres e negras.Acredito ter sido um ato de intimidação, de retaliação, na tentativa de expor-me publicamente e, ainda que não programado, surtiu seu efeito.

Ainda mais quando mais de 10 (dez) Sites de Notícias publicaram "as suas versões", me identificando (com direito a foto e toda “pompa”) como Sindicalista e não como Advogado e Servidor Público, com exceção de 03 (três) veículos aos quais externo meu respeito. Respeito e muito a Polícia Militar de Mato Grosso e, nela me ampararei por retratação, pois sei que honrada é e, não compactua com práticas típicas de estado de exceção.

Me ampararei igualmente no Ministério Público, guardião da sociedade. E, se necessário for, em qualquer instância de proteção política dos trabalhadores e suas lideranças, tal como a Organização Internacional do Trabalho/OIT.

NÃO me intimidarão. Não me calarei. NÃO calarão o grito de luta pelos trabalhadores públicos e privados brasileiros. Em tempos sombrios, onde nossos adversários comemoram um ato abusivo, morrer pelo que se acredita talvez seja a morte mais digna de um trabalhador, um homem de bem.

Tenho medo sim, mas acredito na Justiça, em DEUS e na Força do Povo, que é onde, por fim,  me ampararei diante desse trauma inesquecível, mas superável! “, concluiu o sindicalista.

 

O que dizem sobre isso?

  1. Esse aí fica melhor como na foto em que ele está com um nariz de PALHAÇO em cima de trio elétrico. So faltou a melancia pendurada no pescoço. So acredita nesse caloteirobque não paga nem seu próprio condomínio pessoas acéfalas ou hipocritas. Por isso vou me desfiliar do SINTAP caso essa escrotinice continue mamando encostado por lá.

  2. Esse aí não vale o que o cachorro enterra... Não tem respeito nem entre a própria carreira... Só arranja encrenca com mulher... Só olhar as queixas contra ele no Sistema, ou seja COVARDE só briga com mulheres. Se acha e não aguenta um soco na cara. Culpa a gloriosa PMMT por trabalhar e conter vagabundagem e agressão em uma instituição bancária e quer dar uma de vítima. Gosta de aparecer esse pseudo intelectual de merda esquerdopata. Não gosta de trabalhar e vive encostado em sindicato pois se o mesmo se candidatasse ao sindicato de sua classe nem o atual presidente votaria sabendo a mala sem alça que carrega. ESSE AÍ SÓ DESAGREGA ONDE PASSA.

  3. Se esse INFELIZ continuar ligado ao SINTAP-MT teremos uma DESFILIAÇÃO EM MASSA de mais de 100 servidores do INDEA. É PAGAR PRA VER.... Eram para ter deixado ele mole de tanta porrada os policiais que foram destratados por esse sem vergonha.

  4. È um hipócrita, deveria ter vergonha desse tipo de atitude, será que se acha melhor com os outros? acostumado a ficar no saco de políticos acaba pegando os mesmos vícios...Deveria ser homem e honrar o que faz....não ficar e vitimizando, como servidor, tenho vergonha de um cidadão deste aporte representar a categoria....mas não me representa.....um cidadão cujo primeiro preceito é a greve, não pode ser chamado de líder, não é atoa que estamos lascados...

  5. "Me identifiquei como servidor (como se não me conhecessem)" É muito arrogante e prepotente mesmo né não?! Já ouviu falar de algo chamado humildade? é bom conhecer e usar. Falso moralista e ainda vem com conversa fiada "NUNCA me filiei a partido político, apenas ao PPL" se é nunca é nunca, se já se filiou, já foi filiado rsrssr. "Não serei candidato... mas como estão me perseguindo, pode até ser que um dia eu seja candidato". Ansioso pelo dia que veremos você como candidato e derrotado nas eleições rsrsrsrs

  6. Muvuca, publicar matéria sobre este cidadão desprestigiou o muvuca popular, porque gera perda de credibilidade! O Antônio Wagner é um "adevogado" que denigre a carreira da Área meio do Poder Executivo, bem como toda a categoria de servidores públicos, com suas grossuras; sua arrogância; seu comportamento inadequado!!!

  7. Não compartilho da mesma opinião desse cidadão em relação a vários assuntos que o mesmo se posicionado em fala em assembleias ou qualquer outro local público, mas é fato que diversas vezes já presenciei esses guardas de banco se sentindo no ápice de sua função bloqueando e liberando portas de acordo com suas vontades, tanto que quando os mesmos passam pela mesma porta nem bloqueia pois os mesmos liberam a porta... Dessa forma ficamos refém se o mesmo vai ou não gostar de você e te fazer passar vergonha e Ser humilhado publicamente tentando entrar no banco. E com relação a PM semana passada em local de trabalho órgão público teve uma tentativa de um PM que usa veículo público para uso pessoal possivelmente pois o mesmo rotineiramente está no pátio do órgão levando uma possível marmita para uma senhora tentou intimidar, mas já foi realizada queixa na ouvidoria sobre o assunto, mas como existe corporativismo creio não dar em nada infelizmente. É a nossa realidade que devemos mudar.

  8. TEMPOS SOMBRIOS onde nossos adversários comemoram um ato abusivo, de truculência, uso desnecessário de força. Não quero expor a polícia. Mas policiais que não agiram como determina seus estatutos militares nem a boa prática policial ensinada na academia. Tanto respeito que a ela me reportarei. Respeito o corporativismo de alguns. Faz parte. Só peço que se lembrem que são seres humanos. Uma hora ñ estão de farda e podem sofrer de outra "autoridade" o que vivenciei. Não quero me aparecer. Me expuseram como bicho em zoo. Se pensavam me intimidar. Erraram. Se erraram por despreparo, sinto muito. O que falam aqui é apenas ódio pessoal. Ngm se reportou ao fato do uso de alguemas e detenção qdo não houve crime! Ponto! Este é o fato principal. Se reclamei da Guarda. Se fui grosso. Isso ñ é crime. Ponto! No mais, NÃO SEREI CANDIDATO A NADA, nem pretendo ser no futuro. NUNCA FUI FULIADO a não ser a um partido q ajudei a fundar, o PPL, que depois do Adolfo o enlamear nunca mais participei de nada. Sobre ñ ser candidato, já falei em cima de carro de som. Se tão insistindo tanto vou achar que é medo e que posso ter chance. Olha lá que ACEITO hahahhahahaha

  9. Advogado, prática de sorel, vitimismo barato para aparecer, vc sabe que na dúvida tem de travar a porta sim, podem haver excessos concordo, mas o sr. alterou então eu travaria tantas vezes fosse necessário até eu ter segurança de que serias uma pessoa que não pudesse dar problema.. foi o que vc fez,... aprontou para se aparecer...

  10. Tadinho dele, ô dó...falta de levar uma peia bem dada!

  11. Esse cara não passa de um oportunista, fazendo papelão e tentando jogar a sociedade contra a polícia. Nada disso que ele fala aconteceu, está se fazendo de vítima procurando holofotes para tentar alavancar possível futura candidatura a cargo eletivo.

  12. MUITO BEM COLOCADO, NAS OPINIÕES AQUI MANIFESTAS! ESSE AÍ TÁ QUERENDO HOLOFOTES! ADVOGADOS MUITAS VEZES SE ACHAM SUPERIORES ATÉ A DEUS AQUI NA TERRA! DEVERIA TER LEVADO UMAS "GUASCADAS" (O QUE NÃO DEVE TER ACONTECIDO QUANDO CRIANÇA, PARA APRENDER A SER GENTE DE BOA EDUCAÇÃO E RESPEITAR OS OUTROS)

  13. Esseai na verdade foi dá uma de "advogado", querendo dar carteirada na policia e agora tá querendo se passar por vitima e perseguido porque "peitou" o governo. Taques fez e continua fazendo o que quer com os funcionarios, em outros tempos era greve geral, mas hoje, esse ai e Oscarlino como representantes näo vira nada. Aquela mulher do Detran sim, aquela merece respeito, näo se vende por um prato de frango com quiabo.

  14. Tinha que levar uma surra esse sem vergonha caloteiro. to sabendo que já se acertou com o governo. Como que um sujeito desse pode representar alguem? Se näo me engano no governo Silval eu vi ele em Brasilia em uma convençäo do PMDB, de camiseta e tudo.

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG