EM DEFESA DA SOCIEDADE

Welington diz que estado tem R$ 80 milhões para investir em saúde que estão parados há 4 anos

Senador critica duramente gestão da saúde pública do governo Taques

Governo

José Marcondes Muvuca 749 acessos 1

Welington diz que estado tem R$ 80 milhões para investir em saúde que estão parados há 4 anos

O senador Welington Fagundes (PR) critica duramente a administração do sistema de saúde pública em Mato Grosso e atribui ao governador Pedro Taques (PSDB) a responsabilidade pela crise no setor.

Isso porque, de acordo com o republicano, Mato Grosso tem disponível R$ 80 milhões para investir no Hospital Universitário Júlio Muller em Cuiabá.

“Cuiabá e Várzea Grande recebem todo o impacto dos hospitais que estão sendo fechados no interior. O Estado não está conseguindo pagar os hospitais do interior por mera ineficiência e o cidadão paga por esse desplanejamento. São R$ 80 milhões disponíveis há mais de quatro anos e o investimento não acontece”, afirma. No entanto, por questões de burocracia administrativa, não consegue destravar o projeto, sufocando assim a capacidade de atendimento. Além disso, avalia que a superlotação nas unidades públicas de saúde de Cuiabá, em especial o Pronto Socorro que concentra atendimento no setor de urgência e emergência, é motivada pelo atraso nos repasses financeiros aos municípios do interior.

De acordo com o senador Welington Fagundes, uma das unidades de saúde pública que está recebendo pacientes do interior é o Hospital Universitário Julio Müller, que apesar da precariedade ainda está recebendo os pacientes.

Fagundes declarou que há quatro anos o governo do Estado tem R$ 80 milhões na conta para fazer reforma no local, porém, até o hoje o dinheiro segue parado. “Nós temos atual Júlio Muller em uma condição antiga, e precaríssima. E o povo sofrendo”, disse.

O senador ainda critica a gestão do Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá. Um dos argumentos é que a direção estaria enviando para o Ministério da Saúde atendimentos realizados em pessoas que estão na maca do corredor como se fossem devidamente atendidas em leitos da unidade de saúde.

“Estão contando como leito as pessoas que estão na maca do corredor. Eles estão mandando para o Ministério da Saúde 140 pessoas na cama, como se fosse leito. É absurdo. É um caos, é uma guerra que está acontecendo na Saúde. Falta de planejamento, falta de gestão”, dispara.

O que dizem sobre isso?

  1. O projeto politico é o mesmo. Fagundes joga pra torcida. Não podemos esquecer que Fagundes votou a favor do impedimento da Dilma. Uma parcela de seus eleitores em 2014, engoliu sapo pra pedir voto para o senador, mesmo porque, sabíamos que seria um mandato difícil pra Dilma. A direita não aceitaria outra derrota nas urnas. O resto da história já sabemos. Mas o senador traiu esta parcela de eleitores de MT. Portanto, Fagundes, Taques, Maggi, nunca mais...

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG