EM DEFESA DA SOCIEDADE

AL ago mais 2 com link

Após investir dinheiro público, Governo de MT vai entregar 3,2 mil km de estradas para iniciativa privada

Governo entregará parte do patrimônio do estado, construído durante décadas, e pedágios serão cobrados da população

Governo

Redação 824 acessos 4

Após investir dinheiro público, Governo de MT vai entregar 3,2 mil km de estradas para iniciativa privada
MPopular / Com ALINE ALMEIDA

O Governo do Estado vai entregar para a iniciativa privada grande parte da malha viária do estado. Ao todo serão 3,2 mil km de estradas que serão concedidas para exploração privada por 30 anos.

Isso porque já se deu início aos primeiros atos de concessão das estradas; Primeiramente serão três lotes de estradas que somam mais de 500 quilômetros. Os trechos que serão repassados mais rapidamente ficam localizados próximos aos municípios de Alto Araguaia, Alta Floresta e Tangará da Serra.

A autorização do Governo para concessão de trechos que compreendem sete rodovias estaduais circulou no Diário Oficial do Estado publicado ontem. São os primeiros três lotes da concessão do Programa Pró-Estradas Concessões. Nele fica autorizada a abertura de licitação para a concessão da prestação dos serviços públicos de conservação, recuperação, manutenção, implantação de melhorias e operação rodoviária de trechos de rodovias estaduais. 

O prazo da Concessão será de 30 (trinta) anos, conforme recomendado pelo estudo econômico-financeiro, podendo ser prorrogado conforme normas contratuais. Ao todo serão contemplados três lotes que abrangem sete rodovias estaduais e mais de 500 quilômetros. 

No primeiro lote está o Alto Araguaia – com a concessão dos trechos da Rodovia MT 100 com a extensão de 111,90 quilômetros. O segundo lote corresponde a Alta Floresta nos trechos das Rodovias MT 320 e MT 208 com extensão total de 188,20 quilômetros. Já o Lote 3 abrange Tangará da Serra nos trechos das Rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. A extensão total para concessão é de 233,20 quilômetros. 

Segundo o decreto, as concessões nascem da “premente necessidade de o Estado atuar na melhoria efetiva da malha rodoviária, proporcionando aumento da qualidade de vida do cidadão, redução dos acidentes nas rodovias, desenvolvimento econômico, acesso a serviços públicos, escoamento da produção agrícola e o intercâmbio de mercadorias e cidadãos”, confirma trecho. 

A licitação será realizada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), que trabalha com a expectativa de atrair investimentos privados na ordem de R$ 1,5 bilhão, devido ao fato de estudos apontarem que estas rodovias têm potencial para o escoamento da produção agrícola e de cabeças de gado, além de contar com grande fluxo de veículos. Çevantamento do MPopular aponta que o governo gastou mais de R$ 3,5 bilhões do dinheiro público com essas estradas, que eram do programa Pró-estradas do governo anterior.

O Governo assegura ainda que além de atrair investimentos privados e reduzir o aporte de recursos públicos nos trechos das rodovias que serão objeto de Concessão, o retorno econômico será sapecado também na cobrança de pedágios por parte das empresas que assumirão as operações das estradas. A publicação diz em um trecho que a opção pela concessão se justifica pela realização dos vultuosos investimentos necessários para o oferecimento de rodovias de qualidade, que garantam segurança aos usuários e fluidez do tráfego, através dos instrumentos contratuais.

Por um lado, o governo assume os gastos milionários, por outro, joga a conta duas vezes, ou três, na conta do cidadão, uma com os impostos, outra com o dinheiro do Fethab, e ainda com as praças de pedágio que serão instaladas. 

Na segunda fase, serão incluídos no programa mais de 2.600 km, divididos em 12 trechos rodoviários. Todo o programa deve receber investimentos superiores a R$ 6 bilhões, vendento o patrimônio público construído no decorrer de décadas. Ao todo, serão concedidos (somadas as duas fases) 3.126 km de rodovias.

Para estes outros lotes, o Estado já publicou o PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse), que é um instrumento duvidoso de concessões, onde o Estado escolhe as empresas que atuam. As empresas apresentam estudos de interesse antes da realização da licitação pelo Estado. 

O que dizem sobre isso?

  1. Mas essa é visão tucana arruma e vende, nada de anormal seria se fosse ao contrário, o povo levou um golpe ao quadrado e continua querendo dar o filho para o silval, riva e lula(PT).

  2. Leonardo e traques ainda devem cerca de quase 10 milhões do Programa Bolsa Atleta para os atletas dos ano de 2011 a 2015. Traques deu a palavra dele, durante o mês de setembro de 2014, que assim sendo eleito, quitaria toda a divida com os atletas. A divida é de mato Grosso e não do Silval. Não teve honra e nem palavra pra cumprir o acordo firmado com toda a classe desportiva de MT!

  3. Tá na hora de alguma entidade recorrer na justiça para acabar com os impostos /taxas anuais sobre veículos, já que o cidadão paga duas vezes já que o pedágio repassa imposto /ganha a licitação paga ao Estado. Os impostos sobre automóveis para manutenção das vias e estradas não é gasto com isso já que é obrigação de concessionárias. Furioso com esses vermes.

  4. Deputados nadando de braçada.... nininho então só alegria vai levar prêmio maior que a mega Sena da virada sozinho .. . Mato Grosso terra sem lei mesmo

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG