EM DEFESA DA SOCIEDADE

Diário de contas novo (TCE)

EDITORIAL: Caramuru, Wilson, Emanuel e como pensa a 'cuiabania' sobre isso

O assunto da empresa goiana Caramuru só veio à baila porque foi tratado pelas irmãs Barbara Pinheiro e Fabíola Sampaio

Investigação

Redação 2097 acessos 4

EDITORIAL: Caramuru, Wilson, Emanuel e como pensa a 'cuiabania' sobre isso

Essa não é a primeira vez que Wison Santos (PSDB) tenta vencer o adversário usando informações fiscais. A novidade do caso da Caramuru Alimentos, que teria pago "honorários" para que o governo acelerasse seus processos, é que dessa vez não há dados sobre o assunto. Wilson diz ter ouvido falar, mas não sabe detalhar qual foi a trapaça contra a Fazenda Estadual.

O emaranhado em que se meteu tem um novelo grande. Fabíola, irmã da Bárbara é advogada de Filadelfo, além de ser esposa do Coronel Sampaio, que por sua vez é irmão de Willian Sampaio e por aí vai, ou seja, é um novelo segurando um ao outro, ou aquilo que entendemos por “cuiabania”, aqui amizade e preservação da família é tudo.

O que Wilson fez foi aquilo que a Bárbara temia, jogarem seu nome na lama, para que pisem em cima. Mas como há uma enormidade de conexões com outros, é que a solidariedade fica grande, e aí se fecha a cuiabania contra Wilson, que rompeu essa regra. Wilson pode ter certeza que sendo eleito tudo será perdoado, e se não for? E mesmo se for sua gestão será muito complicada.

A disputa para governador em 2010, em que ficou atrás de Silval Barbosa (PMDB) e Mauro Mendes (PSB), também teve documento em que empresa teria sido beneficiada pelo governo, e nesse caso, a tramoia estava melhor documentada. O fato é que um fiscal do estado (FTE), vizinho de Wilson Santos, copiou o processo em que Blairo Maggi (atual PMDB) concedia perdão de R$ 155 milhões a uma empresa de fertilizantes do Paraná, o Caso Fertipar.

O fiscal estava descontente com o perdão das multas de ICMS, e por esse motivo, além da proximidade com Wilson Santos, acabou lhe entregando todos os documentos. O fiscal acabou sofrendo investigação administrativa, e não se sabe como, mas seus colegas não encontraram uma única prova contra ele. Curioso que esses mesmos colegas hoje estão no comando da Fazenda Estadual, e fazem parte do tucanato estadual. 

O fiscal era vizinho de Wilson Santos, que acabou mudando para outro condomínio, o Ravenna Park. Wilson declarou que o seu apartamento vale R$ 100 mil, mas o valor de mercado é de quase R$ 1 milhão. Mora bem. A vizinhança também é boa, como a do chefe do MPE Paulo Prado, que, por acaso, é concunhado de Emanuel Pinheiro. O mesmo MPE que ficou de investigar o Caso Caramuru depois das eleições, e que Wilson Santos mandou a Polícia fazer hoje (24).

Wilson Santos quando deputado estadual não acabou com a bandalheira fiscal de MT, mesmo tendo conhecimento. Sobre o assunto ficou na retórica, disse que "Blairo transformou incentivos em Frankstein e Silval avacalhou".

O assunto da empresa goiana Caramuru só veio à baila porque foi tratado pelas irmãs Barbara Pinheiro e Fabíola Sampaio, cunhadas de Emanuel Pinheiro. Ou seja, Wilson não está parecendo ser uma autoridade confiável e sim um político doido pelo poder, que pisa em amizades hoje para amanhã pedir perdão.

A parte em que se disse que o MPE vai investigar depois das eleições, é o que o Wilson falou, e o MPE emitiu nota dizendo que os dois promotores de nome Sérgio não falaram nada disso porque sequer foram procurados.

Wilson Santos com essa também irá se indispor com seu vizinho de prédio no Ravenna Park, o Paulo Prado. Prado chiou por conta disso, e Wilson dá a entender que Emanuel está sendo protegido pelo concunhado. Acabou envolvendo quem estava quieto porque não querem ser figurantes disso.

O gênio de tudo foi o marqueteiro, que entrou em cena depois que o irmão botou pressão por ter sido achincalhado em praça pública, e se achou que havia condições reais de se produzir uma peça. A premissa é que o vencedor é absolvido dos pecados porque o príncipe é naturalmente bajulado.

A variante é o entendimento político de que há décadas o poder cuiabano fica entre cuiabanos. A fala da colunista Ana Maria Bianchini na Coluna Popular ilustra o que a alta sociedade cuiabana pensa disso. Wilson Santos provocou uma fissura na "sociedade produtiva cuiabana" que é digna de elogios, e vai marcar história.

O que dizem sobre isso?

  1. Se a sociedade produtiva cuiabana é podre,tem quer ser denunciada.Ou os 4 milhões server para pagar chopp,jantares para meia dúzia de coxinhas.

  2. Esse é o WS de sempre: mal caráter, invejoso, malicioso. Ele está acostumado a fazer esse tipo de coisa e se sair, mas dessa vez o tiro saiu pela culatra e todos agora podem ver do verdadeiro canalha que ele é.

  3. Desta vez acho que não ficará impune as armações do Pinóquio porque ele afetou e ofendeu além de pessoas uma Instituição de muita credibilidade que é o Ministério Publico. Chega cadeia para sujeito que faz de tudo para mentir e enganar o cidadão em busca do poder.

  4. Esse é o verdadeiro wilson veste praga junto com o malvado favorito pedro taques personagem que atropela todos que estiver em seu caminho us a maquina administrativa amanha vão passar por cima da justiça eleitoral entregando 64 ambulancia artigo 73 veda a distribuição de bens publico em ano eleitoral ??????luiz

Comente, sua opinião é Importante!

Pontuando rodapé