EM DEFESA DA SOCIEDADE

TCE abril

Mesmo após ato de violência da polícia, TJ permite corte de ponto aos grevistas do Detran

O Tribunal de Justiça fixou multa diária no valor de R$ 50 mil, caso os servidores continuem com a greve

Judiciario

Redação 1477 acessos 5

Mesmo após ato de violência da polícia, TJ permite corte de ponto aos grevistas do Detran

Mesmo depois de toda a violência da Polícia Militar (PM) contra os servidores do Estado do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), durante uma manifestação, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) autorizou ao governo o corte de ponto aos que aderirem a greve. 

A decisão foi da desembargadora Maria Erotides Kneip para que os servidores que continuar com o movimento grevista, terá o ponto cortado. A magistrada atendeu uma liminar que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) apresentou, na última terça-feira (31.10). Porém, encaminhou a decisão somente nesta quarta-feira (1º).

“É uma decisão importante que reafirma que o Supremo Tribunal Federal já decidiu a respeito dessa matéria, que valida e legitima o corte do ponto para aqueles que aderiram à essa greve que é manifestamente ilegal”, citou o procurador geral do Estado, Rogério Gallo.

Caso os servidores se rebelarem e não cumprirem a ordem da desembargadora, será fixado uma multa diária de R$ 50 mil. Segunda a desembargadora seria um fato de abuso de direito de greve se não obedecerem as obrigações que consta na decisão.

Para Maria Erotides, a decisão é importante, pois visa migitar os possíveis danos à população mato-grossense, já que faz mais de 40 dias de greve. Sobre o pedido de ilegalidade do movimento grevista, ela escreveu em seu despacho que ele será feito por ocasião do julgamento do mérito da ação.

 “A Procuradoria ressalta a necessidade de retorno ao trabalho, dada a relevância e exclusividade dos serviços prestados pelo Detran, pelo comprometimento tanto do atendimento aos cidadãos que necessitam desse serviço público quanto das finanças do Estado”, explicou o autor da ação, procurador Carlos Perlin.

O que dizem sobre isso?

  1. Bando de ...... Para grupo TAF que já ganha os melhores salários do Estado foi dado aumento e verba indenizatória. Agora para Detran e área meio nada. então o negócio é ficar em greve e prejudicar o máximo que puder esse grupo político do ..... , não gostam de fazer política dando aumento para TAF ? então vamos fazer política ficando em greve e ..... com esses ..... o máximo que der. pronto.

  2. E ASSIM O GOVERNADOR SAI FELIZ COMO SEMPRE, GANHA TODAS. REVOLTA .

  3. SÓ ESCLARECENDO: Os pontos JÁ estavam cortados desde o mês passado arbitrariamente, antes da decisão então não fez diferença alguma. A greve é um direito constitucional, não é férias, não é vagabundagem, é uma forma de reivindicar direitos, pois trabalhando normalmente o trabalhador não é ouvido. É um recurso de último caso que se usa para fazer o governo ouvir o trabalhador. Quando seus direitos constitucionais são atendidos e cumpridos, melhora para a população também! Se não melhora as condições do trabalhador, SUCATEIA o órgão público! E a população vai reclamar para sempre! Então é melhor que melhore, não é mesmo?

  4. Merece receber os salários quem trabalhou!!! Os servidores do Detran jamais farão a reposição da carga horária não trabalhada. Pois na greve os sindicalizados deveriam estar mobilizados, nas imagens das manifestações percebemos que são poucos. Desta forma, louvável fazer o desconto.

  5. Vão trabalhar, assine o ponto, mais não desempenhe o mesmo trabalho do dia a dia que a arrecadação que tanto ele quer será paga pela sua própria arrogância.

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG