EM DEFESA DA SOCIEDADE

TCE - PI 81198 - MÊS DE JANEIRO 2017

Taques - de Senador altaneiro à governador esmoleiro

Ao abandonar a bandeira de combate à corrupção e adotar o bolsa-esmola, Pedro Taques admite publicamente que fracassou

Cotidiano

Redação 2853 acessos 7

Taques - de Senador altaneiro à governador esmoleiro
MUVUCA POPULAR

Existem 175 mil famílias em MT atendidas pela “bolsa-família” do governo federal. O que equivale a 5% da população mato-grossense que vivem com menos de R$150/mês (no Brasil são 8,5%). O bolsa-família é injeção direta de dinheiro. O que significa R$ 315milhões/ano gastos com arroz e feijão, por exemplo, (ou outros itens, em alguns casos).

Pedro Taques, começou a carreira combatendo a corrupção, como Procurador. Quando senador pelo PDT, era favorável ao bolsa-família, e o enxergava como ação afirmativa, ao contrário do PSDB que o via como assistencialista ou compra-de-voto para manter o PT no poder às custas do “bolsa-esmola”.

Segundo os críticos do programa federal em MT, o valor financeiro é muito alto (na verdade, são R$ 25 milhões/mês ou R$ 150,00 para cada beneficiário), e mais alto é o custo social ao criar gerações de parasitas (na verdade, estudos mostram o contrário, os beneficiários acabam voltando ao trabalho remunerado porque superam a fase da fome e mendicância).

O governo Silval Barbosa (PMDB) se assustou com os 175 mil mato-grossenses vivendo abaixo da linha da pobreza, e paralelo ao “bolsa família” criou o “panela cheia”. O programa de Silval era voltado a 20 mil pequenos mato-grossenses, de 0 a 6 anos, e significava a média de R$ 50/mês, ou R$ 12 milhões/ano ao governo de MT.

Pedro Taques mudou de partido, do PDT para o PSDB, e também mudou o que pensava sobre a distribuição de dinheiro aos mais pobres. Seguindo a cartilha do PSDB, primeiro é necessário “arrumar a casa”, ou seja, organizar as finanças para depois gastar em ações de estado. Taques inovou o discurso ao dizer que antes de sanear as finanças é necessário combater a corrupção.

A prioridade do tucano Pedro Taques foi o combate a corrupção, e um dos seus focos seria o programa “Panela Cheia”. Aliás, tudo o que fosse de Silval Barbosa deveria ser visto com cautela, e nessa determinação do governador seus secretários não fizeram nada que não seja  combater o governo anterior, com a desculpa de combater a corrupção, para praticar uma corrupção ainda maior, embora tenha sido sub-categorizado por magistrados vendidos. O governo Taques reinventou a corrupção, e os órgãos que deveria coibir, investigar e punir, estão dando cobertura.

Eis que na metade do mandato, e com a rejeição nas alturas, o governador Taques resolve tocar ações consideradas eleitoreiras pelo PSDB, abandonou o discurso de combate a corrupção pois não cola mais, não em seu governo, e priorizou apenas a relação com quem apura a corrupção para levar a ‘perseguição’ mais adiante, até a gestão de seus eventuais adversários em 2018, como o Ministro Blairo Maggi. E agora, de forma surpreendente, mira o “bolsa-voto” ou “bolsa-miséria” (porque o PT não ensinava a pescar, mas dava o peixe).

O governo queria mudar o quadro da saúde em MT, mas não deu conta, então criou a “caravana da transformação” (espécie de “viva seu Bairro”, da Gazeta, ou “multiação”, da Globo), e após considerar que o “panela cheia” de Silval era caro e ineficiente, resolveu reativar esse mesmo programa com nome diferente.

O programa em si não é ruim, e nem deveria ter sido suspenso. Mas o governo Taques sempre usou o discurso do combate à corrupção (sempre usado para mascarar a má gestão e incompetência administrativa), e o alinhamento automático aos tucanos, urbanos e ricos, que nunca passaram fome ou apertos para fechar as contas do mês.

O trágico é que Pedro Taques sabe muito bem o que é tudo isso, pois foi estudante pobre, e optou para o serviço público, porém, após ser eleito governador, e se bandear para o lado dos ricos, acabou esquecido de muitas coisas, como o de que apenas mato-grossenses elegem o governador de MT, embora ele prefira ouvir os paulistas.

Em tempo: Altaneiro é uma "palavra que o tempo comeu", porém mostra que Pedro Taques no Senado, ao lado dos bons (sim, há bons homens no Brasil), às vezes falava bonito. Ações afirmativas para negros, índios, mulheres, gays e despossuídos viviam na boca do então senador Taques do PDT de Leonel Brizola. Isso tudo acabou ao virar tucano.

Altaneiro, de altivez, orgulho, é como alguém com o olhar de um condor, que voa longe, vê longe, e pensa longe. E esse não é o caso da transformação de Taques de Senador em Governador. E pior, governador tucano.

O que dizem sobre isso?

  1. O maior FDP do Brasil...

  2. Tenho grande arependimento de ter votado nesse senhor ,fazia outra ideia da pessoa dele ,mais so foi decepção para todo o mato grosso meu voto nunca mais ..

  3. Tenho grande arependimento de ter votado nesse senhor ,fazia outra ideia da pessoa dele ,mais so foi decepção para todo o mato grosso meu voto nunca mais ..

  4. Estou extremamente estarrecida fui na onda do calendario de pagamento para o dia 10 e renegociei minhas dívidas para dia 10 hoje já são 11 e nada, foi só ilusão continuo devendo e pagando juros até quando meu Deus.

  5. Edna Austero ele não foi foi unha de fome mesmo. Infelizmente votei nele para Governador, quanta idiotice da minha parte mas era que os outros estavam muito sujos , imaginei mesmo que seria um governo sofrido mas não teria escândalo , seria vaca magra mas não circo que está sendo... Olha de longe o pior Governo que já pude ver e sequer tenho como mensurar tamanha inapetência... Ou este senhor é muito mal assessorado , demente ou mal-caráter... Não tenho resposta pois nesse Estado que foi o único positivo no país junto ao Governo Federal por década caiu nas mãos do cidadão que está sentando no palácio e pensa que é Nero pois o vejo queimar tudo e a todos nesse Estado. Funcionário público, Agronegócio, comerciantes , cidadãos e até a si ...

  6. Uma pessoa que passou sua vida atras de uma escrivaninha investigando e condenando pessoas, sem experiencia alguma em administração, realmente não poderia fazer um bom governo. Assessores da cúpula foram com muita sede ao pote (segundo os sites regionais), querendo fazer logo seus pés de meia às custas do dinheiro público, o estado em crise, ficou ao léu de seu gestor pois o mesmo esqueceu de trabalhar, resolver os problemas de seu governo para se dedicar à campanha eleitoral. Lamentável, não teve meu voto e não terá jamais. Governo austero, arrogante, prepotente juntamente com seu primo bateu de frente com o funcionalismo público. Cade a segurança pública? a saúde? cada dia mais a população sofrida e o rombo na secretaria de educação durante o inicio de sua gestão. Indignada!!!!!

  7. MUVUCA, com tristeza, vejo que este cidadão que se dizia o paladino do combate aos corruptos, administraria MATO GROSSO com seriedade e justiça, ledo engano. Estou , como funci publico, cada dia mais desanimado com esta administração que mais parece com a casa da mae joana. QUE ME PERDOE TODAS AS JOANAS...

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG