EM DEFESA DA SOCIEDADE

Conciliação prefeitura

ONG dirigida por 'pelego' de Taques refaz pedido para AL investigar 15 deputados

Gaúchinho, da Ong Moral, que se tornou apenso do executivo estadual, cobra investigação como 'troco' pela abertura de CPI

Política

Redação 639 acessos 4

ONG dirigida por 'pelego' de Taques refaz pedido para AL investigar 15 deputados
Com Folhamax

Após a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT) ter aberto uma CPI para investigar as pedaladas do governador Pedro Taques (PSDB), a ONG Moral, dirigida pelo servidor Gilmar Brunetto, famoso Gauchinho, que se tornou um defensor aguerrido do governador tucano, voltou a protocolar um novo pedido de investigação contra os parlamentares delatados pelo ex-governador Silval Barbosa, desta vez, como pessoas físicas.

Segundo Brunetto, o pedido anterior, analisado pelo corregedor da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Saturnino Masson (PSDB), foi arquivado por conta de corporativismo entre os parlamentares.

“É basicamente o mesmo que protocolamos anteriormente. Temos a clareza de que ele foi arquivado por conta do corporativismo e o compromisso com a corrupção que existe aqui nessa Casa de Leis. Vamos entrar agora como pessoa física. Eles alegaram que a ONG Moral não tinha legitimidade. Nossa expectativa é que eles cumpram com a obrigação deles”.

O pedido da ONG tem como principal foco os parlamentares que foram alvos da Operação Malebolge deflagrada em setembro de 2017. Após a delação premiada do ex-governador, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão nos gabinetes de 8 deputados delatados por Silval sob acusação de recebimento de propina durante sua gestão. Foram levados computadores e documentos dos gabinetes da Assembleia Legislativa. Barbosa citou 15 dos 24 atuais parlamentares.

Os deputados Pedro Satélite (PSDB), Sebastião Rezende (PSC), Mauro Savi (PSB), Gilmar Fabris (PSD), Romoaldo Junior (PMDB), Guilherme Maluf (PSDB), Baiano Filho (PSDB), Dilmar Dal’Bosco (DEM) e José Domingos Fraga (PSD) aparecem na lista dos beneficiados com a propina que era destinada para não investigar a atuação do governador.

O deputado estadual Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD) é acusado de negociar propina para conseguir a concessão da rodovia estadual MT- 130 que hoje é pedagiada. Os deputados Wagner Ramos (PSD), Silvano Amaral (PMDB) e Oscar Bezerra (PSB) são citados cobrando propina para aprovar as contas do último ano de gestão de Silval e também de pedir dinheiro para não envolver o ex-governador na investigação feita pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa.

Daltinho (SD) aparece como chantagista na delação. De acordo com a declaração, o parlamentar que era suplente na época, teria gravado os colegas falando sobre o recebimento do mensalinho e depois coagido os outros deputados para que ele permanecesse no cargo. Botelho por sua vez é acusado de receber vantagem indevida paga pela empresa FDL, que prestava serviços de gravames de veículos ao Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran/MT).

O que dizem sobre isso?

  1. Oscarlino, Antonio Vagner, Henrique, Edmundo e Gauchinho...corja suja...negociaram com o Taques e agora viraram a casaca...peca esse Antonio Vagner e veja se ele faz mais criticas ao Taques...nem a pau...mas há um ano atrás era só hostilidade...Oscarlino então, dá até nojo

  2. ONG submissa ao governador Pedro Taques. Toda vez que a assembléia fiscaliza de fato o governo ela a usa para pressionar a assembléia. Se essa ONG tivesse verdadeiro compromisso com a moralidade pública teria acionado a assembléia legislativa para instaurar uma CPI para investigar o Secretário de Educação Permínio Pinto, o coordenador de campanha do Taques, Alan Malouff e o próprio governador pelas fraudes em licitações na Seduc. Lembremo-nos que o Alan Malouf afirmou que os recursos desviados seriam para quitar dívidas de campanha do Pedro Taques. No caso dos grampos em que secretários estariam por via transversa investigando juízes, promotores, jornalistas, deputados também não vi qualquer movimentação desta ONG. No contrato que o governador Pedro Taques firmiu com uma empresa acusada de desvios também não vi esta ONG. Onde estava esta ONG nas pedaladas com recursos federais vinculados da Educação, no atraso de repasses municipais, nos atrasos de salários de servidores. Enfim, não passa de mais um instrumento do governo.

  3. Taques tem vários pelegos e capachos nos sindicatos, inclusos aí os da perícia - pelegos oficiais.

  4. Kkkkk adorei o titulo

Comente, sua opinião é Importante!

Pontuando rodapé