EM DEFESA DA SOCIEDADE

AL ago mais 2 com link

Reestruturação da Atenção Básica focada na prevenção às doenças e promoção à saúde marcaram 2017 em Cuiabá

Dessa forma a gestão objetiva evitar as superlotações nas policlínicas, unidades de Pronto Atendimento e Pronto Socorro

Release

Redação 225 acessos 1

Reestruturação da Atenção Básica focada na prevenção às doenças e promoção à saúde marcaram 2017 em Cuiabá

Humanizar os atendimentos em saúde à população cuiabana, proporcionando maior atenção em ‘Saúde Preventiva’ nos bairros onde de fato acontecem os principais problemas endêmicos.  Essa foi uma das determinações do prefeito Emanuel Pinheiro à Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Com a meta, a gestão objetiva evitar as superlotações nas policlínicas, Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas (UPA), Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá e ainda as esferas da alta complexidade. 

A Reestruturação da Atenção Básica focada na prevenção às doenças e promoção à saúde foi um dos caminhos delineados pela gestão para chegar, até meados de 2018, a 40 novas Equipes de Saúde da Família e se aproximar desta tão sonhada realidade.

Nesta entrevista, Elizeth Lúcia de Araújo que é graduada em Assistência Social, com especialização em Gestão de Serviços e Sistemas de Saúde e em Atenção Psicossocial. Atuou na Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e na Saúde Indígena, ocupou os cargos de secretária de Saúde do município de Juína e no Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), descreve como a SMS atuou ao longo de 2017 (primeiro ano de mandato) para tornar real este que promete ser o maior desafio da gestão, mas que também é um dos maiores anseios da população cuiabana e do prefeito Emanuel Pinheiro.

 

Como é estar à frente da maior pasta da Capital?

Elizeth de Araújo - Embora seja delicado e desafiador, pois trabalhamos com vidas e pessoas vulneráveis o tempo todo, ao mesmo tempo, é extremamente gratificante fazer parte desse processo de construção da Cuiabá 300 anos, que visa melhorias na qualidade dos serviços prestados, sempre prezando pela humanização e inclusão. Na Saúde, esses princípios instituídos pelo prefeito Emanuel Pinheiro, fazem a diferença na vida das pessoas, podendo inclusive salvar vidas. E estar frente a este processo, na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), é uma grande honra.

 

Como está o andamento das obras na Secretaria de Saúde?

Elizeth de Araújo- Das obras que recebemos 23 estavam paralisadas e 34 não iniciadas, totalizando 57. Muitas delas estavam em vias de perder os recursos e nós recuperamos com o apoio de alguns deputados federais, dentre eles o Valtenir Pereira. Havia 06 em andamento entre elas, o novo Pronto Socorro e as Unidades de Atendimento 24 horas (UPA) Leste e a Oeste. Então,  seguindo uma das determinações do prefeito Emanuel Pinheiro que é de dar seqüência às obras paralisadas ou inacabadas, concluímos a reforma do prédio da Vigilância Sanitária e iniciamos as obras de reforma e ampliação em 19 Unidades Básicas de Saúde (UBS) inclusive já entregamos a unidade do Programa de Saúde da Família (PFS) São João Del Rey e Novo Millennium totalmente equipada à população.  O montante para essas obras foi de R$ 1,5 milhão oriundos do Fundo Nacional de Saúde (FNS). A policlínica do Coxipó e a reforma do telhado e do quarto andar do Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (HPSMC) também foram realizadas, porém com recursos da própria gestão. Até março de 2018, estão no projeto a construção de um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (Caps AD III) que funcionam 24 horas por dia, e duas Unidades de Acolhimento. Em relação às UBS, lançamos 06 Unidades Básicas de Saúde (UBS) porte II e III que comportam mais Equipes de saúde da Família. E outras 10 também serão lançadas até março. No total 16 serão construídas. Além destas, outras 14 serão reformadas e 11 ampliadas; 16 serão reformadas e ampliadas com a previsão para o aniversário de 299 anos de Cuiabá.

 

O que mais está sendo realizado ou pensado para a reestruturação da Atenção Básica? 

Elizeth de Araújo - Outros avanços também foram proporcionados à Atenção Primária.  Objetivando, especialmente à humanização no ambiente de trabalho e no atendimento ao cidadão, demos seqüência ao processo de reestruturação das unidades com a aquisição de 100 novas poltronas para coleta de sangue entregues este mês e 250 aparelhos de ar condicionados. O investimento contemplará as 91 Unidades Básicas de Saúde de Cuiabá, ou seja, 100% da Atenção Primária. Ao longo deste ano, a SMS também adquiriu 03 Aparelhos de ultrassonografia - para dar celeridade na fila de espera da especialidade, 60 câmaras frias de última geração para o armazenamento de vacinas, 47 inaladores, 20 eletrocardiogramas, 70 armários vitrines para medicamentos, 34 bebedouros, 100 arquivos, 200 escadas, 15 mesas ginecológicas e uma série de outros itens que compõem a mobília das unidades de saúde.

 

Algo mais a ser dito quanto à reestruturação das unidades?

Elizeth de Araújo - Estamos melhorando as estruturas das salas de vacinação com a aquisição de 60 câmaras frias de última geração e reforçando o chamamento da população para que compareçam às unidades de saúde a fim de regularizarem suas cadernetas de vacina em todas as faixas etárias. Além disso, por Cuiabá ser considerada área endêmica para febre amarela, estamos fazendo o monitoramento e disponibilizando doses em todas as salas de vacinação da Capital. Essa é uma das melhores formas de fazer saúde preventiva.

 

O que a secretaria tem feito para atender pessoas que não tem acesso a atenção Básica de Saúde, a exemplo a Zona Rural?

Elizeth de Araújo - Fortalecemos o Programa ‘Consultório Itinerante’ e ao longo dos 12 meses já percorremos mais de oito mil quilômetros (km), levando cerca de 20 mil atendimentos de saúde às comunidades rurais que estão fora das áreas de abrangência da Estratégia Saúde da Família.

 

Quais outras avanços semelhantes a estes a SMS conquistou?

Elizeth de Araújo - O Laboratório Central de Cuiabá (Lacec) também bateu recorde de atendimentos em 2017. Apenas de janeiro a outubro deste ano, já foram realizados 786.033 exames e procedimentos laboratoriais, o que representa 233.317 a mais que 2016.  Além dos atendimentos realizados nas unidades primárias de saúde, somam-se ao montante o quantitativo de 15.101 exames e 11 mil tubos (coleta de sangue para diversos exames) destinados a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA) Pascoal Ramos, e às Policlínicas do Planalto, Verdão, Pedra 90 e a do Coxipó.

O resultado é a resposta de que a gestão não se abateu diante das dificuldades e de que assim como as demais áreas da SMS, os profissionais do Lacec fizeram mais com menos. Eles não se limitaram, seguiram a determinação de atender com humanização e, com isso, superaram as metas.

 

O mês do ‘Dezembro vermelho’, é dedicado ao combate do vírus HIV. Diante disso, vamos falar sobre o SAE, como de fato está o atendimento da Unidade às pessoas que buscam o tratamento para doenças sexualmente transmissíveis?

Elizeth de Araújo - A unidade é referência em atendimento contínuo e humanizado para pessoas soropositivas, com Hepatites Virais e IST em Cuiabá, e para outros municípios do Estado. O Serviço de Assistência Especializada (SAE) acaba acolhendo pacientes de Cuiabá e também do Estado. Para se ter ideia, cerca de 40 novos pacientes são diagnosticados por mês e iniciam o tratamento no SAE. Com esse número estamos totalizando uma média de 3500 pacientes mensais. Dessa forma, a equipe que é composta por médicos, dentistas, nutricionista, farmacêuticos, assistentes sociais, psicólogos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e técnicos de saúde bucal, trabalha incessantemente primando sempre pela dedicação e humanização nos atendimentos ofertados a todos estes pacientes. Além disso, os profissionais da Saúde trabalham de forma a conscientizar em relação à educação e prevenção em saúde visando à diminuição desses números.

 

Que outras medidas estão sendo implantadas para a conscientização, busca ativa e tratamento dos positivados com IST?

Elizeth de Araújo- Para evitar uma epidemia das IST em Cuiabá, especialmente da Sífilis, que é porta de entrada para o vírus do HIV, estamos trabalhando medidas para intensificar a conscientização da população sobre os riscos, investindo em medidas que dêem celeridade aos diagnósticos e tratamentos às doenças. Diante disso, criamos um protocolo de atendimento que será aplicado nas redes de atenção primária, secundária e terciária da Capital. Ele consiste em um processo de acolhimento, diagnóstico, tratamento e cura dos pacientes que convivem com essas doenças infecciosas por meio da capacitação de profissionais da enfermagem. Nosso objetivo é diminuir esse número preocupante e oferecermos o melhor atendimento que possibilite qualidade de vida a estes usuários do Sistema Único.

 

Voltando para a área de tecnologia, o que foi feito na SMS?

Elizeth de Araújo - Estamos reestruturando as unidades investindo em redes de informatização e sistemas. O objetivo é oferecer humanização, celeridade e transparência nos serviços do Sistema Único de Saúde da Capital. Também é finalidade estabelecer padrões de funcionamento com qualidade no atendimento e melhores serviços na atenção à saúde, potencializar o controle gerencial da própria gestão e contribuir para o controle social.

As implantações sistêmicas que tiveram início em maio de 201'7, já estão em pleno funcionamento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sul, no bairro Pascoal Ramos e no Centro de Distribuição de Medicações e Insumos do Município de Cuiabá (CDMC) e começam a ser implantadas no Hospital Municipal e Pronto Socorro de Cuiabá (HMPSC) e na UPA Norte, no bairro Morada do Ouro. Ao término de ambas, será a vez do Laboratório Central de Cuiabá (Lacec) e da Central de Regulação do Município receberem as atualizações tecnológicas.

 

Indo para as outras esferas da Saúde, como se deu a parceria com o Hospital Júlio Mulher para dar celeridade aos procedimentos de cardiologia do SUS?

Elizeth de Araújo- Assinamos um termo de cooperação técnica com o Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM), em julho de 2017, com o propósito de diminuir a fila de espera e a demanda reprimida de cardiologia, ortopedia pediátrica e otorrinolaringologia. A parceria instituiu o primeiro ambulatório de cardiologia do Município e os pacientes realizam, num único local, consultas, exames e o agendamento do procedimento recomendado pelo diagnóstico médico. Além disso, com o ato, reduzimos os números de questões judiciais já que estas são especialidades que geram uma grande demanda. Isso deverá reduzir consideravelmente a fila de espera num futuro próximo. Por outro lado, atacamos a demanda reprimida. Para se chegar à parceria identificamos, junto ao Hospital, a existência de estrutura física e equipamentos instalados para ofertar os serviços, porém um déficit de profissionais. Enquanto isso, o Município possui um número significativo de especialistas, sendo alguns do Centro de Especialidades Médicas (CEM) e do Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (HPSMC). A partir deste diagnóstico, foi elaborado um plano de trabalho e desde o dia 31 de julho está sendo executado.

 

Algo sendo feito para dar celeridade à fila de exames?

Elizeth de Araújo- É importante frisar que, desde o inicio do ano estamos trabalhando com uma força tarefa para sanar a demanda reprimida da Central de Regulação, exames e cirurgias em geral. Entregamos à população cuiabana três novos aparelhos de ultrassonografia de última geração. Um deles foi alocado no Ambulatório de Referência para Atendimento à Mulher (Aram) na Policlínica do bairro Planalto. Os outros dois aparelhos foram alocados no Centro de Especialidades Médicas (CEM) e na Policlínica do Coxipó. Os equipamentos foram adquiridos com recursos próprios e darão celeridade para os cerca de 45.570 pedidos de ultrassonografia geral que compunham a fila da Central Única de Regularização no mês de junho, incluindo atendimento infantil. Agora estamos formatando uma estratégia para reorganizar a fila de espera, obedecendo às urgências dos pedidos conforme classificação de risco do SUS.

 

E quanto à superlotação do Pronto Socorro, o que de fato foi feito?

Elizeth de Araújo - A nossa estrutura não consegue comportar o grande fluxo que chega ao PS, considerando que possuímos 271 leitos e a lotação no final do ano  estava em 346 pacientes, sendo que deste número, 144 se encontravam nos corredores do hospital. Diante disso, para desafogar e garantir seguramente o funcionamento mínimo do Pronto Socorro o prefeito Emanuel Pinheiro, determinou um choque de gestão com a instauração do Comitê de Crise mediante o decreto municipal, nº 6.405/2017. Nele uma série de medidas emergenciais decisivas foram pontuadas e adotadas por nós. Dentre eles os três mutirões de cirurgias ortopédicas realizados como ações específicas para a redução da superlotação. No total  foram atendidas  70 pessoas e realizados 120 procedimentos cirúrgicos. Destes, 40 eram de baixa e média complexidade e 30 de alta. 95% dessas pessoas receberam alta médica, o que assegurou fluidez e rotatividade no PS. Com isso, estamos gradativamente reduzindo a superlotação da unidade.

Além disso, estamos fortalecendo o projeto ‘desospitalização’ que nasceu em 2014, com base na Portaria 1208/13 do Ministério da Saúde, formulou estratégias e políticas para assegurar a saúde de pacientes que por vezes passavam meses e até anos no ambiente hospitalar, por doenças crônicas ou tratamentos de longo prazo. Ele será usado para melhorar o fluxo de atendimento no Pronto Socorro de forma a diminuir a superlotação na unidade, garantindo, sobretudo, a qualidade de vida e humanização. 24 pessoas  foram desospitalizadas com sucesso na Capital, desde a implantação do projeto e inclusive  sendo destaque no INFECTO - Congresso Goiano de Infectologia e Encontro de Ligas Acadêmicas de Infectologia, ocorrido em Goiânia – Goiás.

 

Aconteceram mutirões em outras especialidades na Saúde?

Elizeth de Araújo- Com o objetivo de reduzir a fila de espera para procedimentos médicos relativamente simples e médios, realizamos sete ‘Mutirão de Cirurgias’ no primeiro semestre. Um deles realizado no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (HPSMC) onde foram feitos 34 procedimentos cirúrgicos, a grande maioria de média complexidade em ortopedias. Outro considerado simples ocorreu na Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, onde foram realizadas 30 cirurgias de vasectomia.

 

Quais outras ações a secretaria está fazendo para se adequar ao plano de humanização do prefeito Emanuel Pinheiro?

Elizeth de Araújo- Estamos trabalhando com muito afinco para tornamos reais as metas instituídas no Plano de Governo do Prefeito Emanuel. Diante disso, além das ações que abordamos aqui, podemos citar a atuação da nossa equipe odontológica que por meio do ‘Programa Crescer Sorrindo’ orientou mais de 6 mil crianças contra as doenças e agravos bucais auxiliando para que haja saúde da boca e dos dentes. A Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) percorre as escolas com trabalho de conscientização sobre os cuidados e meios de combate ao Aedes aegypti e demais aos animais sinantrópicos.

Além disso, estamos implantando sistemas como o E-SUS e outros, de gestão em saúde, que permite tanto os gestores quanto a população cuiabana, acompanhar os trabalhos nas unidades. Na Vigilância Sanitária estamos implantando o E-VISA que está 50% encaminhado, após sua conclusão, o novo sistema permitirá a solicitação, realização e acompanhamento dos serviços via online. Tudo isso com atendimentos ágeis e oferecendo ao munícipe o conforto de realizá-lo de onde quiser. E, capacitamos e especializamos muitos de nossos profissionais pelo Instituto Sírio Libanês.

Esses avanços tecnológicos na SMS vêm para coroar a humanização dos serviços públicos na Cuiabá dos 300 anos, visando especialmente o bem estar e conforto da população cuiabana.

O que dizem sobre isso?

  1. Olá, sou Lucy Ramos pelo nome, QUERO COMPARTILHAR A MINHA EXPERIÊNCIA DE COMO EU FUI CURADO DO HIV POR MEDICINA HERBAL. Pode soar estranho! Nos últimos 5 anos, gastei muito dinheiro na compra de medicamentos anti-retrovirais para fortalecer meu sistema imunológico sistema e mantenha-me saudável, até que eu leia um artigo na internet sobre um Herbalist da África que usa ervas e raízes para curar o HIV e todo tipo de doenças. Penso que eu nunca acreditei que ele pode curar o HIV, mas eu decidi fazer uma tentativa porque eu estava desesperado. Então enviei uma mensagem ao ele no seu e-mail DR.ABUYAHERBALCURE@GMAIL.COM Ele preparou medicamentos fitoterápicos e envie-me através do DHL COURIER SERVICE e eu tomei como ele instruiu. 11 dias depois, fui ao hospital para fazer um checar-up, o resultado saiu e testei NEGATIVO. Estou compartilhando isso com você, porque acredito que há alguém lá fora que também desejam ter essa cura. sinta-se à vontade para enviar uma mensagem para ele em seu email DR.ABUYAHERBALCURE@GMAIL.COM ou ligue, E TAMBÉM CHAT COM HIN ATRAVÉS DE VIA IMO CHAT OU WHATSAPP +2347039225049, e estou certo de que ele estará disposto a ajudá-lo e você também terá um testemunho para compartilhar. informe as outras vítimas sobre isso. {1} HIV/AIDS {2 CANCER {3} HERPES {4} DIABETES (5} HEPATITIS B (6} HPV

Comente, sua opinião é Importante!

Pontuando rodapé