EM DEFESA DA SOCIEDADE

TCE abril

Hospital em Paranatinga está há seis meses sem receber do Governo

Problemas de repasses afetam 19 cidades da região Sul do Estado

Saúde

Redação 10886 acessos 3

Hospital em Paranatinga está há seis meses sem receber do Governo
Marcio Camilo

Continua a sangria dos hospitais nos municípios de Mato Grosso em relação à falta de repasses do governo para a área de Saúde. Em Paranatinga ( a 390 km de Cuiabá), por exemplo, a prefeitura está há seis 6 meses sem receber do Estado recursos importantes para a manutenção do hospital da cidade.

Atualmente a gestão municipal arca com 29% das verbas aplicadas na unidade, devido à falta de repasses do governo. Pela lei, a prefeitura deveria bancar 15% dos recursos e o Estado 12%. Há também participação do Governo Federal (7%).

O hospital já passou por dificuldades maiores, quando o governo chegou a atrasar os repasses em oito meses.

Na verdade a falta de repasses afeta 19 municípios da região sul Mato Grosso. O problema é discutido constantemente nas reuniões do CIR – encontros mensais dos secretários de Saúde do Polo Sul.

A reclamação dos gestores rendeu até uma articulação dos prefeitos da região que se mobilizaram para se reunirem com o governador Pedro Taques (PSDB) no Palácio Paiaguás em Cuiabá. Eles expuseram a gravidade da situação e cobraram do governo providências imediatas para resolver a falta de repasses que gera grandes prejuízos ao atendimento da população mais carentes no interior do Estado.

A falta de repasses na área de Saúde tem afetado o Estado com um todo desde o começo do ano.

A situação se agravou ao ponto de o governo ter que publicar, em janeiro, um decreto de situação de emergência envolvendo sete hospitais em Mato Grosso: Hospital Metropolitano de Várzea Grande (na região metropolitana de Cuiabá), nos Hospitais Regionais de Sorriso que tem uma cobertura de 500 mil pessoas em toda a região, Alta Floresta com 105 mil pessoas, Colíder que atende 70 mil pessoas, Rondonópolis que é responsável pela cobertura de cerca de 500 mil pessoas em 19 municípios, Cáceres com 400 mil pessoas distribuídas em 14 municípios e Sinop também com abrangência de 500 mil pessoas.

Outro lado

A reportagem procurou a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) para se manifestar diante do problema. No entanto, a SES alegou, por meio da assessoria,  que o prazo de fechamento desta matéria era muito curto para que a secretaria conseguisse a resposta em tempo hábil junto ao setor financeiro.

O site Mpopular estabeleceu prazo de uma hora para que a SES encaminhasse nota sobre o assunto até a publicação. Após veiculada a matéria, o espaço ficou à disposição da Secretaria para esclarecimentos, o que até o momento não aconteceu.

Leia mais sobre o assunto: Decreto paralisa atendimento de urgência em 7 Hospitais Regionais de MT e 2,5 milhões de pessoas ficam sem atendimento

Veja vídeo:

 

O que dizem sobre isso?

  1. Significado de Traque: Expressão onomatopaica que designa qualquer estalo; estrépito, estouro. [Chulismo] Ventosidade que sai com estrépito do ânus; peido. [Brasil] Artefato pirotécnico!

  2. Cadê o MP? Se fosse o governo anterior o MP ia obrigar ao repasse. Nesse governo o MP é cordeirinho.

  3. Parabéns Muvuca por percorrer todo o estado mostrando essa calamidade que está aí. Sua voz servirá para nossas reflexões neste ano eleitoral

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG