EM DEFESA DA SOCIEDADE

AL ago mais 2 com link

Investigadores pedem autonomia financeira para unidades da PJC

Segundo a categoria, as unidades estão totalmente degradada e abandonadas.

Sindicatos

Redação 1671 acessos 1

Investigadores pedem autonomia financeira para unidades da PJC
Claryssa Arruda

Um grupo de investigadores procura a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para reivindicarem mudanças no estatuto da Polícia Judiciária Civil, a independência financeira, o direito de votação para a escolha do diretor-geral, entre outros. A reunião foi com o deputado estadual Wancley Carvalho (PV), que também é servidor público da segurança.

Segundo um dos investigadores que esteve na reunião, Alessandro Moreira, o encontro foi marcado com o parlamentar para debaterem algumas pautas e pedir apoio. Com a eleição a dois meses de ser realizada, o Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil (Siagespoc-MT) avalia os candidatos, no qual se mostrarem com a melhor proposta.

Na reunião com o parlamentar na Casa de Leis, os investigadores pedem apoio para a mudança no estatuto em questão da escolha do diretor-geral da Polícia Judiciária Civil, que deve ser feito com democracia.

“Exigimos que o diretor seja escolhido por votação das três categorias, o investigador, escrivão e delegado. Nós também temos o direito de escolha”, disse Moreira.

Outra exigência da categoria é a permanência efetiva de membro de investigador e do escrivão no Conselho Superior da Polícia Judiciária Civil. Para Moreira, eles estão “de fora”, como se não fossem servidores. A Polícia Judiciária Civil é composta por três categorias, que são: delegados, investigadores e escrivães.

“Agente percebe de certa maneira, que estamos ficando de escanteio. Nós somos o maior número de servidores de policiais judiciários civis e somos tratados de forma desigual. Para o nosso entendimento, as três categorias devem compor o a diretoria”, destacou.

Oura reivindicação da categoria é a formação para ingressar no meio policial. Apesar da exigência da formação superior para ingressar no cargo, as carreiras estão sendo aceitas como nível intermediário e ainda “legal”.

“Além da questão do nível para ingressar na carreira, nós viemos aqui e tivemos acesso há alguns dados em questão da mudança do estatuto, no qual nos preocupa pensando no momento em que estamos e no futuro também”, disse.

Moreira não deixou de dizer também, que a Polícia Judiciária Civil precisa da independência orçamentária, uma vez que as unidades estão totalmente degradadas e abandonadas pelo governo de Mato Grosso. Desde maio deste ano, o Sindicato, vem lutando por um diálogo com o Governo do Estado para exigir os direitos dos servidores públicos de Mato Grosso.

“A independência orçamentária das nossas unidades estão degradadas por falta de gestão e com a autonomia orçamentária, com certeza isso aí melhoraria”, enfatizou o investigador.

O deputado Wnacley Carvalho concluiu dizendo que anotou as reivindicações e que as conquistas serão alcançadas.

 “Os investigadores vieram para trazer propostas e se atualizarem sobre algumas pautas que estão sendo trabalhadas. Na oportunidade, debatemos sobre as mudanças do estatuto da polícia civil que tem que ser feita. Além da mudança na tabela salarial, autonomia da finanças e votação para diretoria”, explicou.

Leia Mais

Candidato a presidência do Siagespoc, Bregunci nunca foi investigado por desvio na FMEU

Presidente de Sindicato da Polícia Civil entra na mira do MP por desvios em contribuições

 

O que dizem sobre isso?

  1. Pra variar, o governo não está dando conta de manter as unidades. Pedro Taques não está fazendo NADA!!!

Comente, sua opinião é Importante!

Uninter - Banner JPG