Com Lula preso, procuradores da Lava Jato colocam Dilma no foco das investigações | MUVUCA POPULAR

Sábado, 19 de Outubro de 2019

BRASIL Quarta-feira, 11 de Setembro de 2019, 08h:42 | - A | + A




Com Lula preso, procuradores da Lava Jato colocam Dilma no foco das investigações

Investigações têm como base delações de Palocci. Acusações motivaram buscas na casa da ex-presidente da Petrobras, Graça Foster, e também miraram Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda


redacaomuvuca@gmail.com

foto-dilma-rousseff.jpg

Ex-presidente Dilma Rousseff | Foto: Reprodução

As mais recentes operações da Lava Jato, deflagradas em 23 de agosto e nesta terça-feira (10), colocaram na mira a ex-presidenta Dilma Rousseff. As investigações se concentram em pessoas ligadas a ela, além de tratar do financiamento das suas campanhas presidenciais, em 2010 e 2014. Enquanto investigações anteriores focavam no entorno de Lula, os principais alvos destas são pessoas próximas à ex-presidenta, evidenciando mais um capítulo de perseguição sem fim aos governos petistas.

Batizada de Pentiti, a 64ª fase da Lava Jato foi uma referência às acusações do ex-ministro Antonio Palocci. Tais acusações motivaram buscas na casa da ex-presidente da Petrobras Graça Foster, nomeada em 2012 por Dilma, e também mirou Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda.

Ambos são acusados por Palocci de usar negócios da Petrobras para arrecadar fundos para a campanha de Dilma. Palocci afirmou ter sido informado por Lula que “entre Graça Foster e Guido Mantega havia um fluxo de informações permanentes, de modo que a então presidente da Petrobras passava listas de empresas que a estatal auxiliava ou que acabara de efetuar grandes pagamentos”.

Já a 65ª etapa levou à prisão nesta terça de Márcio Lobão. Segundo o MPF, ele e o pai, Edison Lobão, solicitaram e receberam propinas dos Grupos Estre e Odebrecht em R$ 50 milhões entre 2008 e 2014 e há indícios de que o filho do ex-senador permanecia praticando o crime de lavagem de dinheiro em 2019.

Edison Lobão e o filho Márcio Lobão já são réus na Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia aceita pela Justiça trata de crimes cometidos, segundo o MPF, entre 2011 e 2014, no valor de R$ 2,8 milhões, por intermédio da Odebrecht.

Com informações da reportagem de Wálter Nunes, publicada na edição desta quarta-feira (11) da Folha de S.Paulo

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

alexandre - 11-09-2019 09:08:21

Ela vai pagar pelos erros do lula...

Responder

1
1


1 comentários