200 mil pessoas estão na miséria absoluta em Mato Grosso | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019

CIDADES Quinta-feira, 07 de Novembro de 2019, 06h:20 | - A | + A




Biafra

200 mil pessoas estão na miséria absoluta em Mato Grosso

Extrema pobreza atinge parcela da população num dos estados mais "ricos" do Brasil


Muvuca Popular

Embora se vanglorie da condição de grande produtor, a concentração de renda é um dos endemas sociais de Mato Grosso, onde foi identificado, de acordo com critérios do Banco Mundial um quadro de miserabilidade alarmante, com 91 mil pessoas vivendo na extrema pobreza.

Os dados são de 2018, e apontou que 2,4% da população do estado vive com renda per capta inferior a R$ 145,00 ou U$S 1,9 por dia. Deste total, 19 mil indivíduos (3,1%), em Cuiabá. Dados como estes fazem parte da Síntese de Indicadores Sociais (SIS) divulgada, ontem (06), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A informação foi publicada no jornal Diário de Cuiabá desta quarta-feira (07).

 apurou que 17,1% da população vive em situação de pobreza, com renda média diária de R$ 21,34. De acordo com o IBGE, a pessoa que ganha menos que R$ 406 por mês se enquadra em situação de pobreza. Já quem dispõe de menos de R$ 140 por mês vive em situação de extrema pobreza.

200 mil miseráveis

Já o Cadastro Único do governo federal aponta um dado mais alarmante. Divulgado em agosto de 2019, o CU aponta que quase 200 mil pessoas vivem em situação de pobreza extrema em Mato Grosso. Do total, 119.757 estão em situação extrema de vulnerabilidade alimentar, ou seja, têm renda familiar per capita mensal de R$ 89.

Além da renda, o índice leva em consideração o acesso a saneamento básico, água tratada e grau de instrução dos membros da família.

Conforme o Mapeamento da Insegurança Alimentar e Nutricional (Insan), divulgado no site do Ministério da Cidadania, os municípios em situação mais crítica são Comodoro, Ribeirão Cascalheira, Rosário Oeste e Porto Esperidião.

Desigualdade

 

A pesquisa do IBGE divulgada ontem mostra que a desigualdade entre cor e raça permanece em relação a distribuição de renda. Em Mato Grosso, o rendimento mensal domiciliar médio das pessoas de cor e raça preta ou parda corresponde a 63,1% ao rendimento das pessoas brancas.

Dos 10% da população com menor rendimento no estado, pretos e pardos representam 74,9%. Os brancos, 23,7%.

Já em relação aos 10% de pessoas com maior rendimento no estado, a população branca é maior e representa 54,4%. Os negros e pardos somam 43,9%.

Renda per capta

No país, o levantamento aponta para 13,5 milhões pessoas com renda mensal per capta inferior a R$ 145 ou na condição de extrema pobreza. Esse número é equivalente à população de Bolívia, Bélgica, Cuba, Grécia e Portugal. Embora o percentual tenha ficado estável em relação a 2017, subiu de 5,8%, em 2012, para 6,5% em 2018, um recorde em sete anos.

No Estado, o valor estimado da renda dessas pessoas é de R$ 144, o que corresponde a 2,4% do total de mato-grossenses estimado em 3,4 milhões. Contudo, Mato Grosso ocupou a sexta colocação entre os estados brasileiros menos desigual. Neste caso, Santa Catarina apresentou o menor percentual de pobres, seguido do Distrito Federal, Rio Grande do Sul, São Paulo e Paraná. Além disso, do centro-oeste, foi o segundo com menor número de pessoas vivendo na extrema miséria. No vizinho Mato Grosso do Sul são 79 mil, no Distrito Federal, 92 mil e, em Goiás, são 214 mil.

O levantamento mostra que o rendimento mensal domiciliar per capita dos residentes em domicílios particulares no território mato-grossense é de R$ 1.025 a R$ 1.382. O valor segue a média mensal real domiciliar per capita, considerando todas as fontes de renda, subiu de R$ 1.285 em 2017 para R$ 1.337, em 2018. No entanto, o valor caía a pouco mais da metade da média nacional nas regiões mais pobres do país: no Nordeste, era de R$ 815 em 2018; e no norte, R$ 886. Na região sudeste, o rendimento médio mensal domiciliar per capita foi de R$ 1.639, mais que o dobro do recebido pelos nordestinos.

Conforme o SIS, a pobreza atinge sobretudo a população preta ou parda, que representa 72,7% dos pobres, em números absolutos 38,1 milhões de pessoas. E as mulheres pretas ou pardas compõem o maior contingente, 27,2 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza. Em 2018, pessoas de cor ou raça preta ou parda tiveram rendimento médio domiciliar per capita de R$ 934, quase metade do rendimento de R$ 1.846 das pessoas de cor ou raça branca. Entre 2012 e 2018, houve ligeira redução dessa diferença, explicada por um aumento de 9,5% no rendimento médio de pretos ou pardos, ante um aumento de 8,2% do rendimento médio dos brancos. “Mas tal redução não foi capaz de superar a histórica desigualdade de rendimentos, em que brancos ganham o dobro de pretos e pardos”, informou.

Em relação às condições de moradia, 56,2% (29,5 milhões) da população abaixo da linha da pobreza não têm acesso a esgotamento sanitário; 25,8% (13,5 milhões) não são atendidos com abastecimento de água por rede; e 21,1% (11,1 milhões) não têm coleta de lixo. Tanto em relação às inadequações habitacionais como em relação à ausência de saneamento, as proporções registradas são maiores entre pretos e pardos do que entre brancos.

Para o gerente do estudo, André Simões, são necessárias políticas públicas para combater a extrema pobreza, pois ela atinge um grupo mais vulnerável e com menos condições de ingressar no mercado de trabalho. “Esse grupo necessita de cuidados maiores que seriam, por exemplo, políticas públicas de transferência de renda e de dinamização do mercado de trabalho. É fundamental que as pessoas tenham acesso aos programas sociais e que tenham condições de se inserir no mercado de trabalho para terem acesso a uma renda que as tirem da situação de extrema pobreza”, disse.

Conforme informações da assessoria de imprensa do IBGE, o valor do indicador de pobreza do Bolsa Família, R$ 89, é, inclusive, inferior ao parâmetro global de R$ 145, o que mostra que o benefício não é suficiente para tirar as pessoas da extrema pobreza. O pesquisador do IBGE Leonardo Athias explicou que, em 2011, o valor de R$ 70 para o Bolsa Família era compatível com o valor global da época, de US$ 1,25 por dia. “Por falta de correções monetárias, hoje o valor de R$ 89 é abaixo do valor global indicado pelo Banco Mundial”, destacou.

O levantamento também apontou que, embora um milhão de pessoas tenham deixado a linha de pobreza – rendimento diário inferior a US$ 5,5, medida adotada pelo Banco Mundial para identificar a pobreza em países em desenvolvimento como Brasil – um quarto da população brasileira, ou 52,5 milhões de pessoas, ainda vivia com menos de R$ 420 per capta por mês. O índice caiu de 26,5%, em 2017, para 25,3% em 2018, porém, o percentual está longe do alcançado em 2014, o melhor ano da série, que registrou 22,8%.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(14) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Silva - 07-11-2019 11:51:59

Midia informa: IBGE: 13,5 milhões de brasileiros volam a pobreza extrema. (Verbo voltar). Mega leilão do petróleo frustra e faz o dolar disparar(incompetência). Sem questionar, imprensa endossa terrorismo contra porteiro de Bolsonaro. (Pobre coitado). Leilão do pré-sal tem novo fracasso: 4 dos 5 blocos não recebem propostas. Bolsonaro decide liberar mineração em terra indígena. Governo Bolsonaro eleva projeção de pibinho de 0,8 por cento para 0,9 por cento. Pacote de Guedes acaba com fundo público e direciona dinheiro para banqueiros e rentistas. Novo responsável pelo setor da cultura, Marcelo Alvaro ja foi denunciado no esquema do laranjal do PSL. E ainda tem loucos querendo falar do PT.

Responder

4
1


alexandre - 07-11-2019 11:08:30

A esquerda populista e gastadora, destroí o pais em 15 anos e quer que Bolsonaro resolva em 10 meses ....14 milhoes de desempregados foi o saldo do lulopetismo..

Responder

1
7


maria - 07-11-2019 11:47:53

Mimimimi........o mesmo ...foi o Lula ,foi a Dilma ,o Hugo e o Fidel ..mimimi....repeteco ...aiaiai....múuuuuu..é do Gado !!!

Responder

3
1


Gilmar - 07-11-2019 09:17:27

Ainda são capazes de por crianças no mundo para fazer parte disso, que triste

Responder

1
1


Vanuzia - 07-11-2019 09:16:53

E ainda tem gente perdida achando que vai melhorar.

Responder

4
0


alex r - 07-11-2019 09:45:56

Isso ai moça, entra politico e sai politico só o que querem é roubar o país! Vamos ver se vcs se lembram disso: " Nas favelas, no Senado Sujeira pra todo lado Ninguém respeita a Constituição Mas todos acreditam no futuro da nação Que país é esse?

Responder

3
0


Vanuzia - 07-11-2019 09:14:17

E ainda tem gente perdida achando que vai melhorar.

Responder

4
0


Clovez - 07-11-2019 09:13:03

Os únicos que saíram da pobreza foram os políticos

Responder

7
0


Izael - 07-11-2019 09:12:38

A Culpa é do Bolsonaro..SQN

Responder

4
1


Grillo Falante - 07-11-2019 08:46:09

POIS É ,quando o HOMEM mais ¨ONESTO¨que ia ¨CONcERTAR ¨o Brasil entrou ,o GADO achou que era verdade !!! E ai ,vivem dizendo; o Dólar caiu ,a Bôlsa subiu ,o ¨omi onesto¨tá arrumando tudo !!!kkkk...só que não ,a nós do povão não interessa Bôlsa e Dólar ,de nada adianta ,o que nos interessa é ; PIB subindo - Balança Comercial nas Alturas ,o que vai gerar Empregos e Renda !!! Viram ontem o FRACASSO do LEILÃo do PRÉ-SAL ,o investidor estrangeiro não acredita no que o BOZZÓ e o GUEDES diz ,em nada !!! Sabem que sem crescimento ,distribuição de renda ,balança favorável o Brasil será o CHILE do amanhã !!! As 18 MAIORES FORTUNAS dos Estados Unidos ,enviaram uma carta ao TRUMP ,dizendo que é urgente a distribuição de renda e fomento aos descamisados do mundo . Sob PENA de CONVULSÕES SOCIAIS em todo o Planeta !!! Isso já aconteceu no Chile ,Equador ,Argentina ,Nicarágua e vai acontecer no BRASIL ,se não tirarem o JUMENTO da Presidência !!! Por tudo issonão vieram ao LEILÂO FRACASSADO !!! E então a PETROBRÁS não estava QUEBRADA Assim diziam o GADO ,a Miriam Leit'ao ,a Jovem Pan ,Record ,Band etc... Foi ela que adquiriu ,felizmente a maior fatia do Pr[e-Sal !!! OTARIOS !!!

Responder

5
3


alex r - 07-11-2019 09:43:25

Grilo vc estudou economia? VC sequer olhou os índices sociais desse ano? Não estou aqui defendendo o molusco ou os alienados ptistas, estou querendo saber se vc viu que os índices do inicio do ano pra cá subiram estratosfericamente e vão continuar por 2 motivos simples: 1- perda de direitos, 2- pelas politicas econômicas que priorizam os ricos... Cara faz igual a mim não tenha politico de estimação pq politico é o câncer da sociedade.

Responder

2
6


- 07-11-2019 09:59:34

Nao e necess[ario apenas estudar Economia Alex.antes de tudo e preciso PRATICAR !!! Senao vejamos - OS NÚMEROS MOSTRAM A ECONOMIA DESLIZANDO PARA O ABISMO Três indicadores centrais, três eixos do BALANÇO EXTERNO da economia para 2019, são NEGATIVOS, mostrando desconfiança na política econômica. DÉFICIT EM TRANSAÇÕES CORRENTES – A soma dos déficits no comércio exterior e na conta capitais, em 2018 (até setembro) foi de US$18 bilhões e em 2019 até setembro já está em US$34 bilhões, quer dizer, quase dobrou. Essa foi a perda em moeda forte que o País sofreu, somando todos os déficits. Significa que isso foi o que o País perdeu em RESERVAS de moeda forte, SAIU MAIS DÓLAR DO QUE ENTROU, 2019 está sendo péssimo na área externa. Houve um incremento no déficit causado pelo aumento das IMPORTAÇÕES e pelo AUMENTO NA REMESSA DE DIVIDENDOS, enquanto houve uma queda na entrada de capitais estrangeiros. A REMESSA DE LUCROS e DIVIDENDOS subiu de US$14 bilhões para US$20 bilhões (até Set/19), enquanto a ENTRADA de capital estrangeiro caiu para US$ 47 bilhões, quando em 2018 (até Set) foi de US$54 bilhões, quer dizer TODOS os indicadores de 2019 são piores. Onde está a confiança do mercado nesse “dream team” do Ministro Guedes? Os elogios não se transformam em algarismos, ficam só em conversa. Por conta desses números o Brasil perdeu reservas internacionais, importou mais em detrimento da indústria nacional, recebeu menos capital de fora, as multinacionais remeteram mais lucros invés de investir no País, o que acontece em anos de prosperidade. É uma tendência de perda na economia. E note-se que nessa conta de entrada de capital estrangeiro estão duas grandes desnacionalizações, a venda do GASEN-Gasoduto do Nordeste, pela PETRONRAS para a ENGIE francesa, por quase US$9 bilhões e as vendas de reservas do pré-sal, quer isso dinheiro para comprar o que já existe e não para criar riqueza nova com emprego novo, é dinheiro contabilizado pela venda de BENS NACIONAIS. A orientação ortodoxa neoliberal de MENOS ESTADO e MAIS MERCADO é a mesma entre as gestões Henrique Meirelles e Paulo Guedes, MAS com uma grande diferença de resultados. Meirelles é um CONSERVADOR em política econômica, mede cada passo e não arrisca. Guedes é um aventureiro cheio de ideias, sem experiencia anterior em cargos públicos, ansioso e apressado, não tem nenhuma visão maior de País e Estado, é tudo pelo mercado, o que é uma pobreza intelectual rara em Ministros da área econômica no Brasil. Delfim e Mario Simonsen tinham belos livros publicados antes de serem Ministros, Roberto Campos e Celso Furtado eram grandes intelectuais quando nem sonhavam com Ministérios, todos tinham visão de mundo e filosofia política sólida em torno do pensamento histórico. Delfim, Simonsen, Campos e Furtado era homens de espírito e cultura, além de políticos. Guedes tem a pressa do especulador de curto prazo, sabe que seu tempo é curto e arriscado e vai dobrar e triplicar apostas em ideias erradas.

Responder

3
2


Grillo Falante - 07-11-2019 10:23:35

Que números você viu ? Os números do IBGE dizem exatamente ao contrário ,basta observar o crescimento INFORMALIDADE !! Não confunda emprego com informalidade. O crescimento de pessoas desalentadas ,cresce assustadoramente a cada trimestre ,o fechamento de fabricas em são Paulo foram de 5.000 no trimestre ,o número de miseráveis é exorbitante e cresce a cada dia ,as familias endividadas( inadimplentes) está em patamar de dar medo 63% .Desemprego em 12,8%,13,6 milhoes de miseráveis ,crescendo desde 2015/2019 com viés de alta. Só tivemos alguns poucos bons Economistas - Delfim Neto -Roberto Campos -Mario Henrique Simonsen ,são alguns deles . Todos eles centrados ,pés no chão ,ortodoxos ,não um Guesdes ,este aviaozinho teco-teco ,sem leme e sem rumo . Até nos Estados Unidos ,sabe-se agora ,que apoiar Ricos ,como voce disse ,não dá certo . Dá-se sim Tragédias ,como a do Chile !!!

Responder

6
1


Carlos Nunes - 07-11-2019 08:02:49

Pois é, quando o cara mais honesto do Brasil, que tá preso porque foi condenado na segunda instância...mas hoje o Supremo vai acabar com a prisão na segunda instância...disse da famosa frase: "Não se preocupem, não tem crise, é só uma Marolinha." MENTIU. A vaca da Economia foi parar no meio do brejo atolada até o pescoço. Vendo os discursos dos 300 dias do Governo do BOLSONARO...dá pra imaginar que a vaca da Economia, além do brejo foi parar na UTI. E paciente na UTI tem que dar medicamento forte, senão ele morre. O povo brasileiro como sempre vai pagar a conta NA MARRA, sem choro nem vela. Ih! Já vi esse filme lá na Grécia, onde desgovernos afundaram a Nação, e o valoroso povo grego tá pagando a conta até hoje. Os 14 Milhões de Desempregados não apareceram da noite pro dia...foi consequência de uma série de erros, tais como: Má Gestão, Políticas Econômicas Erradas, Prioridades Equivocadas, além de uma roubalheira desgraçada. Enquanto a vaca da Economia tava indo pro brejo, tio Lula e tia Dilma emprestavam BILHÕES DE REAIS lá fora, pros compadres, uai. Tio Álvaro Dias revelou que foram emprestados nesses governos, mais de 700 BILHÕES DE REAIS - disso 200 BILHÕES foram retirados do FGTS/PIS-PASEP/FAT tudo do trabalhador, e o resto, como o caixa do governo tava vazio, foi captado no Mercado Financeiro a juros de 14,5%, enquanto o BNDES emprestava pros compadres a juros de 4 a 5%. Quem pega dinheiro pagando 14,5% e empresta a juros de 4 a 5%? Qual foi a comissão que ganharam nisso? BOLSONARO não abriu a caixa preta do BNDES até hoje. Por que tio Lula e tia Dilma, em vez de emprestar lá fora, não aplicaram esses BILHÕES aqui dentro mesmo, pra gerar Milhares de Empregos? E a turma preocupada com o coitado do Queiroz, que já tá com um pé na cova, porque pegou um câncer brabo. Quero saber o que aconteceu com esses BILHÕES DE REAIS...Tem que fazer o GPS desse dinheiro pra saber em qual bolso foi parar...O povo brasileiro ficou com o bolso vazio...enquanto a turma encheu os bolsos com BILHÕES, uai. E, nós, os idiotas, digo os eleitores, ficamos sem saber de nada disso...Ficamos cegos, surdos e mudos.

Responder

3
4


14 comentários