Discreto, Gésio Amadeu abriu caminho para os negros na TV | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020

ENTRETENIMENTO Quinta-feira, 06 de Agosto de 2020, 11h:05 | - A | + A




LUTO

Discreto, Gésio Amadeu abriu caminho para os negros na TV

Qualidade admirável, a discrição acabou impedindo Gésio Amadeu de ter o status merecido. Ele nunca quis ser celebridade, jamais apelou à exposição forçada para atrair flashes e fãs. Mesmo recatado, escreveu seu nome na história das telenovelas e deu imensurável contribuição para a luta dos artistas negros por espaço relevante na televisão. Na quarta-feira (5), o ator morreu aos 73 anos, vítima de falência de múltiplos órgãos em decorrência da covid-19. Saiu de cena com a temperança de sempre.

Mineiro, ele estreou na TV em grande estilo: fez em 1968, na Tupi, a novela Beto Rockfeller, escrita por seu amigo Bráulio Pedroso. A trama é considerada um divisor de águas na história da teledramaturgia brasileira por ter apresentado um jeito moderno de se fazer ficção popular. Nos anos seguintes, Gésio esteve no elenco de outros sucessos, como A Cabana do Pai Tomás (Globo), Éramos Seis (Tupi), O Direito de Nascer (Tupi) e os Imigrantes (TV Bandeirantes). Na década de 1980 se destacou como o escravo Fulgêncio em Sinhá Moça (Globo), quando teve cenas comoventes com os gigantescos Grande Otelo (1915-1993) e Ruth de Souza (1921-2019).

Participou de Ana Raio e Zé Trovão (Manchete), Renascer (Globo) e Sangue do Meu Sangue (SBT). Em 1997, virou ídolo das crianças ao atuar como Chico, o simpático chef de cozinha de Chiquititas (SBT). Logo depois apareceu no fenômeno Terra Nostra (Globo). Voltou a agradar ao público infantil na pele do Tio Barnabé em O Sítio do Pica-Pau Amarelo (Globo). O último personagem também habitava o universo dos telespectadores mirins: o Seu Andrade da série Bugados, do Gloob.

O ator nunca foi protagonista, mas sempre conseguiu ampliar sua presença diante das câmeras por meio da emoção e do humor enxertados em seus personagens. Sem ativismo explícito, mas com consciência de seu papel social, se fez referência de negritude na televisão — muitas vezes era o único negro no elenco. Sua presença no vídeo e as interpretações eficientes inspiraram muitos jovens a desafiar o racismo para também seguir carreira artística.

O agora saudoso Gésio Amadeu poderá ser visto em breve na edição especial de Flor do Caribe, que sucederá Novo Mundo na faixa das 18h da Globo em setembro, e também na reprise de A Viagem, a partir de dezembro, no Canal Viva. Assistir a ele será uma maneira de prestar merecida homenagem e, ao mesmo tempo, apreciar de novo seu talento e simpatia em cena.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Saúde em 1º lugar
Corona nas eleições
Distribuição de absorventes 
Lucas do Rio Verde
Atingidos pelo fogo

Últimas Notícias
01.10.2020 - 16:12
01.10.2020 - 15:05
01.10.2020 - 14:15
01.10.2020 - 14:07
01.10.2020 - 14:03


Muvuca (PL)

Adevair Cabral (PTB)

Chico 2000 (PL)

Misael Galvão (PTB)

Ricardo Lobo (PL)

Aladir (PL)

Sargento Joelson (SD)

Juca do Guaraná (MDB)

Luluca Ribeiro (MDB)

Macrean

Ralf Leite (MDB)

Renivaldo Nascimento

Toninho de Souza

Edna Sampaio (PT)

Robson Cireia (PT)

Ricardo Saad

Oseas Machado (MDB)

Rogério Varanda

Alex Ribeiro (PP)

Maurélio (PSDB)

Dudu Santos

Marcelo Bussiki

Vinícyus Clovito

Diego Guimarães

Mário Nadaf

Marcos Veloso

Gisele Almeida

Orival do Farmácia

Wilson Kero-Kero

Dr. Xavier

Justino Malheiros

Zidiel Coutinho

Sargento Vidal

Dídimo Vovô

Clebinho Borges

Júlio da Power

Jamilson Moura

Emídio de Souza (PSL)

Adalberto Cavalcanti

Ricardinho

Kako do CPA

Dilemário Alencar

Max Campos (PSB)

Cezinha Nascimento

Edienes Hadassa

Dr Luiz Fernando

PF Rafael Ranalli

Gabriel Henrique

Itamar Jefferson (PL)

Cristiano Paraqueda

Sebastião Moraes

Daniel

Justino Campos

Rafael "Faré"

Darley Gonçalves

Osmar Rodrigues "Chefinho"

Elenir Pereira

Prof.instrutor Joaquim Neto

Diogo Fernandes

Ade Silva

Sargento Ozeni

Dito Paulo

Paulo Macedo

Luiz BA

Professor Frankes

Paulo da VGDI

Valdemir MM

Weto Salgado

Dr. Daúde

Bob Medina

Wagner Vinícius

Luis Carlos

Carlos Henrique do Correio

Adv Cris

Elenir Pereira

Zé Carlos

Luis Cláudio

Huelton Souza

Rosenil Luiz (Canelinha de pacu) (PL)

Sargento Ozeni

Luiz Poção (PL)

Edilson Odilon (PL)

Paulinho CPA

Germânio Araújo

Chico do Leblon

Delegado Garcia

Renato Anselmo

Cleber Adôrno

Doidinhoducorte

Neno do Pascoal Ramos

Prof. Jorginho



Informe Publicitário