Bolsonaro acha que OAB não passa de "caça-níquel", e vai extinguir exame | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 24 de Abril de 2019

ESPECIAL Domingo, 30 de Dezembro de 2018, 06h:52 | - A | + A




Bolsonaro acha que OAB não passa de "caça-níquel", e vai extinguir exame

Presidente diplomado se juntou a outras entidades que acham a OAB prejudicial à sociedade

Bolsonaro vai acabar com exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). É o que espera Carlos Otávio Scheneider presidente da Associação Nacional dos Bacharéis em Direito (ANB), com sede em Porto Alegre, RS. Além da ANB, e que mantém distância da OAB, ainda existem a Ordem dos Bacharéis do Brasil (OBB), União Nacional dos Bacharéis em Ação (UNBA), Organização dos Acadêmicos e Bacharéis do Brasil (OABB), entre outras (e todas críticas da “oficial” OAB).

As associações surgiram porque 90% dos bacharéis reprovam no exame da OAB, e sem a “carteirinha” esses bacharéis não podem ser chamados de advogados ou “doutores” (o título de doutor foi dado por decreto de Dom Pedro I em 1825). O número exato de bacharéis não é conhecido, e o que se estima é que existam 5 milhões de bacharéis para pouco mais de 1 milhão de advogados (inscritos na OAB). Ou seja, sem o exame da OAB existiria 1 advogado para cada 33 brasileiros.

Apenas em Mato Grosso são 22 mil com a “carteirinha vermelha” da OAB (1 advogado para cada grupo de 150 mato grossenses), sem contar os bacharéis que se formam em seus mais de cinquenta cursos de Direito, incluídos os cursos à distância (Ead), em que os alunos veem o professor pela tela do computador ou da televisão. Apesar da estranheza para quem estudou com a presença física do professor na sala de aula, o presidente eleito Bolsonaro prefere as aulas à distância (Ead) por serem mais baratas.

Aliás, Jair Bolsonaro também é contra o exame da OAB, porque para ele essa prova não passa de um “caça-níquel” (a OAB/MT fatura estimados R$1 milhão/ano, sem contar os cursinhos preparatórios), e o pior de tudo é a criação de uma reserva de mercado. Ou seja, a prática da OAB é cartorial e contrária a ideia do liberalismo econômico do partido do presidente (PSL).

A OAB argumenta que o exame da Ordem é para filtrar os profissionais ruins que saem das faculdades, e assim proteger a sociedade. Mas a ANB contra-argumenta  que a obrigação de fiscalizar é do Ministério da Educação (MEC) e o único que pode exigir condições mínimas das faculdades de Direito, e depois quem decide o que é bom ou ruim é o próprio mercado, ou seja, o operador do Direito incompetente é excluído pela clientela, e se infringir a lei o caso será de polícia, e não do MEC ou da OAB.

A associação dos Bacharéis “namora” Jair Bolsonaro há anos, ou seja, Bolsonaro não vê a OAB como instituição legítima dos profissionais do Direito, e menos ainda como entidade legal porque o presidente Fernando Collor a extinguiu em 1991, e nenhum outro presidente a recriou. A imunidade tributária (não paga impostos) da Ordem também é vista como ilegal e a sua própria existência é considerada prejudicial ao interesse geral da sociedade.

Segundo a ANB o presidente eleito Jair Bolsonaro concorda que basta o diploma reconhecido pelo MEC para que o profissional recém-saído da faculdade esteja pronto para montar o seu escritório e começar a trabalhar. A experiência diária é que dirá se ele pode ou não pode trabalhar como advogado, e qualquer interferência da OAB mancomunada com o governo seria pura arbitrariedade que o novo governo irá combater.

HONRA AO MÉRITO

A Associação Nacional dos Bacharéis concedeu o Certificado de Honra ao Mérito ao deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSL/RJ) e ao senador José Antônio dos Santos Medeiros (PODE/MT). O deputado federal Bolsonaro foi homenageado porque desde 2012 discursa na Câmara Federal em defesa da causa dos bacharéis em Direito. O senador Medeiros foi prestigiado pela ANB porque ele atuou no projeto que prevê a extinção do Exame da OAB.

Segundo a ANB, mesmo após estudar por cinco anos e gastando fortunas para se formar, “o bacharel em Direito sai da faculdade com o título de advogado. Ele faz o exame final na instituição de ensino, também o Trabalho de Conclusão de Curso. No outro dia, depois do momento em que ele cola grau, o certificado não tem valor algum”.

O presidente da ANB, Carlos Scheneider, diz que a associação conta com 3 mil membros e que se dedica a corrigir distorções, como o número de bacharéis existentes no Brasil. Segundo a OAB são 2,5 milhões de bacharéis que atuam no mercado (fazem o trabalho e um advogado assina), mas para a ANB são 950 mil e apenas 460 mil bacharéis não atuam como advogados (ao contrário do número anterior de que eram 5 milhões formados, e destes, 2,5 milhões atuavam no mercado).

O Exame da Ordem reprova em média 70% dos candidatos, e esse percentual mostra que o problema está na prova e não no candidato, porque o normal seria que apenas 20% reprovassem. Mas há exames que chegam aos 90% de reprovação. E sem o número de inscrição da OAB o cidadão é impedido de trabalhar.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(40) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

etelvino - 05-04-2019 15:40:21

bolsonaro se quizer ele pode abrir uma portaria e por os bachareis advogar e dai deixa a oab do lado e os bachareis passa a trabalhar com o diploma que o mec emitiu, ele pode abrir essa portaria ele é o presidente, vamos ver se ele vai fazer isso bolsonaro nos ajude por favor, estou precisando trabalhar, estou passando necessidade e não tenho o que por na mesa para meus filhos

Responder

20
4


- 08-04-2019 20:12:38

Kkkkk Qdo não se passa no exame da OAB é porque o candidato não esta com o smartphone que o fez ser aprovado nas disciplinas da faculdade. Simples assim!

Responder

3
9


Josias Alves do Nascimento - 03-04-2019 16:08:10

Nominalmente acima citado, eu Bacharel em Direito pela CELP/ULBRA-TO, por três vezes fui reprovado pelo Exame da Ordem dos Advogados do Brasil. Posso afirmar, sem dúvida que, a forma, o tempo e capciosidade engenhada é a forma mais fértil de reprovar o examinando, tudo isso para afetar o psicológico de quem se esforça para, pelo menos, atingir as quarenta questões. QUANTO A FORMA. Este vos escreve é formado em LICENCIATURA PLENA (Português e Língua inglesa), entende quando pretende elaborar uma prova que possa ser de acesso fácil, menos fácil e difícil. Esta é a filosofia criminosa da OAB. QUANTO AO TEMPO. Refere ao tempo discorrido de cinco horas para ler, escolher, interpretar e marca o gabarito. Com isso sabe os que elaboram a prova que isso vais influir psicologicamente no comportamento dos alunos, para tanto cometem um segundo crime. CAPCIOSIDADE. Fala do trocadilho de palavras, frase, orações, conjunções, preposições, crase, bem como de expressões extra-vocabular desconhecida na Língua portuguesa que, em muitos caso, pelo emaranhados de palavras que, mais de 90% das pessoas perdem o fio da meada para chegar a resposta. Estes três fatores supra citados, inferem, por dedução a razão pela qual a grande maioria dos examinandos são reprovados no exame da OAB. ; estudei igual a um condenado. Até meus olhos incharam de tanto ler, estudar, examinar, inferir, todavia sem sucesso. Em cordialidade subscrevo-me NASCIMENTO. Alves Josias. Palhoça, 3 de Março de 2019

Responder

8
2


Fabricio - 08-04-2019 20:15:22

Kkkkk Com smartphone vc se tornou bacharel?

Responder

0
5


- 17-04-2019 13:05:34

Faço minhas as suas palavras Josias Alves. Minha opinião é que essa prova não passa de uma falta de respeito com aquele que muitas vezes passa por muita dificuldade financeira e consegue se formar em 5 anos. Com o sonho de poder atuar no mercado de trabalho. Muito obrigada pelo seu comentário inteligente e realista.

Responder

2
1


Jorge Barros - 25-03-2019 19:49:02

Jorge Mauro Barros 25-03-2019 as 19:34 Concordo com nosso Presidente Jair Messias Bolsonaro, quando retruca que o Exame da Ordem e orgao arrecadador como se fosse uma maquina de caça niqueis. A exemplo do engenheiro que não presta o Exame nos Conselhos Regionais (CREA)- para receber a Famigerada Carteira de Engenheiro, como também o medico que trabalha com vidas Humanas, não fazem exames para receberem suas Credenciais de Engenheiro e Medicos, por que o Advogado deveria fazer. Deve-se mudar as regras para o Profissional da área jurídica, exclusão de imediato as regras e pretação de Provas da OAB pelo governo federal .

Responder

19
3


- 08-04-2019 20:06:57

Kkkk não podendo levar o smartphone pra prova, o desconhecedor das disciplinas juridicas tem a notícia da reprovação...... kkkkk acho melhos vcs pleitearem a presença do smartphone, mad acho q mesmo assim seriam vcs todos reprovados

Responder

1
1


Leonardo Guimaraes - 11-03-2019 11:32:16

Muito blá-blá-blá e muito mimimi de quem não consegue passar. Na minha faculdade, teve gente que se formou frequentando mais os bares do que as faculdades, que passou colando e que não leu um único livro durante o curso... e não sabe porque não passa na prova da Ordem. E, pior, ainda acha que sabe muito direito, pois fez pós, mestrado e que tais em faculdades privadas, que basta se inscrever para entrar. Quando a pessoa começou a faculdade, sabia que há mais de existia a prova da Ordem, e durante o curso não se importou com isso. Mas, não conseguindo passar, resolveu reclamar. A maior parte cursou nas fáceis faculdades privadas, onde não tem seleção séria para entrar (salvo raros casos), basta se inscrever. Eis o resultado... E se não em exame em outras profissões (Contabilidade já tem, e medicina e engenharia estão se preparando para ter), bastava ter feito essas outra profissões que não tem exame. Desde que entrei na faculdade ouço que o Exame vai acabar, ainda bem que não fiquei esperando isso. Quem está aguardando o fim do Exame, melhor estudar, mesmo porque, o Exame decorre de Lei, de responsabilidade do Congresso, e só pode ser extinto mediante lei, de modo que o Presidente pouco pode fazer contra isso. O fim do Exame interessa apenas aos donos de faculdades privadas, de segunda categoria, com péssimo ensino, e seus alunos. Pois o exame é a barreira final demonstrativa da péssima qualidade do ensino da maior parte dessas faculdades.

Responder

9
21


JORGE SANTOS DA SILVA - 25-03-2019 07:55:38

Esse exame da ordem só interessa aos donos de cursinho, LFG, etc, a maior parte que defende essa prova, não fez esse exame.Todos os Min do STF não fizeram esse exame.

Responder

13
2


Silas - 19-04-2019 19:32:37

Concordo com os dizeres do Sr. Leonardo Guimarães. É fato: extinguir o Exame em nada beneficia a categoria. Concordo também com a afirmação de que todos iniciam a jornada cientes de que após os cinco anos terá que obter a aprovação no Exame. Portanto, não há porque reclamar do assunto. Fiz a minha graduação de Direito em instituição de ensino privada. Tenho graduação anterior em Letras (com habilitação em Português e Inglês) feita em instituição de ensino pública, em uma Universidade que está entre as melhores do Brasil. A graduação em Letras foi feita em uma época em que estudar tinha importância. Eu nunca fiquei um dia da semana sequer sem ir à biblioteca para emprestar livros (isso mesmo, no plural), cujas leituras eram exigidas para a mesma semana, fato exigido em todas as disciplinas cursadas de forma simultânea. Quando iniciei a graduação em Direito percebi uma enorme diferença entre aquilo que eu tinha vivido na experiência de ensino anterior e aquela que iniciara na instituição privada. Exigia-se leitura, mas quase nada. Vi colegas que protestavam pelo fato de os Professores não oferecerem resumos de suas aulas. Teve um que reclamou a falta de "apostilas", no curso de Direito. Vi gente afirmar que resolvera estudar Direito porque conseguira uma bolsa integral, mas não gostava de "leitura", insisto: no curso de Direito. Desde o primeiro ano da graduação de Direito eu assistia colegas fazendo provas com consultas aos "smartphones". Curiosamente, eles nunca eram flagrados, apesar do recorrente discurso que antecedia as avaliações, no sentido de que "se alguém fosse pego colando...". Óbvio que eram vistos colando, mas não havia disposição para as providências necessárias!!!! Sempre ouvia esses mesmos colegas que colavam, se vangloriando de que a prova estava fácil porque todas as respostas estavam na internet, assim como os ouvia comemorar o fato de que enquanto outros da "panela" estavam em sala de aula eles passavam a noite bebendo em estabelecimentos que margeavam a instituição de ensino. Meu propósito aqui não é contar vantagem, mas é reconhecer a verdade dita aqui: no Exame da Ordem o smartphone não está presente, por isso a dificuldade. Conclui a minha graduação em Direito em Dezembro e no mês seguinte obtive a aprovação no Exame da Ordem. Até então eu imaginava que seria MUITO DIFÍCIL obter a aprovação, por isso estudei muito para enfrentar a prova. E mesmo não sendo um gênio - aliás, muito longe de mim possuir qualquer característica que me aproxime deles - eu não percebi qualquer dificuldade na prova, porque eu estudei, muito mesmo. Agora vejo os colegas que obtinham grandes notas nas provas durante a graduação, consultando seus smartphones, que infelizmente (isso é sincero) não conseguem ter êxito no Exame da Ordem. Para eles o Exame é um absurdo, porque fizeram o curso de Direito e deveriam ter direito de exercer a profissão. Ora, com grande respeito, eu não imagino como pessoas que cursam uma graduação em Direito se expressando equivocadamente durante os cinco anos da graduação, falando "ESTRUPO", "EU DI", "MENAS", "EU TAVO", entre inúmeras outras pérolas, possa se julgar apto a exercer qualquer profissão cuja habilitação exija formação superior!!!! "Abrir as portas", como disse alguém, da carreira sem exigir a aprovação no Exame da Ordem trará para o mercado "profissionais" desse gabarito. Aliás, concordo que muitas pessoas entre essas sejam até mais competente do que eu profissionalmente falando, mas a maioria certamente será daquelas que cobrará qualquer coisa para obter clientes. O mercado pode até excluí-las, mas até isso ocorrer o estrago já terá sido enorme. Penso que a melhor solução no momento seria reduzir o volume de vagas ou de instituições de ensino na área, assim como ocorre com o curso de Medicina. Atualmente tem gente demais no mercado e aliado a isso a qualidade de muitos, fica cada vez mais difícil exercer uma profissão tão nobre como essa. Se houvesse algum interesse de nossos governantes em democratizar o acesso ao ensino superior então eles deveriam disponibilizar mais vagas em cursos de Medicina, pois nessa área sim existe defasagem de profissionais e por isso é que se paga tão caro por tais serviços. Portanto, esse discurso político de que acabar com o Exame da Ordem seria uma forma de garantir direito para quem fez o curso de direito é mera falácia, motivada pelo desprezo que certos políticos têm por essa profissão tão nobre. Enfim, o brasileiro precisa exercitar mais a reflexão e aprender a ser mais crítico quando se lhe apresentam discursos ideológicos que apenas aparentam atender ao interesse da sociedade. Nada é por acaso.

Responder

0
0


Jair santiago da silva - 07-02-2019 09:45:21

Sou bacharel em direito formado em 2018, e não consigo entender o porque de ser avaliado pelo exame de ordem da OAB. Como nosso ilustre Presidente diz, após cinco anos frequentando bancos da faculdade, passamos a prestar serviços a advogados com carteira da OAB, que somente irão assinar. Tive comprovadamente a experiencia sobre a ultima prova de exame, que sinceramente não vejo em que possa ter algum padrão de avaliação do bacharel, tanto que o índice de reprovação foi de 80%. Fica a questão no ar, que validade tem nosso diploma que é reconhecido pelo MEC, que é quem deveria avaliar os cursos de direitos, e para que os bacharel em Direito tenham o direito de atua na profissão, o próprio MEC deveria solicitar a grade curricular do aluno na faculdade em que cursou e o avaliaria pelo seu desempenho durante o curso todo. Como comentou nosso presidente, os maus e os bons profissionais o próprio mercado se encarrega de de fazer avaliação. Venho compartilhar com ideia da exclusão do exame de Ordem, que na minha opinião, seu interesse e só arrecadação. Atenciosamente. Jair Santiago da Silva.

Responder

35
2


Roberto Santos de Castro - 14-02-2019 16:03:02

Sou Bacharel em direito sou pós graduado em Direito do Trabalho sou responsável pela área trabalhista em um escritório de advocacia, todos os advogado se reportam a mim para colherem informações sobre direito do trabalho. A área trabalhista desde a petição inicial até a fase de execução tanto para o Reclamante como para a Reclamada tudo é comigo , petição, impugnação, embargos de declaração, agravo de instrumento, RR, RE, contestação etc...Inclusive uma colega advogada há mais de 20 anos de advocacia, não toma nenhuma atitude em relação a área trabalhista sem me chamar para instrui-la, Tenho experiencia como preposto á mais de 30 anos fui Gerente de R.H em grandes empresas. não passei no exame por 4 vezes e desfio o Presidente da OAB discutir comigo o direito Trabalhista. Te desafio Dr. Santa Cruz a fazer só nós dois uma prova da ordem com questões selecionadas na hora só eu e você DOUTOR em uma rede de televisão ao vivo. meu telefone (032)99824-5396.

Responder

34
2


Roberto Santos de Castro - 14-02-2019 16:04:36

Sou Bacharel em direito sou pós graduado em Direito do Trabalho sou responsável pela área trabalhista em um escritório de advocacia, todos os advogado se reportam a mim para colherem informações sobre direito do trabalho. A área trabalhista desde a petição inicial até a fase de execução tanto para o Reclamante como para a Reclamada tudo é comigo , petição, impugnação, embargos de declaração, agravo de instrumento, RR, RE, contestação etc...Inclusive uma colega advogada há mais de 20 anos de advocacia, não toma nenhuma atitude em relação a área trabalhista sem me chamar para instrui-la, Tenho experiencia como preposto á mais de 30 anos fui Gerente de R.H em grandes empresas. não passei no exame por 4 vezes e desfio o Presidente da OAB discutir comigo o direito Trabalhista. Te desafio Dr. Santa Cruz a fazer só nós dois uma prova da ordem com questões selecionadas na hora só eu e você DOUTOR em uma rede de televisão ao vivo. meu telefone (032)99824-5396.

Responder

13
1


Roberto Santos de Castro - 14-02-2019 17:38:47

Sou Bacharel em direito sou pós graduado em Direito do Trabalho sou responsável pela área trabalhista em um escritório de advocacia, todos os advogado se reportam a mim para colherem informações sobre direito do trabalho. A área trabalhista desde a petição inicial até a fase de execução tanto para o Reclamante como para a Reclamada tudo é comigo , petição, impugnação, embargos de declaração, agravo de instrumento, RR, RE, contestação etc...Inclusive uma colega advogada há mais de 20 anos de advocacia, não toma nenhuma atitude em relação a área trabalhista sem me chamar para instrui-la, Tenho experiencia como preposto á mais de 30 anos fui Gerente de R.H em grandes empresas. não passei no exame por 4 vezes e desfio o Presidente da OAB discutir comigo o direito Trabalhista. Te desafio Dr. Santa Cruz a fazer só nós dois uma prova da ordem com questões selecionadas na hora só eu e você DOUTOR em uma rede de televisão ao vivo. meu telefone (032)99824-5396.

Responder

12
2


- 08-04-2019 20:09:03

Meu nobre amigo. O smartphone não estava com vc no dia da prova, nao foi isso ?

Responder

0
0


Leidiane souza - 14-01-2019 21:21:30

Quanto maior numero de reprovados Mais lucro oab tera no ano seguinte Rsrs Fim da oab

Responder

27
2


Hélio - 02-01-2019 19:51:59

Trata-se, isso sim, de enfraquecer a OAB, só isso. Eles não estão preocupados com o exame em si, com reserva de mercado ou com os bacharéis que não podem exercer a profissão sem ser aprovados na prova. A questão é enfraquecer uma instituição, OAB, que pode ser bastante atuante contra governos. Assim como o fim da contribuição sindical obrigatória foi para enfraquecer os sindicatos, o fim da obrigatoriedade da prova da OAB é para enfraquecê-la ou, quem sabe, extingui-la.

Responder

35
27


Francisco - 04-01-2019 08:31:10

Porque então a OAB não extingue a prova passando apenas a cobrar a anuidade (ou mensalidade) com a simples exigência de ser vinculado (como no CRM ou CRO) para advogar? Cria-se um CRAd para resolver assuntos referentes à atuação dos patronos?

Responder

37
5


CARLOS ALBERTO DA SILVA EHRET - 31-12-2018 20:03:19

Não votei e jamais votaria nesse cara. Mas nesse ponto, estou com ele. Tem de acabar com essa "mafia". Não tem sentido esse tipo de exame. Principalmente porque conhecemos hoje em dia bandidos com exame, protegidos pelo corporativismo. Basta. Concluiu curso de direito, é advogado e tem direito de trabalhar. É o povo e os clientes que têm de saber em quem confiar. FORA OAB.

Responder

61
11


Carlos Nunes - 31-12-2018 11:58:48

Tem alguma coisa errada nessa estória toda...o aluno do Curso de Direito passa 5 anos numa Universidade, cursa 10 Semestres, faz incontáveis EXAMES pra cada matéria durante todo esse tempo. Só recebe o Diploma final se passa nas provas finais é claro. Quantos EXAMES cada aluno faz nos 5 anos, nos 10 Semestres? Se tiver algum aluno que tá terminando o Curso agora, gostaria que respondesse isso. Quer dizer que o Exame da Ordem é mais importante do que esse montão de EXAMES feitos nas Universidades Brasileiras? Se for SIM, isso não tem lógica, é totalmente irracional.

Responder

62
11


Joao Pedro - 06-01-2019 22:13:38

Exame de cachaça na porta da faculdade não vale

Responder

4
4


Leonardo Guimaraes - 11-03-2019 11:23:08

Carlos, O exame da Ordem é muito mais importante do que as provinhas na faculdade privada... para começar, a cola rola solta na faculdade muitas vezes, ao passo que no exame, não. T

Responder

0
0


creysla milena lino e silva - 31-12-2018 10:44:53

Muito bem Meu presidente concordo

Responder

44
10


Lucimara - 31-12-2018 09:20:59

A pessoa que entra em um curso de Direito, já entra sabendo que será submetida ao Exame da Ordem, se quiser se tornar advogado(a)... se não quiser, poderá exercer qualquer outra profissão que exija Curso Superior! Lembrando que, se quiser se tornar servidor público, terá que prestar um concurso, "e ser aprovado!" Ou será que o Bolsonaro vai acabar com todos os processos seletivos? Eu não entendo porque alguns bacharéis acham que a OAB deve se adequar às suas frustrações/incapacidade... O exame da OAB exige um mínimo do que tem que ser ministrado e aprendido em um Curso de Direito! Aqueles que não passam é porque não aprenderam (ainda) o mínimo necessário!! O advogado aprovado no exame da Ordem, tem que continuar estudando também... E outra, as pessoas que, de fato, não puderem pagar, serão isentas da taxa de inscrição!! Quem se dedicar a estudar, um dia irá passar! Reclamar não vai adiantar! Chega de mi mi mi, advocacia não é profissão de covardes!! Sem o esforço da busca não haverá a alegria do encontro!!

Responder

42
88


José Carlos - 31-12-2018 10:54:27

Eu penso que a Sra/Srta, está equivocada pois há uma diferença gritante entre prestar um concurso para servidor público e prestar um concurso para poder ter um título de Dr/Advogado e ainda ter que pagar anuidade para fazer parte deste seleto club/panelinha de Drs/Advogados. Já o concurso para servidor público, eu vou trabalhar e ficar com meus ganhos não tenho que pagar anuidade. Imagine se o se os graduados em Administração, o enfermeiro, o médico, tiver que prestar um concurso para poder começar a exercer a profissão que ficou 04 ou 05 ou 06 anos dentro de uma faculdade, isso sem contar as Pós- graduação, residencia ...O que eu vejo é que quem ganha com isso é os cursinhos, claro nada contra, pois como você diz quem ainda não passou é porque (de resposta)ainda não aprendeu, há uma diferença entre aprender e decorar para passar. E mais não é possível ficar 05 anos dentro de uma faculdade e não aprender nada?, ou para mostrar que aprendeu, deve ser certificado por uma entidade que lhe aplica 80 questões dessas você acerta 40 aí você é " A.D.E.V.O.G.A.D.O". Eu nunca ouvi falar de alguém gabaritou a prova da ordem, e se gabaritou qual foi o prêmio oferecido pela OAB. Então Desculpa fraqueza mas prefiro ser Baicharel do ser um fantoche nas mãos dessa Ordem.

Responder

63
12


Lucimara - 31-12-2018 17:39:05

Respeito sua opinião! Mas o senhor está enganado ao pensar que só advogados pagam anuidades... Eu sou contadora e advogada e pago anuidade nos dois órgãos de classe!! Não posso afirmar, mas acredito que todos os profissionais inscritos em seus órgãos de classe pagam anuidade (CRC, OAB, CRECI,CRM,CREA...) E mais, não é porque se é advogado devidamente inscrito na OAB que se é submisso ou fantoche como afirmou, esse pensamento só tem aqueles que ainda não passaram no Exame da Ordem! O advogado é um profissional que trabalha com total independência! Até por questão de equidade, na Carteira da OAB não vem escrito quantas questões o advogado acertou ou errou, apenas demonstra que ele acertou/sabe o mínimo necessário para possuí-la!! Na linha do que está em pauta, fica a pergunta: será que alguém se submeteria à uma cirurgia, com um médico que não seja reconhecido pelo CRM como médico?

Responder

14
29


Fabiola - 19-01-2019 00:07:31

Mas para ter CRM tem que fazer prova???? As pessoas fazem consultas com dermatologistas e confiam neles apenas porque ele cursou especialização em dermatologia após fazer graduação em medicina. E porque eu não posso ser uma advogada trabalhista se me graduei em direito e fiz pós graduação em direito do trabalho. Alguém tem uma explicação exata para me dar por favor, sem mi mi mi.

Responder

14
2


MARCELO CUIABANO - 02-01-2019 12:29:24

Com certeza a Lucimara e Advogada e não vai querer concorrência, com certeza a OAB é uma um panela histórica e tem que acabar mesmo, o pai que tem condição melhor por mérito pode dar ao filho um estudos melhores com os melhores professores, cursinhos pagos, aulas de reforço etc. E o filho do trabalhador humilde que vive de salários no Brasil, como investir nos filhos, como concorrer? como fazer essa prova, somente com estudo básico? FORA OAB, O CAPITÃO VAI TE PEGAR, SE PREPARE... JA ERA TEMPO..

Responder

28
8


Lucimara - 03-01-2019 00:29:13

Marcelo, respeito o seu pensamento, mas, estás enganado!! Não existe concorrência entre Advogados, o próprio mercado faz o filtro e separa o bom do ruim, e, acredite, tem espaço para todos!! Tanto é assim, que não existe número mínimo ou máximo de Advogados a serem inscritos na OAB!! Se dez milhões prestarem a prova e passar, teremos mais dez milhões de Advogados... Os clientes é que decidirão entre um ou outro... Bons Advogados nunca concorrem, acredite, existe um mercado muito amplo, e faltam Advogados para atender!! Desculpe, eu sou filha de uma empregada doméstica e de um pintor, e só fui terminar a faculdade de Direito por conta do FIES, eu prestei OAB, "com isenção de taxa, por ser pobre", e passei na primeira tentativa... Então, prá mim não cabe esse vitimismo, esse coitadismo!! Realmente, somente com estudo básico não dá!!! A pessoa que quer passar no exame da OAB tem que dar o jeito dela!! Estudar, estudar e estudar... Não existe fórmula mágica!! Mi mi mi não resolve nada!! O Exame da OAB não vai acabar!! É mais provável que outras profissões que não têm exame passem à ter, do que um bacharel em direito virar Advogado sem passar no exame da OAB!!!

Responder

8
21


Carlos Felipe M.Guañabens - 04-01-2019 13:29:06

Minha opinião: O exame da OAB deve continuar. Se o acadêmico fez bom curso automaticamente será aprovado no exame/OAB sem dificuldade alguma. Acontece que muitos estudantes de Direito não são assíduos às aulas, muitos só comparecem em dias de prova e outros perambulando fora de sala. Lembro muito bem quando estudante de direito muitos colegas ficavam fora de sala e voltavam no final das aulas para ter presença na chamada. Muitos quando formam não sabem redigir uma simples petição, quiçá uma declaração ou recibo. Por isso que há tanta reprovação no exame da OAB. É só pesquisar.

Responder

3
19


Leonardo Guimaraes - 11-03-2019 11:24:16

Carlos Felipe, exatamente isso!

Responder

0
0


Denisio - 06-01-2019 10:16:22

Dr. No que tange ao teu comentário, deveria observar que esta entidade fora da lei, não tem competência para medir qualidade de ensino, sendo esta atribuição exclusiva do MEC. Por outro lado este órgão não tem também legalidade para atribuir atos por meio de provimento já que deixou de ser uma autárquica pelo decreto 11/91. Diante ao exposto nobre colega os atos praticados por este órgão trata-se de um estelionato, visto que a lei 8906/91 é um JABUTI, até mesmo os proprios associados são enganados pelo sindicato OAB.

Responder

11
2


Leonardo Guimaraes - 11-03-2019 11:20:41

Lucimara, exatamente. Ninguém obrigou ninguém a fazer Direito. Quando a pessoa entra na faculdade, já sabe que tem de passar no Exame. Durante 5 anos, continua na faculdade... mas, a maioria, chega ao final, e não consegue passar, torna-se crítico do exame. Simples assim. Fiz a faculdade de noite, trabalhando o dia todo, e consegui passar. Basta estudar o básico... não existe prova mais fácil, pois nenhuma outra prova da oportunidade de trabalhar acertando apenas 50% do conteúdo. Fazer pós-graduação ou mesmo mestrado, sem ser aprovado, é outra grande burrice, especialmente se o fizer em faculdades privadas, que basta se inscrever para cursar. O fim do exame só interessa aos donos de faculdades privadas, que dão um curso de porcaria.

Responder

0
0


- 10-04-2019 20:56:32

Imbecil.

Responder

0
0


Humberto - 31-12-2018 08:40:10

Defendo a possibilidade de revisão da qualificação de todos os profissionais em todas as áreas do conhecimento, assim como suas Universidades. Muitas profissões e cursos chamados "superior", transformaram-se em mitos.

Responder

22
3


Elisabete Alfredo - 31-12-2018 07:12:57

OAB esclarece que o exame é para selecionar os advogados, sendo que o vai fazer um bom profissional é exatamente a experiência profissional no dia a dia.

Responder

32
23


Augusto - 31-12-2018 07:28:21

Por que então não fazer exames em engenheiros, médicos, bioquímicos etc? Todos vem de escolas brasileiras, algumas boas, outras ruins e muitas muito ruins! Deve ser criado um critério único para todas as profissões

Responder

70
0


Francisco Dreyfuss - 04-01-2019 08:33:15

Posso advogar sem a carteira, então? A OAB pode editar uma resolução sobre isso, por favor?

Responder

0
6


Almir - 31-12-2018 05:14:03

Precisa acabar também com todos os conselhos regionais e federais de profissões cujas atividades não precisam ser fiscalizadas. Esses conselhos não fiscalizam nada porque não têm mesmo nada para fiscalizar; são meros caça-níqueis a serviço de ideologias estatizantes.

Responder

71
4


Hugo - 31-12-2018 05:03:43

SE ESSS NOTICIA FOSSE DERIA NÃO AFITMARIA UMA COISA NO TITULO E NO INICIO DO TEXTO COMENTA: " E O QUE ESPERA"" .VCS NÃO APRENDERAM AINDA. OU SAO BURROS DESESPERADOS QUERENDO APARECER WUE ESQUECEM DO PRINCIPSL: SERIEDADE E HONESTIDADE. JA PASSOU A ERA DA NOTICIA MANIPULADA . APRENDAM IDIOTAS . NEM ASSINAR A MSTERIA ASSINAM. EU POR MIM NAO LEIO MAIS VCS E MUITOS VIRAO AINDA COMO EU. NESSE DIA VCS VÃO TER WUE FAZER FIFICA VARRENDO RUAS. BURROS !!!!!!

Responder

6
51


40 comentários