Cortes do Governo não foram eficientes, gasto com pessoal cresceu em MT  | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 08 de Abril de 2020

GOVERNO Terça-feira, 07 de Janeiro de 2020, 08h:14 | - A | + A




Mesmo sem RGA

Cortes do Governo não foram eficientes, gasto com pessoal cresceu em MT

Estado gastou R$ 11,796 bilhões em 2019 contra R$ 10,965 bilhões gastos em 2018

Palácio fachada foto.jpg

 Foto: reprodução 

Apesar dos cortes de gastos prometidos pelo governador Mauro Mendes (DEM), dados do Portal da Transparência mostram que em 2019 a folha de pagamento em Mato Grosso aumentou em R$1 bilhão.

Mesmo sem dar a Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores do Estado e nem os aumentos de carreira - como no caso dos servidores da Educação – o estado gastou R$ 20,006 bilhões em 2019, ante R$ 18,043 bilhões gastos em 2018, último ano da gestão Pedro Taques (PSDB).

Conforme  os dados, o Estado gastou R$ 11,796 bilhões em 2019 contra R$ 10,965 bilhões gastos em 2018.

Ao longo do ano houve uma luta constante do governo para reduzir a folha de pagamento. Logo em janeiro, o Estado adotou uma equação de pagamento do RGA, que deve inviabilizar o pagamento por um tempo, enquanto não há um grande crescimento da receita do governo.

Segundo o portal Mira Cidadão, os gastos com pessoal ficaram em 60,8% do total gasto em 2018 e 59% do total gasto em 2019.

No entanto, o governador conseguiu a redução dos valores repassado aos Poderes, em 2018 eles consumiram R$2,836 bilhões e R$ 2,750 bilhões em 2019.

Em 2018 foram pagas R$ 1,043 bilhão de dívidas e R$ 2,013 bilhões em 2019, por conta da renegociação com o Bank of America. O custeio subiu de R$ 2,429 bilhões em 2018 para R$ 2,730 bilhões em 2019.

Houve ainda, segundo a transparência do governo, a redução dos investimentos, no último ano da gestão Taques foram investidos R$ 767,898 milhões e no primeiro ano da gestão Mauro R$ 715,855 milhões.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Pardal - 07-01-2020 13:13:49

Está provado que o RGA não tem nada haver com isso, a questão é de gestão somente.

Responder

8
1


CONTABILISTA - 07-01-2020 15:01:58

Penso que essa gestão desastrosa, se quisesse colaborar, ficaria com SERVIDORES EFETIVOS, que ingressaram com respaldo Constitucional. Todavia, parece que foram muitos compromissos com possíveis CABOS ELEITORAIS, e resulta numa QUANTIDADE EXCESSIVA DE COMISSIONADOS. Estes recebem alta remuneração ISENTA DE IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE, além de BENESSES EM RAZÃO DA FUNÇÃO. E o pior, em grande medida os SERVIDORES EFETIVOS acabam sendo "OBRIGADOS ao ACUMULO DE SERVIÇO POIS ALGUNS PRIVILEGIADOS "CHEFES NADA OU POUCO ENTENDE DAQUILO PARA O QUE FORAM NOMEADOS COMISSIONADOS.. ENTÃO... A MEU JUÍZO TEM UM ÚNICO CULPADO ....

Responder

7
2


2 comentários

coluna popular
Enfrentamento contra coronavírus
Unanimidade
Campanha “Vem Ser Mais Solidário”
Impacto do coronavírus
União contra o Covid-19

Últimas Notícias
08.04.2020 - 12:00
08.04.2020 - 10:12
08.04.2020 - 10:00
08.04.2020 - 09:24
08.04.2020 - 08:06


Carlos Fávaro (PSD)

Coronel Rúbia (Patriota)

Elizeu Nascimento (DC)

Gisela Simona (Pros)

José Medeiros (Podemos)

Júlio Campos (DEM)

Nilson Leitão (PSDB)

Otaviano Piveta (PDT)

Procurador Mauro (PSOL)

Reinaldo Morais (PSC)

Valdir Barranco (PT)

(Nenhum deles)

Feliciano Azuaga



Informe Publicitário