Tratamento da sífilis é gratuito e está disponível na Rede Pública de Saúde | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 01 de Abril de 2020

GOVERNO Sábado, 22 de Fevereiro de 2020, 09h:33 | - A | + A




Tratamento da sífilis é gratuito e está disponível na Rede Pública de Saúde

Por meio do teste rápido, é possível diagnosticar a infeção sexualmente transmissível, que tem tratamento e cura.


redacaomuvuca@gmail.com

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) registrou 8.561 casos de sífilis em Mato Grosso entre os anos de 2015 e 2019. A sífilis é uma infecção transmitida por meio de relação sexual, causada por uma bactéria. A doença apresenta várias manifestações clínicas e diferentes estágios: sífilis primária, secundária, latente e terciária. O Sistema Único de Saúde disponibiliza um teste rápido para diagnosticar a doença e também o tratamento da doença.

Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A transmissão pode ocorrer de uma mãe infectada para o feto, durante a gestação ou parto, circunstância conhecida como sífilis em gestante e congênita.

Por meio do Programa Estadual de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente, foram registrados 3.244 casos de sífilis em gestantes; 3.722 casos do tipo sífilis adquirida e 1.685 casos de sífilis congênita no período de 2015 a 2019.

O teste rápido de sífilis  disponibilizado pelas unidades públicas de saúde e custeado pelo SUS é um método prático e de fácil execução, com leitura do resultado em, no máximo, 30 minutos, sem a necessidade de estrutura laboratorial. Esse teste é a principal forma de diagnóstico da sífilis.

Os sintomas das sífilis variam de acordo com cada estágio da infecção; geralmente apresentam ferida no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele), que aparece entre 10 a 90 dias após o contágio. Essa lesão é rica em bactérias e, se não for tratada, pode causar a transmissão.

“Normalmente não dói, não coça, não arde e não tem pus, podendo estar acompanhada de ínguas (caroços) na virilha”, alerta Cláudia Nazário, responsável técnica do Programa Estadual de Vigilância, Prevenção e Controle das ISTs, HIV/AIDS e Hepatites Virais da SES.

Uma pessoa pode ter sífilis e não saber, isso porque a doença pode aparecer e desaparecer, mas continuar latente no organismo. Logo, é importante se proteger, fazer o teste e, se a infecção for detectada, tratar da maneira correta. O não tratamento da sífilis pode levar a várias outras doenças e complicações, inclusive à morte.

O acompanhamento das gestantes durante o pré-natal também previne a sífilis congênita; o tratamento imediato evita a transmissão e leva a cura da gestante, do bebe e também do (a) parceiro (a) sexual.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Sargento Vidal irá assumir o cargo
Medida foi tomada devido à pandemia
Idosos estão lotando unidades
Benefício inconstitucional
Entrevistado de quarta

Últimas Notícias
01.04.2020 - 15:32
01.04.2020 - 14:30
01.04.2020 - 13:59
01.04.2020 - 13:55
01.04.2020 - 13:28


Carlos Fávaro (PSD)

Coronel Rúbia (Patriota)

Elizeu Nascimento (DC)

Gisela Simona (Pros)

José Medeiros (Podemos)

Júlio Campos (DEM)

Nilson Leitão (PSDB)

Otaviano Piveta (PDT)

Procurador Mauro (PSOL)

Reinaldo Morais (PSC)

Valdir Barranco (PT)

(Nenhum deles)

Feliciano Azuaga



Informe Publicitário