Igreja Batista Getsemâni

Servidores são ‘sufocados’ com fumaça de escapamento durante vistoria veicular

Funcionários prestam o serviço de maneira improvisada no subsolo do shopping de Várzea Grande

Marcio Camilo
Redação

Ilustrativa Web

Ilustrativa Web

Fumaça de escapamento, falta de ventilação e de iluminação adequada. Esses são alguns dos problemas enfrentados pelos servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) que fazem o serviço de vistoria veicular no Ciretran de Várzea Grande, localizado no subsolo do shopping da cidade.

Por conta da precariedade, a juíza Graziel Cabral, da Vara do Trabalho, notificou o Detran para que o órgão faça as devidas adequações no sentido de retirar os trabalhadores das condições insalubres. O Detran precisa fazer os ajustes de forma imediata, sob pena de aplicação de multa diária.

Os servidores sofrem com falta de condição de trabalho há dois anos, quando o Governo do Estado mudou o Ciretran de Várzea Grande para o subsolo do shopping da cidade. A mudança era pra ser provisória até que se concluísse a reforma da sede original, que fica na avenida Arthur Bernardes. Mas já se passaram dois anos e as obras sequer começaram.

“É um absurdo os servidores estarem confinados em um local sem ventilação, sem iluminação adequada, com veículos ligados produzindo gases prejudiciais à saúde que não se dissipam em virtude das condições locais e o Detran-MT não tomar nenhuma providência”, lamentou a presidente do Sindicato dos Servidores do Detran-MT, Daiane Renner. O sindicato foi o responsável por ingressar com a Ação Civil Pública contra o Estado.

Renner detalha que no subsolo do shopping não há “o fosso necessário para a realização da vistoria e nem equipamentos de proteção individual adequados”. Ela salientou que as condições de trabalho pioraram sobremaneira, aumentando o índice dos acidentes de trabalho: “Os usuários que precisam do serviço também são submetidos a essa insalubridade”, acrescentou.

Atendendo ao sindicato, a Justiça do Trabalho realizou uma perícia técnica que constatou que não havia as condições mínimas, e a obrigação por parte do Detran-MT de adequar as condições de trabalho no período de trinta dias, sob pena de multa diária, pelo não cumprimento da decisão judicial.

O prazo do Estado para as adequações venceu no último dia 17 de maio. Segundo o sindicato,até o momento o Detran-MT “vem descumprindo a decisão da Justiça”. (Com informações da assessoria)


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br