Igreja Batista Getsemâni

Governo precisa chamar pelo menos 800 agentes para ‘acalmar’ sistema

Larissa Malheiros
Da Redação

Quase cinco meses após a homologação do concurso público para agentes penitenciários, e até o momento nada do governo do Estado, por meio da Secretaria de Direitos Humanos (Sejudh) realizar a convocação dos aprovados.

Com isso, a categoria aguarda um possível Termo de Ajustamento de Conduta (Tac) feito entre Ministério Público e Procuradoria Geral do Estado, que pode permitir o chamamento de parte dos aprovados.

Porém, o presidente Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), João Batista explica que para manter o sistema penitenciário com funcionamento normalizado, é necessário chamar no mínimo 800 agentes, dos 1.115 que passaram no concurso em todo estado.

Batista revela que é preciso ter cautela com as negociações com o governo. Isso porque, alega que desde o início da gestão Pedro Taques a categoria escuta promessas e até o momento nenhuma delas foram cumpridas.

Entre as promessas, o sindicalista aponta: “Adicional de insalubridade não sofre reajuste desde 2014; o auxilio fardamento, hoje custeamos integralmente o uniforme e equipamentos, o estado nunca deu um centavo; a isenção do ICMS diante dos ataques que nós tivemos, nós negociamos com o governo a isenção para aquisição de munições e coletes para os nossos servidores. Além da convocação do pessoal do concurso, que feito porque fizemos greves e reivindicações”.

Sendo assim, destaca que os movimentos de paralisação seguem a partir das necessidades da categoria. Ele foi intimado a dar explicação do porque das manifestações, sob pena de prisão. Entretanto, deve emitir relatório contento os fatos e condições da categoria para justiça.       


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br