Igreja Batista Getsemâni

Mulheres criam grupo a favor e contra Bolsonaro

Conforme pesquisa, a maioria das mulheres ainda rejeitam Bolsonaro

Helena Corezomaé
Redação

O grupo no Facebook “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro” atingiu 1 milhão de participantes na quarta-feira(12). Em contraponto, um grupo criou “Mulheres com Bolsonaro” em apoio ao candidato do PSL.

As pesquisas refletem que o eleitorado feminino rejeita o candidato Jair Bolsonaro (PSL). Na última avaliação do Datafolha, em 10 de setembro, a rejeição chegou a 49%. O grupo "Mulheres unidas contra Bolsonaro" já mobilizou mais de um milhão e meio de usuárias da rede social e, a cada minuto, recebe 10.000 novos pedidos de participação.

Porém, a movimentação feminina pró-Bolsonaro já existe há algumas semanas com a criação de várias páginas e grupos no Facebook, como o “Mulheres com Bolsonaro”, com a participação de mais de 64 mil usuárias. .

Segundo dados da Justiça Eleitoral, as mulheres representam 52% do eleitorado brasileiro e podem fazer a diferença na eleição presidencial.

DECLARAÇÕES POLÊMICAS

Conhecido por suas declarações polêmicas, Bolsonaro já foi condenado, em agosto de 2017, a pagar R$10 mil à deputada Maria do Rosário (PT-RS) por dizer que ela não merecia ser estuprada por ser “muito feia”.

"Eu não empregaria [mulheres e homens] com o mesmo salário. Mas tem muita mulher que é competente", disse Bolsonaro em entrevista à apresentadora Luciana Gimenez, na RedeTV, em 2016.

Em 2014, ele declarou ao jornal Zero Hora que, "entre um homem e uma mulher jovem, o que o empresário pensa? 'Poxa, essa mulher está com aliança no dedo, daqui a pouco engravida, 6 meses de licença-maternidade'. Quem que vai pagar a conta? O empregador", disse Bolsonaro ao jornal.

"Por isso que o cara paga menos para a mulher! É muito fácil eu, que sou empregado, falar que é injusto, que tem que pagar salário igual", completou.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br