Igreja Batista Getsemâni

Professores param e estudantes ficam sem aula hoje

Paralisação de 24 horas foi decidida em assembleia geral realizada pelo Sintep/MT no último dia 04

Da redação

 

Revoltados com as últimas medidas do governador Mauro Mendes (DEM), entre as quais está a falta de repasse para a merenda dos alunos, o que fez muitos diretores comprar fiado para garantir a refeição, os professores param hoje (12) - um dia após o início do ano letivo - deixando os 392 mil alunos da rede estadual de ensino sem aulas.

O motivo principal, no entanto, é a adesão a mobilização estadual unificada dos servidores do Estado, em protesto pelo atraso dos pagamentos dos salários e da Recomposição Geral Anual (RGA).

A categoria decidiu pela paralisação de 24 horas em assembleia geral realizada pelo Sindicato Público de Mato Grosso (Sintep/MT) na tarde do último dia 04, no ginásio da Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá. Desde então, os trabalhadores estão em estado de greve e podem interromper as atividades por tempo indeterminado a qualquer momento.

"O estado de alerta é um indicativo para o governo reavaliar a postura e buscar uma negociação", esclareceu o Sintep/MT, por meio de nota. A rede conta com 40,3 mil profissionais distribuídos em 765 escolas.

"Em Mato Grosso o pacote de Mauro Mendes já congelou os salários dos servidores com o calote da RGA de 2018, e a suspensão da revisão pelos próximos dois anos", disse dirigente e secretário de redes municipais, Henrique Lopes. Para ele, o ataque a educação se estende a política da "dobra do poder de compra", quando não paga a RGA, e também via decreto de calamidade financeira, que impede o cumprimento das leis de carreira.

Na avaliação do sindicato, as medidas não atacam apenas os servidores da ativa, compromete também os aposentados, devido a paridade. "Se aprovada a lei da Reforma da Previdência do governo Bolsonaro, as perdas serão ainda maiores, pois colocará fim na paridade salarial e ampliará o percentual de desconto previdenciário, para aqueles que o presidente do Sintep/MT.

Pagamento 'picado'

O Estado informou que ontem depositou até R$ 5.200,00 nas contas dos servidores, como pagamento total ou parcial dos salários, relativos ao mês de janeiro.

A medida adotada também vale para o pagamento dos proventos de aposentados e pensionistas. Segundo o governo, com esse procedimento, 69% dos servidores ativos e 75% dos aposentados e pensionistas receberam seus salários e proventos integralmente. A soma total dos depósitos chega a R$ 345 milhões. Os servidores ativos, aposentados e pensionistas que recebem acima de R$ 5 mil, vão receber em mais duas parcelas. Na próxima quinta-feira, dia 14, serão pagos mais R$ 2.000,00 a todos, num total de R$ 56.283 milhões.

A última parcela será quitada no dia 25 e servirá para pagar o restante dos valores aos servidores que recebem acima de R$ 7.000,00, liquidando toda a folha de janeiro de 2019. Já no dia 28, será paga a segunda das quatro parcelas do 13º salário remanescentes de 2018, para quem nasceu nos meses de novembro, dezembro e os servidores comissionados não efetivos.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br