Igreja Batista Getsemâni

Virgínia Mendes dará um basta nas falcatruas do programa Pró-família

Após retorno da Ásia, primeira-dama voltará o foco para o relatório da PGE que aponta irregularidades

Redação
Muvuca Popular

Embora não faça parte oficialmente do staff governamental, a primeira-dama de Mato Grosso, Virgínia Mendes, não consegue ser omissa em relação aos graves problemas sociais do estado, e vem atuando fortemente para a erradicação da pobreza, exclusão de todas as vertentes, violência contra mulheres e minorias, e tangenciando o fosso de desigualdade onde quase meio milhão de irmãos e irmãs mato-grossenses se encontram.

Em viagem aos países asiáticos desde a última quarta-feira (15), seu retorno é aguardado para resolver uma crise no setor social, mais específicamente do programa Pró-Família, que teve sua função desfocada no governo anterior, onde foram encontradas diversas irregularidades - apontadas num relatório preliminar da Controladoria Geral do Estado (CGE), revelando, entre outras coisas, o pagamentos de valores a titulares falecidos, concessão de benefícios em valores superiores ao definido pela lei do programa, e outras situações alarmantes.

Desde janeiro, um grupo técnico tem realizado um levantamento minucioso no programa, criado em 2017, e cujo objetivo principal seria a transferência de renda, por meio de um cartão, no valor de R$ 100 para famílias em situação de vulnerabilidade, cadastradas, e com uso exclusivo para compra de alimentos.
No entanto, um levantamento do , apontou que a gestão passada gastava mais com propaganda do tal cartão do que o benefício em si.

Houve casos como em Juara, que foram 3 jatinhos do governo e um hslicóptero, para entregar apenas 40 cartões num evento meramente político, e em Sinop, onde montaram até um circo midiático para entregar apenas 230 cartões. O próprio editor MPpopular foi convidado por emissoras de TV no interior para falar sobre as denúncias, já que prefeituras eram cobradas pelo benefício que o estado dizia estar entregando mas não chegava.

O Pró-Família custou no ano eleitoral de 2018, R$ 26,5 milhões, quando o ex-governador Pedro Taques (PSDB) tentou se reeleger e acabou ficando na quarta colocação, perdendo inclusive para brancos e nulos. A auditoria do estado, porém, não deixou por menos, e está fazendo um levantamento destes gastos para verificar eventuais desvios em sua gestão.

A tarefa que Virgínia Mendes tem pela frente não é fácil, após se deter no relatório, ela pretende dar um basta nas eventuais distorções, com intuito de maximizar o atendimento, fazendo com que o auxílio chegue realmente às pessoas necessitadas.

É mais uma tarefa que a primeira-dama se impôs, como forma de contribuir com o estado. Ela que já foi responsável, inclusive, pelo fortalecimento do combate à violência doméstica e feminicídio, tem atuado em ações sociais e beneficentes e, por último, convenceu o governador Mauro Mendes a assumir o controle da Santa Casa, ação que deve resultar na reabertura do hospital que reativará 230 leitos e colocará cerca de mil famílias, entre corpo médico e funcionários de volta a seus empregos.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br