Igreja Batista Getsemâni

Barbudo assume que ato em defesa de Bolsonaro deixou a desejar

Conforme análise de organizador, evento deixou a desejar em quantidade, “mas teve muita qualidade”

Albízzia Lebbeck, para o Muvuca Popular
De Brasília (Agência RBC News)

manifestacao.jpg

 

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) participou do ato em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), aqui em Brasília. O parlamentar, que chegou a discursar durante a manifestação, não quis fazer uma estimativa do número de participantes, que foi considerado fraco até por um dos membros de um dos movimentos organizadores. “Deixou a desejar. Eu, particularmente, esperava muito mais gente. Vinte mil é muito pouco”, calculou ele. “Mas teve muita qualidade”, acrescentou.

Os mais exaltados falavam em mais de 200 mil, mas nem de longe o número chegou a 10% dessa estimativa, conforme a Polícia Militar, que calculou em 10 mil participantes. Segundo Nelson Barbudo, o movimento cumpriu seus objetivos. “O objetivo é mostrar que o presidente Bolsonaro tem apoio da população para fazer as reformas que o Brasil necessita”, afirmou. O deputado não quis, entretanto, comentar sobre cartazes, faixas e palavras de ordem contra a classe política, o Supremo Tribunal Federal e o vice-presidente da República.

Depois de Bolsonaro, a grande estrela da manifestação foi o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. O ex-juiz, que na semana passada perdeu o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), foi exaltado pelos manifestantes. Um dos vários bonecos inflados no gramado da Esplanada dos Ministérios, próximo ao Congresso Nacional, era de Moro personificado em Super-Homem. O “Super Moro” dividiu espaço com o “Lula Presidiário”.  

Outros alvos dos manifestantes foram o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o Centrão, grupo de deputados de vários partidos, que está dando as cartas no Congresso Nacional e colocando Bolsonaro praticamente de joelhos em diversas votações no Legislativo. O protesto contra o Supremo foi verificado ainda num grupo de manifestantes fantasiados de lagostas, numa alusão à recente compra deste fruto do mar para abastecer os paladares dos ministros da Corte. 

Uma das preocupações do próprio presidente Bolsonaro era em relação ao confronto com o Judiciário e o Legislativo durante o ato. O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar, entre outras lideranças do partido, também expressaram tal preocupação. Pelo número de manifestantes, extremamente aquém do esperado, esses posicionamentos não ficaram fortalecidos. Nem o governo.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br