Igreja Batista Getsemâni

CELESTE SILVEIRA

CELESTE SILVEIRA.jpg

 

Com a descoberta e a frustração de que a “arrancada para o futuro”, de Paulo Guedes, é de um burro empacado, muitos brasileiros tiraram a venda dos olhos e entenderam que foram ludibriados por uma ficção.

Enquanto Bolsonaro se agarra a 12% do bolsonarismo raiz que não raciocina e vive apenas de instinto, cá fora, longe dos trogloditas, ele começa a enfrentar uma guerra com uma tempestade de críticas vindas de grande parte do povo brasileiro.

Muitos figurões da política que caminharam com Bolsonaro, hoje, urram contra ele. O que parece é que Bolsonaro repete o mesmo ciclo biológico da era Collor, que depende de um fanatismo de direita com filosofias neoliberais, heroicas tão plásticas quanto o fake news que ajudou a eleger o capitão.

Qualquer um sabe que, com esse batalhão de 12%, Bolsonaro não tem chances, diante de uma guerra futura contra seu governo, vinda de uma legião de impacientes com a alimentação artificial de polêmicas produzidas pelo Palácio do Planalto enquanto o país se mostra completamente perdido e à deriva.

Para quem jurou substituir um sistema cheio de engodos verborrágicos, numa campanha desvairada, tendo o preconceito como alavanca de suas promessas, o risível Bolsonaro de hoje, ao invés de provocar entusiasmo, provoca arrepios de um calafrio que embrulha o estômago do povo que não esconde mais sua antipatia com o animal.

Por Carlos Henrique Machado Freitas


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br