Igreja Batista Getsemâni

Eleição para o Senado Federal será realizada em 26 de abril em Mato Grosso

TRE definiu nesta quarta-feira (22) a data da eleição suplementar

Helena Corezomaé / Do local Beatriz Saturnino
redacaomuvuca@gmail.com

urna.jpeg

 Foto: reprodução 

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) definiu que a eleição suplementar, que preencherá a vaga deixada por Selma Arruda (PODE) no Senado Federal, será realizada em 26 de abril. 

A resolução que foi votada nesta quarta-feira (22) seguiu o acórdão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que determinou que fossem convocadas novas eleições em um prazo de 90 dias desde a sua publicação, que ocorreu no último dia antes do recesso.

Conforme o pleno, seria inviável realizar a eleição em março, até por conta das chuvas e da logística. Apesar de estar com o calendário apertado, o presidente do Tribunal Regional de Mato Grosso (TRE), enfatizou que a eleição suplementar não afetará as eleições municipais.

Na sessão, o TRE ainda definiu que o fechamento de cadastro para a eleição suplementar será em 21 de fevereiro e para eleições municipalistas será em 6 de maio. Conforme o Tribunal Regional 572.887 mil eleitores estão com os títulos cancelados e terão até essas datas para regularizar a situação. 

A resolução ainda define que os partidos deverão realizar as convenções para escolha de nomes e coligações entre 10 e 12 de março. Depois da escolha dos nomes, os registros de candidatura deverão ser feitos em 17 de março.

Cassação

Selma Arruda, que foi eleita pelo PSL, e seus suplentes, Gilberto Possamai (PSL) e Clérie Fabiana Mendes (PSL), foram cassados por abuso de poder econômico e captação ilícita de recursos durante a campanha de 2018.

Ela e Possamai se tornaram inelegíveis por oito anos. Dos 7 ministros do TSE, apenas Edson Fachin divergiu do relator, Og Fernandes, que manteve o entendimento do TRE de Mato Grosso que cassou Selma em abril deste ano.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br