Igreja Batista Getsemâni

Mendes diz que é impossível garantir honestidade de seus servidores

A fala do gestor foi dita em relação a prisão do ex-secretário Wanderson de Jesus

Matheus Maurício
redacaomuvuca@gmail.com

Mauro Mendes.jpg

 

Após entregar o novo prédio da Secretaria de Educação (Seduc), na manhã desta quarta-feira (30), o governador Mauro Mendes (DEM) disse que não tem como afirmar que todos seus secretários são honestos. A fala do parlamentar foi dita em relação a prisão do secretário-adjunto da Casa Civil, Wanderson de Jesus Nogueira, ocorrida na última quinta-feira (25).

“Nós temos 70 mil servidores, é impossível garantir que tenha 70 mil pessoas, absolutamente, honestas, trabalhando para o Estado de Mato Grosso. É possível que qualquer deles possa fazer algum ato indevido, agora qualquer um que fizer e for pego vai pagar por isso e não vai ter o apoio do governo”, frisou Mauro durante uma coletiva de imprensa.

O caso citado pelo parlamentar se refere a ação feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) que culminou na prisão de Wanderson de Jesus Nogueira, por suspeita de corrupção. Ele é acusado de ter recebido dinheiro de propina para favorecer uma empresa em um processo de licitação dentro do órgão qual ele trabalhava.

O governador, que falou à imprensa sobre o caso pela primeira vez, reiterou que nenhum dos membros de seu governo tinha qualquer conhecimento da situação “nós temos que esperar as investigações andar, o governo, eu e meus secretários não compactuamos com nenhum tipo de corrupção”, asseverou.

O caso

Segundo as informações, no momento em que foi preso, na quinta passada, Wanderson estava com uma quantia aproximada de R$ 20 mil, este valor pode ter sido repassado a ele pelo representante da empresa no possível esquema corruptivo que foi acertado.

A situação de entrega de dinheiro a Wanderson teria ocorrido horas antes dele ser preso, na Casa Civil. Por conta da situação de flagrante, o secretário foi levado à delegacia e autuado pelo crime de corrupção passiva.

No mesmo dia em que foi preso o governo do Estado divulgou uma nota dizendo que o servidor tinha sido exonerado de suas funções.

Denúncia de nepotismo

Outro crime foi entrelaçado ao ex-secretário de Mauro essa semana, isso porque Wanderson de Jesus Nogueira, está sendo acusado de nepotismo, pois o servidor exonerado empregou no governo do Estado sua esposa, filho e até cunhada em cargos comissionados.

Conforme denúncia encaminhada ao Muvuca Popular, a esposa do ex-secretário, Eluana Rodrigues Veloso, foi nomeada pelo próprio na equipe técnica da Comissão Permanente Licitatória da Casa Civil. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado em agosto de 2019.

Já o filho, Felipe Butrago Nogueira, foi nomeado em um cargo comissionado na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), como coordenador de ordem e planejamento territorial.

A última beneficiada pelo ex-secretário foi sua cunhada, Adriana Rodrigues Veloso, que foi nomeada como fiscal substituta de limpeza na Superintendência da Imprensa Oficial do Estado de Mato Grosso (Iomat).

Wanderson que havia sido preso foi solto após uma liminar de liberdade provisória, que foi adiquirida através de sua defesa.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://muvucapopular.com.br