Pedro Taques recebeu "propina" de R$ 3 milhões de empresa envolvida na Lava Jato | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019

INVESTIGAÇÃO Quinta-feira, 01 de Agosto de 2019, 05h:32 | - A | + A




Acusado

Pedro Taques recebeu "propina" de R$ 3 milhões de empresa envolvida na Lava Jato

Cervejaria Petrópolis trocou doação de campanha por incentivo fiscal milionário, aponta delator


Muvuca Popular

O ex-governador Pedro Taques recebeu R$ 3 milhões de reais de 'propina' travestido de 'doação' na campanha de 2014 ao governo, da Cervejaria Petrópolis, que foi envolvida na 62ª fase da operação Lava-jato denominada Rock City, ocorrida ontem (31), quando cerca de 120 Policiais federais cumpriram 1 mandado de prisão preventiva, 5 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão em 15 diferentes municípios.

O grupo que recebe incentivos desde 2006, é acusado de lavar dinheiro em forma de doação de campanha, e em troca recebeu incentivos fiscais  que acumula um prejuízo aos cofres públicos de mais de R$ 200 milhões.

Dono do Grupo Petropólis, o empresário Walter Faria foi o principal alvo da PF, que nesta fase inestiga o esquema de lavagem de dinheiro de R$ 329 milhões travestido de financiamento de campanha. 

As “batidas” da PF também se deram em Mato Grosso pelo fato de o Grupo Petropólis ter uma unidade em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), onde, entre outras, fabrica a cerveja Itaipava. Em Cuiabá, houve um mandado de busca e apreensão. 

A suspeita da PF é de que offshores ligadas à Odebrecht realizavam, no exterior, transferências de valores para offshores do Grupo Petrópolis, que, por sua vez, disponibilizava dinheiro em espécie no Brasil para realização de doações eleitorais, entre elas ao ex-governador de Mato Grosso. 

O Grupo Petrópolis foi utilizado para fazer doações de campanha eleitoral para políticos de outubro de 2008 a junho de 2014. Além de Pedro Taques, o ex-governador Silval Barbosa teria se beneficiado do esquema.

Na coletiva da 62ª fase da Lava Jato, ontem, o procurador da República Felipe D’Elia Camargo disse que os “mensageiros” do Grupo Petrópolis chegavam a usar carros-fortes blindados para o pagamento das propinas. 

Fábrica recebe incentivos fiscais

A denúncia de que a Cervejaria Petrópolis - que produz a cerveja Itaipava em Mato Grosso, fez as doações à campanha de Pedro Taques partiram da delação do empresário Alan Malouf, em seu acordo de colaboração premiada fechado com a Procuradoria Geral da República (PGR) - a delação foi homologada pelo ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os incentivos à cervejaria foram concedidos desde a gestão Blairo Maggi (PP) e renovados em 2012, na gestão de Silval Barbosa, para incluir, além da produção de cerveja em garrafa, a produção de cerveja em lata.

Em sua delação, Malouf afirmou que presenciou uma conversa entre o ex-secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, e um representante da empresa, por telefone. O empresário diz que o ex-secretário pediu R$ 2 milhões em doações, sendo que a cervejaria já havia feito uma doação de R$ 1 milhão até aquele momento.

Na prestação de contas da campanha de 2014, o governador Pedro Taques declarou ter recebido uma doação de R$ 1 milhão da cervejaria em 25 de setembro daquele ano e uma segunda doação, de R$ 2 milhões, em 29 de outubro.

Malouf disse que em uma das reuniões na residência de Pedro Taques, presenciou o primo ligando para um diretor da empresa, solicitando do mesmo a doação de mais dois milhões de reais, pois até aquela data, a referida cervejaria "só havia doado R$ 1.000.000,00 de reais".

Empresário Alan Malouf disse à Justiça que a cervejaria Petrópolis teria feito doação a Taques para continuar recebendo incentivos fiscais, o que de fato aconteceu. A empresa foi beneficiada com 90% de isenção.

Outro lado

Em sua defesa, o ex-governador Pedro Taques disse que declarou as doações recebidas em 2014 da Cervejaria Petrópolis e afirma que os valores foram legais. 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(5) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

José - 01-08-2019 08:04:30

QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Responder

5
0


Carlos Nunes - 01-08-2019 07:58:29

Ih! Um montão de delatores premiados no Brasil abriu o bico e disse: "sabe aquela doação partidária que entrou carimbada de honesta, legal...era propina também. Ninguém deu nada pra partido político nenhum, se não recebesse algo em troca". Pois é, disseram isso...e a Imprensa divulgou a nível nacional e internacional essa notícia. Se o TSE e os TRE's funcionassem...chamava delator premiado, um a um, e mandava eles repetirem essa estória, tintim por tintim, onde foi parar centavo por centavo desse dinheirão. Que negócio é esse de doação partidária carimbada como honesta, legal, ser propina também. MAS (sempre tem um mas na estória) o TSE e os TRE's não fizeram NADA, não tomaram nenhuma providência...perderam a grande oportunidade de passar a Política Brasileira a limpo. Tinha que fazer uma Auditoria em todas doações partidárias do país, pra distinguir Quais doações partidárias foram propina no duro. Isso ia dar um trabalhão danado pros TRE's...trabalhão que valeria a pena, ou não? Vê-se que tem várias maneiras de combater a Corrupção, mas poucos tão se importando com isso...Não acabam com a Corrupção porque não querem? Será?

Responder

5
0


Antonio - 01-08-2019 13:42:58

TRE-MT cassa Selma Arruda e suplente por caixa 2 e abuso de poder econômico e determina nova eleição. https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2019/04/10/tre-mt-cassa-senadora-do-psl-e-suplente-por-caixa-2-e-abuso-de-poder-economico-e-determina-nova-eleicao.ghtml

Responder

2
0


Antonio - 01-08-2019 13:44:34

PROPINODUTO DOS BOLSONAROS É DENUNCIADO POR JORNAL. VEJA: https://jornalggn.com.br/noticia/empresa-supostamente-ligada-aos-bolsonaro-e-pano-de-fundo-de-crise-no-paraguai/

Responder

0
0


jose a silva - 01-08-2019 07:10:48

Esse aí, o Pedro Taques, tem que tomar cuidado, pois se ele for preso e quando solto ou mesmo se estiver na iminência de ser preso, vai fazer uma visita, e rápido, ao PORTAL DO PARAÍSO (ops!...) FALHA NOSSA, portão do inferno!

Responder

5
1


5 comentários