Dr. Leonardo se une à CNM na luta pela regulamentação da Lei Kandir | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 18 de Julho de 2019

MATO GROSSO Quarta-feira, 15 de Maio de 2019, 11h:08 | - A | + A




Dr. Leonardo se une à CNM na luta pela regulamentação da Lei Kandir

Dr Leonardo CNM 2.jpg

 

Deputados e senadores se reuniram, nesta quarta-feira (15.05), com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) para traçar estratégia de atuação visando uma nova regulamentação da Lei Kandir (LC 87/1996).

Presente no encontro, o deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade) pediu apoio para a aprovação de requerimento que protocolou em março ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pedindo a inclusão imediata na Ordem do dia do Plenário do Projeto de Lei Complementar nº 511/2018. Trata-se da iniciativa que regulamenta justamente a compensação da União aos Estados, Distrito Federal e Municípios e que pode acrescentar mais de meio bilhão aos cofres de Mato Grosso anualmente.

“Com a Lei Kandir, as finanças estaduais foram afetadas gravemente considerando que o ICMS é o principal tributo estadual e os municípios recebem parcela da arrecadação. Somente no meu estado de Mato Grosso, a estimativa de perda de arrecadação com ICMS de 2004 a 2018 já chega a R$ 66 bilhões enquanto os repasses do FEX totalizaram apenas R$ 3,9 bilhões. O que acontece com Mato Grosso mostra a injustiça do Pacto Federativo”, afirmou Dr. Leonardo.

A CNM considera urgente a necessidade de uma nova regulamentação que ponha fim às perdas dos Municípios e Estados com a desoneração da Lei Kandir. O presidente da instituição, Glademir Aroldi, tem afirmado que a temática, bastante sensível para os entes locais e estaduais, tem sido amplamente discutida no Congresso Nacional, que se empenhou para atender a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) quanto à edição de nova regulamentação.

Em levantamento feito com base na análise do orçamento de 2018, a Confederação detectou que na Lei Orçamentária Anual (LOA) deste ano estão previstas despesas na ordem de R$ 3,5 trilhões para execução e manutenção do governo. Analisando esse orçamento, identificaram-se recursos consideráveis autorizados e não executados. Ou seja, a União teria condições de fazer repasses mensais aos Estados e municípios com a nova Lei Kandir.

“Em que pese o PLC 511/2018 estabelecer prazo para a União ressarcir as perdas do passado, o movimento municipalista entende como necessário resolver ‘daqui pra frente’”, diz documento da CNM. A ideia é voltar a cobrar o presidente da Câmara a inclusão desse projeto na pauta de votações.

Para o deputado Dr. Leonardo, seria muito prejudicial a extinção da lei Kandir. O parlamentar que também integra a Frente Parlamentar de Agricultura, observa que o tema também tem pautado discussões do setor produtivo.

“Além de ter que abrir mão de impostos, os Estados exportadores como é o caso de Mato Grosso precisam de vultosos investimentos para manter a infraestrutura em condições de operacionalizar todo o escoamento e continuar contribuindo para recordes de superávits na balança comercial. Por isso precisamos fazer essa discussão de forma conjunta, levando em conta todos os atores”, finalizou Dr. Leonardo.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários