Preso na Operação Sangria, ex-secretário desiste de pedir liberdade | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 17 de Julho de 2019

MUVUCADAS Segunda-feira, 15 de Abril de 2019, 09h:31 | - A | + A




Além de Huark, médicos também desistiram

Preso na Operação Sangria, ex-secretário desiste de pedir liberdade

(redacaomuvucapopular@gmail.com)
Redação

Huark-Luiz-Alves-Secom-Cuiabá.jpg

 

Envolvidos em fatos revelados pela Operação Sangria, o ex-secretário de Saúde de Cuiabá, Huark Douglas Correia, e os médicos Luciano Correia Ribeiro e Fábio Liberali Weissheimer, desistiram de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão da defesa aumenta rumores sobre delações premiadas em andamento junto ao Ministério Público (MPE).   

Leia também - Pedido de liberdade de ex-secretário de Saúde é negado 

A operação Sangria apura fraudes em licitação, organização criminosa, corrupção ativa e passiva, crimes cometidos através de contratos celebrados com as empresas usadas pela organização, em especial, a Sociedade Mato-Grossense de Assistência Médica em Medicina Interna (Proclin), Serviços de Saúde e Atendimento Domiciliar (Qualycare) e Prox Participações.            

Foram presos no dia 30 de março Huark Douglas Correia, Fábio Liberali, Fábio Taques, Kednia Iracema Servo, Luciano Correia, Fábio Taques Figueireiro e Celita Liberali. Os nomes também foram detidos na primeira fase da operação, em dezembro de 2018.     

Celita, Fábio Alex Taques, Kedina Iracema e Flávio Alexandre Taques já estão em liberdade.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

llhe cobrindo vou - 17-04-2019 13:50:40

vai cair a quadrilha instaurada na sms de Cuiabá tem muita coisa errada la tem um comissionado ligado a primeira dama que é chefe do transporte que pensa que tem, o rei n barriga que ate parece ser o próprio prefeito de Cuiabá tem servidores que não trabalham que tem o tal mensalinho altíssimo todos na faixá de 2 mil reais e por ai vai tem um povo que mexe com licitações no tal cd que também estavam juntos com eles tem um certo farmacêutico da policlínica do verdão que pensa que é dono da policlínica também faz parte da quadrilha e cade o mpe que não investiga isso cade os nobres vereadores que não fazem n ada em prol da prol dos mais humildes e carente mas fic\arem dando show isso sabem

Responder

0
0


1 comentários