Jovem que teve orelha cortada por policiais é internado no Pronto Socorro  | MUVUCA POPULAR

Terça-feira, 20 de Agosto de 2019

POLÍCIA Domingo, 14 de Julho de 2019, 12h:02 | - A | + A




Jonas Pinheiro 3

Jovem que teve orelha cortada por policiais é internado no Pronto Socorro

Além da orelha cortada jovem fraturou o maxilar e a costela


redacaomuvuca@gmail.com

WhatsApp Image 2019-07-12 at 17.21.03.jpeg

 

O jovem Luiz Fernando da Silva, que teve a orelha parcialmente arrancada por policiais, que foram até o residencial Jonas Pinheiro 3 entregar ordem de despejo aos moradores, foi internado no Pronto Socorro.

Conforme os amigos de Luiz, além da orelha cortada ele também fraturou o maxilar e a costela, por isso precisou ser internado.

“Os policiais pegaram o Rafael aqui dentro da minha casa. Bateram só na orelha dele, sem a gente ter feito nada, nem sequer estávamos olhando para eles. Chegou machucando o cara, eu peço que vocês façam alguma coisa para ajudar a gente”, declarou um morador em vídeo enviado ao Muvuca Popular.

Segundo os moradores, nesta sexta-feira (12) policiais da Força Tática e do Batalhão de Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam) passaram nas casas para entregar o comunicado de despejo aos residentes. Foi nesse momento, que os policiais retiraram o jovem da sua casa e o agrediram.  

No documento, entregue pelos policiais, as 450 famílias serão despejadas a partir das 6h, de terça-feira (16). O aviso teria sido “antecipado” para que todos os moradores providenciem maneiras de remoção dos móveis e deixem o local.

WhatsApp Image 2019-07-12 at 15.53.22.jpeg

 

Entretanto, as famílias afirmam que não tem para onde ir. Nesse sentido, pedem para que as casas sejam entregues a eles oficialmente.

A ordem de despejo é assinada pelo juiz Carlos Roberto Barros de Campo, da 2° Vara Especializada de Direito Agrário de Cuiabá. A ação de reintegração de posse é movida pela empresa Lumen Consultoria, Construções e Comercio Ltda, responsável pela obra.

Jonas Pinheiro 3

Obra da Prefeitura de Cuiabá, em parceria com a Caixa Econômica Federal (CEF), o residencial foi construído com recursos do programa Minha Casa Minha Vida e estava fechado há 6 anos, quando as famílias entraram e ocuparam os imóveis em 2018.

Na ocasião, as casas estavam prontas e tinham sido depredadas, tendo pias, janelas e vasos sanitários furtados, até que os ocupantes decidiram morar no local.

WhatsApp Image 2019-07-12 at 15.52.55.jpeg

 

VÍDEO

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Efa Forte - 15-07-2019 08:30:13

Infelizmente a policia do estado de Mato Grosso esta voltando as praticas das décadas de 70 e 80, onde os policias faziam o que queriam sem serem punidos, mas hoje com a maioria dos integrantes possuindo cursos superiores e sabedores das leis essa história deveria ser diferente. Dentro da própria corregedoria vem crescendo o número de denuncia, mas sabemos que por causa do corporativismo a maioria delas acabam arquivadas ou nem investigadas. E nessa matéria mencionada e na maioria dos casos de abuso de poder colocam no boletim de ocorrência que as pessoas que são as vitimas praticaram "desacato a autoridade" e "resistência a prisão". Isso é uma vergonha.

Responder

2
1


jose a silva - 14-07-2019 16:07:56

Invasores do alheiro e não fizeram nada? Se querem algo conquistem com seu esforço ou, no caso, esperem o sorteio! Ou acham que só voces tem direito? No mínimo uma cambada de malandros profissionais em grilagem ou invasão! Tem que apanhar mesmo!

Responder

0
7


2 comentários

coluna popular
Enxotado da política e fugido de MT por dívidas
Ex-governador pode perder direito de dirigir
“O crime dela é ser Lulista”
Servidores reclamam do abuso de poder
Porém, a família ainda não é favorável

Últimas Notícias
20.08.2019 - 11:32
20.08.2019 - 11:18
20.08.2019 - 11:04
20.08.2019 - 10:59
20.08.2019 - 10:47




Informe Publicitário