Bolsonaro corta "rancho" do exército e prejudica projetos ambientais em MT | MUVUCA POPULAR

Domingo, 15 de Setembro de 2019

POLÍTICA Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019, 08h:42 | - A | + A




Dinheiro tem

Bolsonaro corta "rancho" do exército e prejudica projetos ambientais em MT

Presidente diz que não tem dinheiro mas recusa doação externa


Muvuca Popular

 Foto: Montagem 

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) virou as costas para o dinheiro dos alemães e noruegueses que abastecem o “Fundo Amazônia”. A falta de diplomacia do presidente levou a suspensão do repasse não-reembolsável (doação) de quase R$300 milhões a serem gastos na região da amazônia brasileira.

Os europeus já doaram R$3,4 bilhões nos últimos onze anos, e apenas R$1,8 bilhão foram gastos em projetos aprovados nos estados que compõem a região amazônica. O mundo todo assiste com espanto a devastação da região porque depende da floresta para regular o fluxo das chuvas em todo o globo.

O governo Silval Barbosa (PMDB) teve aprovado o projeto “Bombeiros Florestais” e levou R$16,7 milhões. O dinheiro permitiu a especialização da tropa sediada em Sinop, e o intercâmbio com vários órgãos, como a secretaria do Meio Ambiente (Sema), e prefeituras do norte de Mato Grosso.

O dinheiro gasto pelo corpo de bombeiros militares com equipamentos, e treinamento, também bancou a compra de dois aviões Air Tractor com capacidade para três mil litros, sete caminhões Auto Florestais com tanques de cinco mil litros e seis caminhonetes.

O presidente Jair Bolsonaro disse no domingo (11) que a Alemanha "vai deixar de comprar à prestação a Amazônia", sobre os investimentos do país europeu no Fundo Amazônia. "Pode fazer bom uso dessa grana, no Brasil não precisa disso", afirmou.

Os bombeiros militares de Mato Grosso contavam com o dinheiro do Fundo Amazônia. Ao menos apresentaram projeto de R$30 milhões, e como foram bons gestores do projeto anterior, a tendência é que seja aprovado, e o dinheiro liberado.

Aliás, o problema do Fundo Amazônia são os projetos. O governo Bolsonaro queria usar o dinheiro que está parado de R$1,6 bilhão para indenizar fazendeiros da Amazônia, e os gestores do fundo aprovam dinheiro apenas para agricultura familiar, em projetos que exploram culturas integradas à mata.

O governador Mauro Mendes (DEM) agora terá que se preocupar com o crescimento dos incêndios florestais, e com a falta de recursos para combatê-los. Os recursos de compensação para exportação de produtos agrícolas, como a soja em grão (FEX) estão parados em Brasília.

O presidente Jair Bolsonaro disse na última semana que não tem dinheiro nem para o racho (alimentação) dos recrutas do Exército. “O Brasil todo está sem dinheiro. Os ministros estão apavorados. O Exército vai entrar em meio expediente. Não tem comida para dar para o recruta. A situação é grave”. Disse o presidente, que no mesmo dia recusou R$ 300 milhões de doação.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(8) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Helio Silva - 19-08-2019 16:30:41

Bolsonaro esta cortando o alimento do exercito porque quem esta no comando , generais, coronéis não estão concordando com ele; estão fazendo muitas criticas, tirando o Bozo. Outra, depois do Lula veio Dilma, depois o traidor do seu vice e a quase um ano, ai esta o Bolsonaro brincando de ditador para um monte de boçal. Infelizment temos um presidente que poderia estar trabalhando com outros afazeres, menos com o cargo de presidente.

Responder

9
2


Grillo Falante - 19-08-2019 16:30:09

CRi..cri...cri...bolsominions ,o Brasil é apenas UM e não o ÙNICO produtor de grãos e carne no mundo . O mundo passa por uma recessão sem precedentes ,e a disputa entre a China e os EUA agrava mais ainda a demanda por produtos .Ei Bozó você é a PRAGA da LAVOURA !!! PÔ !!!

Responder

7
2


Grillo Falante - 19-08-2019 12:36:56

Cri...cri...cri...alô Agroboys bolsominions!!! O pessoal do GrainBelt estão comemorando as bravatas do Bozó . São os principais concorrentes da soja,milho e algodão . Os editorias dos maiores jornais da Europa ,estão pedindo o boicote destes produtos , e exigindo medidas drásticas contra o falastrão. Ao que parece o acordo com a União Européia ,parece ter nascido morto. Ei Aprosoja ,ao que parece a soja MELOU . PÔ !!!

Responder

7
5


jose a silva - 19-08-2019 12:58:34

Esse povinho europeu precisa comer e de produtos in natura para produzir alimentos para humanos e animais! Tirando o Brasil, o resto dos produtores mundiais, não são suficiente para atender a demanda, então, querendo ou não, vão ter que ajoelhar e vir comer no prato brasileiro! É só o BRASIL endurecer um pouquinho e basta!

Responder

4
8


Olavo - 19-08-2019 16:19:40

Tá certinho José, esses esquerdistas venderam o Brasil, a troco de dinheiro para ongs esquerdistas globalistas, se nós não produzir 80% do mundo passa fome, esses esquerdinha burros não compreenderam ainda, que ou abrem o mercado ou o brasil mata eles de fome, simples assim, só foi o bolsonaro mandar a Alemanha a merda e correram e fecharão o acordo com o Mercosul... Que os governos socialistas esquerdistas rola bosta dos europeus nunca conseguiram fechar, nossa moeda de troca é a amazonia! Querem preservar vão ter que jorrar dinheiro no Brasil e fazer o um plano Marshall para nós, entenderam canhotinhas? Ou vou ter que desenhar?

Responder

3
7


alexandre - 19-08-2019 10:01:32

Aceitar o dinheiro e ficar subordinado ? a resposta é não, eles não mandam no Brasil, quem manda aqui é o povo brasileiro, é soberania... o PT acabou com o Brasil...se querem ajudar, que seja de bom grado, não com imposições...

Responder

8
10


Carlos Nunes - 19-08-2019 09:21:24

Agora a ficha caiu...as Finanças do país tão feias...o cara mais honesto do Brasil, que tá preso, MENTIU, quando disse: não tem crise, não se preocupem, é só uma MAROLINHA. Não era Marolinha coisa alguma, era um tsunami pior do que rompimento de barragem em Brumadinho. BOLSONARO jamais cortaria rancho do Exército, se a crise não fosse braba mesmo. Querem pressionar o país cortando as doações externas, de países que faz tempo abalaram a Natureza na terra deles. Teve um que matou tanta baleia que quase foram à extinção. A Amazônia Brasileira é cobiçada por muitos deles. O maior erro do BOLSONARO foi não ter, já na primeira semana de seu mandato, ter ocupado rede de televisão, pra narrar pros Eleitores, como encontrou o país...Qual foi a herança maldita que recebeu? Devia ter narrado tudo, numa linguagem bem popular, pra que Dona Maria, aposentada com 998 reais, entendesse. A crise é maior do que a gente imagina...Desgovernos AFUNDARAM, ARREGAÇARAM com o Economia Brasileira, pela Má Gestão, pelas Políticas Econômicas Erradas, pelas Prioridades Equivocadas, pela roubalheira desgraçada. Enquanto a vaca da Economia ia pro meio do brejo e ficava atolada até o pescoço, tio Lula e tia Dilma emprestavam BILHÕES DE REAIS, via BNDES, lá fora. Por que não deixou esses BILHÕES aqui dentro mesmo, pra gerar Milhares de Empregos? Tá cheirando Corrupção de lá fora pra cá dentro, ou de cá dentro pra lá fora, considerando que a Empreiteira que tocou a maioria das Obras lá fora foi a Odebrecht. Aquela que os mais de 70 Executivos delatores disseram: durante mais de 30 anos, montamos um Departamento só pra correr propina...víamos quem tinha potencial pra receber propina e comprávamos o cara. Tem que abrir a Caixa Preta do BNDES URGENTEMENTE...pra fuçar o rastro desses BILHÕES.

Responder

11
10


jose a silva - 19-08-2019 09:04:43

BOLSONARO fez certo ao dispensar essa merreca! Se as intenções desses dois países fossem honestas, a não ser simplesmente a de surrupiar as riquezas minerais, a contribuição deveria ser no mínimo de $ 100 bi/ano (dólares). Ou venham com coisa séria ou que fiquem por lá!

Responder

13
13


8 comentários