Deputada avalia que cassação de Selma gera prejuízo ao estado | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 17 de Julho de 2019

POLÍTICA Sábado, 13 de Abril de 2019, 14h:11 | - A | + A




JULGAMENTO

Deputada avalia que cassação de Selma gera prejuízo ao estado

janaina

 

A deputada estadual, Janaina Riva (MDB), avalia que confirmação da cassação da senadora Selma Arruda (PSL) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), será um prejuízo para Mato Grosso. Segundo ela, a senadora foi eleita democraticamente pelo voto popular e nova eleição deve causar grande desgaste na sociedade.

Além disso, ela lembrou que os crimes eleitorais do qual a senadora foi acusada pode ter sido cometido pela simples falta de experiência em campanhas. Janaina também destaca que qualquer político pode passar pela mesma situação. "Qualquer um está suscetível a cometer crime eleitoral, isso não tem relação com gênero. Talvez a falta de experiência tenha feito que ela acabasse cometendo este erro grosseiro de crime eleitoral e caixa dois”, explica.

A emedebista pontua que cassação da senadora é prejuízo ao Estado. “Para o Estado eu tenho certeza que é uma perca grande porque se trata de uma senadora eleita democraticamente pelo voto popular que perde o mandato. Então é desgastante para o Estado, uma nova eleição, nova disputa”.

Em meio a sua análise, a deputada revela que não é positivo perder uma senadora, ainda mais se tratando de mulher, sendo a única representante no Senado Federal. Ela ainda reforça que Selma foi eleita democraticamente e mesmo não sendo uma defensora enfática nas causas que envolvem mulheres, acredita que prejuízo é grande quando se trata da cassação.

“É preocupante para Mato Grosso, não dá para dizer que é legal que é positivo, porque é uma senadora eleita democraticamente, é uma representante mulher apesar de não abraçar a causa do empoderamento feminino que eu acho que deveria ser uma obrigação de todas as mulheres, sendo a única mulher representando Mato Grosso no Senado. Então, eu acredito que o prejuízo na verdade é mais para o Estado do que para as mulheres em si, afinal de contas não tinha uma pauta positiva com relação às mulheres”.

Cassação

A senadora Selma Arruda (PSL-MT) teve o mandato cassado pelo Tribunal Eleitoral (TRE-MT) do Estado, nesta quarta-feira (10/4). Ela é acusada de omitir da Justiça despesas de R$ 1,2 milhão durante a campanha de 2018, o que configura caixa 2 e abuso de poder econômico. A senadora recorre da decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(5) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes - 14-04-2019 09:09:24

Em resposta que ao Gilberto...Corrupto, safado, vigarista, etc, que se preze, não deposita dinheiro em conta bancária, pois o Banco fica sabendo na hora, o Banco Central, o COAF, também. Recebe a mala de dinheiro, mas não passa recibo. Quem deposita dinheiro em conta bancária não tem nada pra esconder...Dizem que temos uma senha secreta pra mexer na conta bancária, na poupança, etc, mas os bancos sabem de tudo...a minha por exemplo, o gerente do Banco sabe mais do que eu... Nessa última eleição, dizem que correu malas de dinheiro, alguns candidatos compraram votos...mas jamais saberemos disso até aparecer mais um delator premiado, abrir o bico e contar estórias. Dizem que os caras que movimentaram as malas de dinheiro, eram tão ruins de votos, que, com mala de dinheiro e tudo, não ganharam a eleição...o eleitor não acreditou em nenhuma palavra que eles disseram.

Responder

2
0


Carlos Nunes - 13-04-2019 19:07:33

Em resposta ao meu quase xará, o Carlo Nunex...é preciso ser muito tolo, pra acreditar que uma pessoa como a Juíza SELMA, que passou 22 anos batendo de frente contra o crime organizado, os corruptos e corruptores, as máfias de Mato Grosso,,,ia de repente mexer com Caixa 2, compra de voto, e outras coisitas mais. Essa não dará pra engolir nunca. Não foi 1 dia, ou 1 ano, foram 22 anos. Mandou vários chefões do crime, que se achavam reis do pedaço, pra cadeia...deve ter uma fileira deles que odeiam a Juíza. Pra mim tudo isso é uma grande armação contra a Juíza...a vingança dessa turma é terrível. Desde que a Juíza SELMA propalou que talvez fosse candidata, fizeram um montão de armações covardes pra desmoraliza-la. Mas (sempre tem um mas na estória) 678.542 eleitores cravaram o voto nela...foi a senadora mais votada. Eu votaria nela de novo...e olho que nem conheço pessoalmente, mas farejo gente honesta, íntegra, de longe...assim como farejo os picaretas também. Mato Grosso, o Brasil, precisa de várias SELMAS sentando a pua na Corrupção...

Responder

2
2


Gilberto - 14-04-2019 06:29:27

Então abre a conta bancária dela nesses 22 anos e olha. Quebraram o sigilo de cinco dias da conta bancária da mulher. Não existe armação não. Essa mulher fez atrocidades para se projetar na política usando condenações injustas.

Responder

1
1


Carlos Nunes - 13-04-2019 14:49:18

O professor Lourembergue, no Programa Opinião, esclareceu os fatos: não foi a Senadora SELMA que foi cassada, pois somente pode cassar um Senador, o próprio Congresso Nacional, visto que são eleitos pelo voto popular. O TRE/MT cassou a chapa da Senadora. O grande imbróglio que tem que ser revolvido, é que pelas contas da Senadora, não houve extrapolação nenhuma de dinheiro, e tudo foi prestado contas. Resta saber Quanto a Juíza gastou DEPOIS da Convenção Partidária e do registro da Candidatura no TRE, onde tornou oficialmente candidata...parece que tão incluindo dinheiro, de despesas ANTES da Convenção e do Registro da Candidatura. Bem, ANTES da Convenção e do Registro da Candidatura, a Juíza SELMA não era candidata na nada. Nadinha. Aliás nenhum cidadão e cidadão brasileira é candidata a coisa alguma...sem antes passar pela Convenção de um Partido Político, pra depois poder registrar a candidatura no TRE. Os sites revelaram que começaram a fuçar a vida da Juíza pra ver o que ela fez em abril, maio, e meses anteriores à Convenção e registro da candidatura. Se houve movimentação de conta bancária, empréstimo, etc, nesses meses, cabe a Juíza somente constar na sua Declaração do IR 2019, exercício 2018, exigência da Receita Federal. É a Receita Federal que tem que passar esses dados. E não à Justiça Eleitoral. À Justiça Eleitoral compete acompanhar a movimentação do dia em que a pessoa registrou a candidatura no TRE, em diante...ou seja até o dia da eleição. Parece que esse caso da Juíza é um imbróglio envolvendo datas (ANTES E DEPOIS da Convenção e registro da Candidatura), matemática (quanto gastou DEPOIS do registro da Candidatura). Se não for assim, significaria que temos um TRE super-poderoso...ano que vem tem eleição pra Prefeito de Cuiabá, teremos provavelmente dezenas de candidatos...Pode o TRE começar a fuçar a vida (bancária, financeira, se fez empréstimo ou não, etc.) de todos os candidatos a Prefeito, ANTES que eles se submetam a uma Convenção Partidária e registrem suas candidaturas? Resposta: NÃO, pois todos eles, antes do registro de suas candidaturas, aprovadas na Convenção, não são candidatos a nada.

Responder

5
4


Carlo Nunex - 13-04-2019 18:07:28

EU GOSTO DE CORRUPTOS. NUNCA RECONHEÇO UM ERRO. SÓ ENXERGO O QUE EU QUERO.

Responder

1
2


5 comentários