Deputado Elizeu acusa governo de não querer fornecer fardamento para policiais e bombeiros | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019

POLÍTICA Sexta-feira, 08 de Novembro de 2019, 03h:45 | - A | + A




Manobra no parlamento

Deputado Elizeu acusa governo de não querer fornecer fardamento para policiais e bombeiros

Líder do governo estaria trabalhando para para barrar projetos que beneficiam a segurança pública


Muvuca Popular

 Elizeu Nascimento (DC) | Foto: reprodução 

O deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), acusou o governador Mauro Mendes (DEM), através de seu líder na Assembleia Legislativa, Dilmar Dal Bosco (DEM), de usar subterfúgios para barrar projetos que beneficiam a segurança pública.

A bronca do parlamentar foi dada numa transmissão ao vivo nas redes sociais onde disse, em vídeo de mais de 30 minutos, que Dal Bosco, como presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), estaria usando artifícios para livrar o governo da responsabilidade de fornecer fardamento gratuito para policiais e bombeiros militares.

"O fardamento gratuito é um direito dos soldados, dos oficiais, praças a coronéis, e a responsabilidade da aquisição dos uniformes é do governo do estado de Mato Grosso, mas infelizmente o governo está transferindo essa responsabilidade", lamentou o parlamentar, se referindo a Mendes e ainda fazendo acusações ao seu colega de parlamento.

"O deputado Dilmar Dal Bosco tem trabalhado "incansavelmente" para que alguns projetos não sejam aprovados pela comissão de segurança desta casa e com isso estes projetos nem chegam ao plenário para serem  votados. Não irei omitir os nomes daqueles deputados que estão assinando (compactuando com o governo) para 'matar' os projetos que beneficiam a segurança pública, a categoria saberá quem realmente está com eles e os que estão contra eles, a cada dia que passa me desaponto mais com o líder do governo", desabafou.

De acordo com o parlamentar, o Coronel Jonildo José de Assis, comandante geral da Polícia Militar de Mato Grosso, está revindicando, junto aos deputados estaduais de Mato Grosso, recursos financeiros para a compra de fardamento para os profissionais da segurança pública. 

"Se o governo cumprisse com a sua obrigação, o recurso que será destinado para a aquisição dos uniformes poderia ser usado para compra de coletes balísticos, munições, reformas dos prédios, que estão caindo na cabeça dos policiais, aquisição de viaturas ou então em cursos, como os de Adaptação de Oficiais Complementar (CAOC), de Formação de Sargento (CFS) de Formação de Oficiais (CFO) e outras ferramentas para melhorar as condições de trabalho", defendeu o parlamentar.

Só na promessa

Em julho deste ano chegou a ser publicado no Diário Oficial do Estado (D.O.U), a homologação do pregão eletrônico  (028/2018), que seria realizado pelo governo do estado, destinado ao registro de preços para aquisição futura e eventual, ou seja, conforme a necessidade, de uniformes e acessórios para atender policiais integrantes do efetivo da Polícia Militar de Mato Grosso. 

O pregão foi dividido em 48 lotes, no valor total de R$ 12.559.884, para aquisição de itens como: gandolas, calças, cintos, insígnias, bonés e coturnos. O deputado Elizeu chegou a agradecer o Secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamente, que teria atendido um requerimento seu, já que a última troca de fardamento foi realizada em 2013, embora só tenha sido paga em 2016, após muita reclamação da tropa, que se manifestava de forma anônima através do Muvuca Popular e outras mídias, já que não podem fazê-lo abertamente para não infringir o código de conduta da corporação.

O fardamento deve ser pago aos militares conforme previsão legal do art. 128 e 129 do Estatuto dos Militares.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

bruno - 08-11-2019 11:34:08

como fica os 05 anos que compramos nossa farda para trabalhar? como fica o reembolso? como iriamos desempenhar nossas funções com roupas de civil? Greve não podemos fazer, o RDPM diz o militar deve primar pela impecável aparência. Como acatar isso sem farda? tivemos que comprar, retirando recurso da saude, educação, lazer e bem estar da familia, alem de ter o salario parcelado desde 2015.

Responder

7
0


Cabo - 08-11-2019 05:53:13

Estamos contigo deputado. Mete a lenha nesses covardes que não respeitam nem as leis, imagina os policiais que a servem!

Responder

17
0


2 comentários