Deputado federal pede afastamento de reitora da UFMT | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019

POLÍTICA Quarta-feira, 17 de Julho de 2019, 17h:24 | - A | + A




Com a bola toda

Deputado federal pede afastamento de reitora da UFMT

José Medeiros enviou um ofício ao ministro da Educação


redacaomuvuca@gmail.com

Após o corte de energia na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o deputado federal José Medeiros (PODE) encaminhou um ofício ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, solicitando uma auditoria na instituição para que a reitora Myrian Serra seja afastada de seu cargo.

“A solicitação tem como base as recentes notícias veiculadas na mídia acerca do corte de luz nos cinco campis da Universidade, nas quais a reitora, a senhora Myrian Thereza Serra, culpa o contingenciamento do governo pela falta de recursos para o pagamento da conta de luz”, diz no documento.

Segundo o parlamentar, o corte de energia ocorreu por irresponsabilidade da universidade, pois o MEC garante ter liberado R$ 4,5 milhões na última semana, para o pagamento das contas de energia atrasadas.

Sendo assim, Medeiros alega que o problema que a UFMT está enfrentando não se resume a falta de orçamento, mas sim à má gestão que a reitora vem realizando. “A gestão da atual reitora apresenta problemas, pois não se pode admitir que uma Universidade fique sem luz por culpa da reitoria”, alega.

Desta forma, o deputado sugere que a universidade seja investigada e, para o andamento correto das averiguações, a reitora da instituição deve ser afastada.

“Para que a auditoria seja realizada sem qualquer interferência que venha a prejudicar as investigações, é recomendável que reitora seja afastada do cargo até que se concluam os trabalhos”, concluiu Medeiros.

Confira AQUI o ofício do parlamentar

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(7) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Zora Narampa - 19-07-2019 14:28:23

Alguém avisa a esse desavisado que a UFMT já é ROTINEIRAMENTE AUDITADA pela CGU (auditoria externa), pelo TCU (tribunal de contas), por auditoria interna, e que seus gastos são acompanhados por um sistema integrado de finanças chamado SIAFI, ao qual o MEC e outro ministérios têm inteiro acesso. É balela dessa moço e do outro do guarda-chuva, que deviam estudar mais sobre gestão pública antes de falar tantas barbaridades (acepipes, kafta, bombom etc. - só pensa em comida?!). Ou será que eles se fingem de ignorantes? Taí, será?

Responder

0
0


Mariazinha - 18-07-2019 08:59:18

E o MORO e o QUEIRÓZ ? Alguém de vocês me dão noticias ???!!!

Responder

5
2


alexandre - 18-07-2019 07:58:32

não foi contingenciado o dinheiro das despesas básicas, foi contingenciado as discricionárias: bolsas, viagens ao exterior se recebeu dinheiro para pagar luz e gastou com outa coisa, tem que ter responsabilidade, é despesa de 2018.... é restos a pagar...é crise acabou a festa...6 meses, 6 meses....

Responder

1
4


jose a silva - 18-07-2019 07:58:23

Tem uns tais Zé e Mané aí, que devem ser petistas lilás (nem roxo é mais), pelas asneiras que dizem: a coisa se chama administração, orçamento, planejamento para ver o que vai receber e o que vai gastar! Agora, faltou grana porque roubalheira não vai em orçamento! Tem que afastar a reitora e demais administradores da UFMT e colocá-los, todos, na cadeia! CADEIA NELES! A cara dessa falsa platinada diz tudo!

Responder

2
5


mané - 18-07-2019 06:52:24

O dinheiro enviado ,estava CONTIGENCIADO !!! Então , não era possivel pagar a Energisa . Foi necessário que técnicos do MEC ,providenciassem outro repasse para sanar o problema . Melhor explicando ; o atual Ministro ,não entende nada sobre repasses do MEC . Não é da área ,portanto um paraquedista desastrado que está atolado na sua incompetencia administrativa . Outros problemas mais graves por certo virão ,pois o MEC não foi feito para INCOMPETENTES !!!

Responder

4
3


alexandre - 17-07-2019 21:30:35

tão inventando, teoria da conspiração que o governo mandou a cemat cortar a luz, pra haver intervenção na federal..o povo viaja...

Responder

5
4


Carlos Nunes - 17-07-2019 17:35:21

Qualquer cidadão brasileiro, e sua digníssima família, faz um ORÇAMENTO mensal, anual, pras despesas da casa...Destaque: Energia Elétrica, Água...bens essenciais. Hoje no Programa Opinião, apareceu um vídeo mostrando declarações do Medeiros e do Ministro da Educação. Disse o Ministro: a Reitora não comunicou com antecedência sobre isso. A conta de Energia já tava atrasada vários meses de 2018, ANTES que o BOLSONARO até assumisse o Governo. Puxa vida! A UFMT não teve capacidade pra colocar Energia Elétrica no Orçamento de 2.017, para o ano de 2.018...e no Orçamento 2018, para o ano de 2.019? Tão ruim de Orçamento? Deixar cortar a Energia da UFMT. Orçamento 2.017, pro exercício de 2.018, quem governava o país era tio Temer...não pagaram a conta vários meses. Ih! Esse imbróglio tá igual a estória do FEX, onde não colocaram no Orçamento Federal, nem pra 2.017 nem pra 2.018...e queriam que o FEX chegasse?

Responder

5
6


7 comentários

coluna popular
6° edição “Línguas Pretas”
Desvio na Gaeco
Blairo Maggi e Silval Barbosa
121 instituições foram contempladas
Parte será destinado à creche Irmã Hylda

Últimas Notícias
15.12.2019 - 19:14
15.12.2019 - 18:57
15.12.2019 - 17:54
15.12.2019 - 16:13
15.12.2019 - 14:50




Informe Publicitário