Dois vereadores de Cuiabá, um louco e outro ladrão | MUVUCA POPULAR

Terça-feira, 20 de Agosto de 2019

POLÍTICA Quarta-feira, 15 de Maio de 2019, 23h:23 | - A | + A




Oposição sem moral

Dois vereadores de Cuiabá, um louco e outro ladrão

Enroscados na justiça, Wellaton e Abílio extrapolam mandatos e podem ser cassados


Muvuca Popular

 

A sociedade cuiabana começa a se voltar contra o que considera abuso dos vereadores Abílio Brunini (PSC) e Felipe Wellaton (PV), que na ânsia de turbinarem suas respectivas imagens nas redes sociais, acabaram extrapolando de suas prerrogativas, tanto de parlamentares quanto de cidadãos civilizados.

O vereador Abílio, por exemplo, responderá judicialmente por ter cometido o crime de violação de residência, quando invadiu a privacidade da residência do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), ao subir no muro e utilizar drones para transmitir por live em seu Facebook a obra que estava acontecendo na casa. O crime é previsto no Código Penal, pela Lei 4.898/65 de abuso de autoridade, e tem previsão punitiva na própria Câmara de Vereadores.

Com isso, o Sindicato dos Agentes de Fiscalização do Município de Cuiabá (Sindasfimc), chegou a protocolar um pedido de abertura de investigação contra o parlamentar. O documento foi lido durante a sessão plenária desta terça-feira (14) e encaminhado para a Procuradoria Geral da Casa para emissão de parecer. A associação alega que o parlamentar colocou os servidores públicos em situação vexatória.

"Vem, perante Vossa Excelência, solicitar a abertura de processo em desfavor do Vereador Abílio Jacques Brunini Moumer, por força de manifestação infundada, ilegal e imoral, divulgada em vários veículos de imprensa da Capital [...] expressamente afirmando que agentes de regulação e fiscalização da Capital teriam se recusado a apurar denúncia sobre suposta obra irregular na residência do Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro”, consta em nota.

No pedido de investigação, a narrativa do Sindicato afirma que Abílio “preferiu o sensacionalismo à verdade dos fatos, e, o pior de tudo, sua atitude maculou a imagem de servidores públicos municipais perante toda população cuiabana, tão somente porque recusaram, pasme-se, a entrar em seu veículo particular para apuração da denúncia”.

Caso o pedido seja acatado, a Comissão irá instaurar um procedimento investigatório para apurar a suposta quebra de decoro por parte do parlamentar. Abílio chegou a ser apontado por seus pares como alguém que precisa de ajuda psicológia. Dois colegas de Abílio apontaram sua suposta insanidade, um chegou a dizer que o vereador é possuído pelo demônio, outro disse que ele é apenas louco.

Surrupiando dinheiro

Já o vereador Felipe Wellaton (PV), que também se aproveita das redes sociais para atacar a gestão atual - diga-se, de caso pensado, já que houve manifestação de interesse eleitoral em suas ações, quando foi colocado que os vereadores que mais se destacarem na oposição será o candidato à cadeira de prefeito em 2020 - acabou ficando mesmo manchado por sua persistência em cobrar algo que não pode oferecer: Honestidade.

Enroscado em investigação no Ministério Público, Wellaton foi acusado de surrupiar a Verba Indenizatória e parte dos salários de seus assessores.

Segundo matéria do RDNews, publicada por Michail Favalessa nesta terça-feira (14), documentos como extratos bancários e prints de conversas no Whatsapp mostram valores da Verba Indenizatória (VI) que foram supostamente devolvidos pelo ex-chefe de gabinete Jadson Nazário ao vereador Felipe Wellaton (PV). Jadson denunciou o caso ao Ministério Público Estadual (MPE) e à Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), que seguem ouvindo testemunhas.

O ex-assessor prestou serviços a Wellaton por dois anos, sete meses e um dia, de acordo com informações prestadas pela Secretaria de Gestão de Pessoal da Câmara em maio do ano passado. “Trabalhei com ele nos 45 dias de campanha com o compromisso de estar na equipe do gabinete. Era um trabalho voluntário, esse era o único compromisso”, informou.

Os desvios de VI teriam começado em janeiro de 2017, logo após a Câmara depositar o salário referente a aquele mês. Conforme Jadson, houve uma discussão com o vereador no carro a caminho de uma reunião, depois do ex-assessor se negar a devolver o valor, porém, apesar de contrariado, Jadson teria feito pagamentos solicitados por Wellaton com a VI para garantir seu emprego.

Depois do conflito, Jadson foi exonerado da chefia do gabinete, mas continuou repassando os valores e foi nomeado como assessor. Ademais, denunciou que Wellaton teria cogitado solicitar metade dos salários de cada um dos servidores do gabinete para custear despesas da atividade parlamentar.

Por erro da Câmara ou do próprio gabinete, mesmo como assessor Jadson seguiu recebendo a Verba Indenizatória em sua conta. Nos dois meses seguintes, fevereiro e março de 2017, ele conta que sacou o dinheiro e tentou entregar a Wellaton, que solicitou novamente que ele seguisse fazendo pagamentos diversos.

Os repasses foram utilizados em materiais de construção para a reforma de um quiosque de açaí, de propriedade de Wellaton, no Parque das Águas de Cuiabá, e na reforma do motor de uma caminhonete própria do vereador, onde foi gasto cerca de R$ 5 mil.

Desta forma, relata o site, os desvios continuaram acontecendo, porém, com o novo chefe de gabinete, João Braga, que transferia integralmente os valores. Enquanto isso, Jadson foi sendo deixado de lado até ser demitido em época de corte de gastos, em setembro de 2017.

Entretanto, em 2018, o parlamentar procurou seu ex-assessor novamente para recontratá-lo e por necessidade, ele aceitou o cargo. “Ele chegou e me falou que eu não precisava ir lá trabalhar. Aí eu vi que não dava”, relatou. De acordo com a Câmara, a última exoneração do ex-assessor é de 1 de março de 2018. 

Além do MPE e da Defaz, o vereador é alvo de uma representação na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara. O presidente, vereador Vinícius Hugueney (PP), recebeu a defesa do parlamentar e analisa as medidas a serem tomadas.

De acordo com Wellaton, a denunciação é "caluniosa" e ele está sendo apenas vítima "em um maldoso, malicioso e ardiloso esforço para calar minha oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro e retaliar pelas denúncias que fiz durante todo o mandato". 

De qualquer modo, se colocou à disposição da Justiça e afirma que o ex-assessor não cumpria horários em seu gabinete e, por isso, foi desligado. Os pagamentos feitos nos meses após a saída do cargo de chefia teria ocorrido por mero erro da Câmara, na versão do parlamentar.

Wellaton defende que os R$ 4,2 mil da VI servem para pagar custos com internet, mobília e computadores, além de combustível e estrutura para trabalhar e não são de direito do chefe de gabinete. O parlamentar ainda nega ter cobrado parte dos salários de quaisquer de seus funcionários na Câmara.

"O veículo consertado ficava à disposição do gabinete e foi utilizado durante todo o mandato pelos funcionários", alega o vereador.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(15) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Eliene Ribeiro Prata - 17-05-2019 08:09:22

Parabéns!Sou sua fã! Continue cuidando desta cidade...o povo merece!

Responder

1
0


Wender Ramos - 17-05-2019 08:08:41

Credibilidade zero

Responder

2
0


Thiago Zago - 17-05-2019 08:08:08

estou vendo aqui a revolta da população, mas não é com os vereadores não, nenhum a seu favor...rs Desafio a mostrar o Abilio Brunini em cima do muro ou a tal da live com drone. Será que você seria capaz?

Responder

2
0


Wilson - 17-05-2019 01:17:07

UE será que o prefeito está pagando pra dizer isso ?? Acho que vocês são um vergonha na categoria de jornalismo ????‍♂️????‍♂️????‍♂️????‍♂️

Responder

3
0


Maria Alba - 16-05-2019 21:12:06

Eu acho um absurdo processar o defensor do povo Porque não põem na cadeia os ladrões que roba nosso dinheiro honesto . Porque não faz esses povo ladrão devolver todo os dinheiro que roubaram da nossa cidade área cria vergonha nessa cara e faz algo pelo povo . .

Responder

3
0


Robert Moreira - 16-05-2019 11:59:07

Muvuca deve tá tirando uma boa grana de propaganda do Paletó...

Responder

9
1


Rafael Cesar Cunha - 16-05-2019 11:58:43

Qual a credibilidade desse tal muvuca?

Responder

4
1


Tida Medeiros - 16-05-2019 11:58:01

Pq? Bom, pelo que eu entenda , estão apenas cumprindo o papel deles de forma correta. Não pode?

Responder

5
1


Rafael Cuiabano - 16-05-2019 11:57:29

Muvuca sem credibilidade... Deixando de acompanhar esse jornal eletrônico agora... Se sabemos que é mentira, então, não é um jornal que a população deve acreditar....

Responder

4
1


Ricardo Do Areao - 16-05-2019 11:56:52

Este muvuca So fala mentira

Responder

5
1


Abilio Brunini - 16-05-2019 11:56:21

Cara, nem leio mais. Muvuca é igual FakeNews. Agora só processo.

Responder

5
1


Rogerio Silva - 16-05-2019 11:55:37

Eu não votei em nem um dos dois mais eu apoio o que eles estão fazendo eles sim estão nos representando

Responder

3
1


Jose Da Costa Morais Jose - 16-05-2019 11:55:04

Muvuca! Cheio de ódio porque não ganha uma eleição kķkkk os vereadores só estão cumprindo com suas obrigações. Mas para quem não sabe pra que serve um vereador; aí fica difícil né.

Responder

4
1


Charles Fabian - 16-05-2019 11:54:24

Mais louco e ladrão que nenéu é difícil

Responder

3
0


Marluce Silva - 16-05-2019 11:53:34

Ta certinho os vereadores, quero que os vereadores vejam a veracidade de fatos que venho denunciando ao minist erio publico sobre as mazelas nos psf,vejam na midia ,agira que arrumara o jardim união e tambem me chamam de louca. Cadeia neles Abilio,eu apoio.

Responder

3
0


15 comentários

coluna popular
Enxotado da política e fugido de MT por dívidas
Ex-governador pode perder direito de dirigir
“O crime dela é ser Lulista”
Servidores reclamam do abuso de poder
Porém, a família ainda não é favorável

Últimas Notícias
20.08.2019 - 11:32
20.08.2019 - 11:18
20.08.2019 - 11:04
20.08.2019 - 10:59
20.08.2019 - 10:47




Informe Publicitário