Ex-deputado se torna réu por ‘rachadinha’ na ALMT  | MUVUCA POPULAR

Sexta-feira, 23 de Outubro de 2020

POLÍTICA Sábado, 17 de Outubro de 2020, 14h:35 | - A | + A




Irregularidade

Ex-deputado se torna réu por ‘rachadinha’ na ALMT

Decisão é da juíza Célia Vidotti


redacaomuvuca@gmail.com

 

O ex-deputado Eliene Lima se tornou réu por cobrar a chamada "rachadinha" de funcionários fantasmas que teria contratado via Assembleia Legislativa. A decisão é da juíza Célia Vidotti da Vara Especializada de Ação Civil Pública, que acatou a ação de improbidade administrativa do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT).

"Considerando que os argumentos do requerido e os documentos apresentados não são suficientes para autorizar a rejeição liminar da inicial e, existindo elementos suficientes para o prosseguimento da ação, o recebimento da petição inicial é medida que se impõe, possibilitando a instrução processual e análise acerca da existência ou não dos atos de improbidade administrativa atribuídos ao requerido", diz trecho da decisão.

Lima é investigado por supostamente ter contratado uma funcionária para a Assembleia, porém, ela realizava serviços na residência de Eliene, além de devolver parte do seu salário.

As investigações apontam que o caso teria ocorrido entre 2009 e 2011, quando Eliene exercia a função de deputado federal, e, mesmo assim, teria conseguido indicar a referida funcionária para ser contratada pelo Legislativo estadual.

Em depoimento ao Ministério Público Federal, Joyce Campos informou que já trabalhava como doméstica na residência do então deputado, e, que um de seus funcionário, teria sugerido que Joyce passasse a receber pela Assembleia.

"Que como a declarante estava precisando do emprego aceitou a proposta; Que a partir do momento que começou a trabalhar formalmente como Secretária Parlamentar na Assembleia Legislativa/MT, a declarante fazia o saque de todo o dinheiro no Banco do Brasil, retirava sua parte (cerca de R$ 1.000,00 – mil reais) e entregava o restante para o referido rapaz que trabalhava para o Deputado Eliene Lima; Que apesar de receber pela Assembleia Legislativa/MT, a Declarante permaneceu exercendo a função de doméstica na residência do então Deputado Eliene Lima por cerca de um a dois anos; Que, posteriormente, a Declarante voltou à condição formal de doméstica, inclusive com certeira assinada, deixando de receber pela Assembleia Legislativa/MT; Que posteriormente, o rapaz que trabalhava com o então Deputado Eliene Lima perguntou se a Declarante aceitava receber agora pela Câmara dos Deputados, em Brasília/DF, mas continuasse desempenhando o mesmo trabalho, qual seja, doméstica na residência de Eliene Lima….”, diz trecho do depoimento destacado na época pelo promotor Mauro Zaque.

Documentos da Assembleia apontam que Joyce Campos atuou como funcionária fantasma da AL entre abril de 2009 a setembro de 2011. O MP ainda solicita o bloqueio de bens de Eliene Lima no valor de R$ 214,4 mil, valor correspondente ao que Joyce Campos teria recebido quanto atuava como fantasma na Assembleia.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Presidente corre risco de terminar seu final na c
Escondendo o passado
Dobradinha em Brasnorte
Dívida é de 1991
Deputado é empresário em vários setores

Últimas Notícias
23.10.2020 - 01:47
23.10.2020 - 01:40
23.10.2020 - 00:00
22.10.2020 - 23:36
22.10.2020 - 20:08


Muvuca (PL)

Adevair Cabral (PTB)

Chico 2000 (PL)

Misael Galvão (PTB)

Ricardo Lobo (PL)

Aladir (PL)

Sargento Joelson (SD)

Juca do Guaraná (MDB)

Luluca Ribeiro (MDB)

Macrean

Renivaldo Nascimento

Toninho de Souza

Edna Sampaio (PT)

Robson Cireia (PT)

Ricardo Saad

Oseas Machado (MDB)

Rogério Varanda

Alex Ribeiro (PP)

Maurélio (PSDB)

Dudu Santos

Marcelo Bussiki

Vinícyus Clovito

Diego Guimarães

Mário Nadaf

Marcos Veloso

Gisele Almeida

Orival do Farmácia

Wilson Kero-Kero

Dr. Xavier

Justino Malheiros

Zidiel Coutinho

Sargento Vidal

Dídimo Vovô

Clebinho Borges

Júlio da Power

Jamilson Moura

Emídio de Souza (PSL)

Adalberto Cavalcanti

Ricardinho

Kako do CPA

Dilemário Alencar

Max Campos (PSB)

Cezinha Nascimento

Edienes Hadassa

Dr Luiz Fernando

PF Rafael Ranalli

Gabriel Henrique

Itamar Jefferson (PL)

Cristiano Paraqueda

Sebastião Moraes

Daniel

Justino Campos

Rafael "Faré"

Darley Gonçalves

Osmar Rodrigues "Chefinho"

Elenir Pereira

Prof.instrutor Joaquim Neto

Diogo Fernandes

Ade Silva

Sargento Ozeni

Dito Paulo

Paulo Macedo

Luiz BA

Professor Frankes

Paulo da VGDI

Valdemir MM

Weto Salgado

Dr. Daúde

Bob Medina

Wagner Vinícius

Luis Carlos

Carlos Henrique do Correio

Adv Cris

Elenir Pereira

Zé Carlos

Luis Cláudio

Huelton Souza

Rosenil Luiz (Canelinha de pacu) (PL)

Sargento Ozeni

Luiz Poção (PL)

Edilson Odilon (PL)

Paulinho CPA

Germânio Araújo

Chico do Leblon

Delegado Garcia

Renato Anselmo

Cleber Adôrno

Doidinhoducorte

Neno do Pascoal Ramos

Prof. Jorginho

Itamar Carvalho

Sidney de Souza

Marquinhos Carioca

Renato Anselmo

Pablo Queiroz

Pastor Jeferson

Paulo do Carmo

Vinícius Pardi

Aroldo Telles

Marcus Brito Jr.

Elzio Xaulin

Ledevino Conceição

Elias Santos

Edmilson Carmo

Gato Louco

Nilda Tosca



Informe Publicitário