Governador e ex-juíza são denunciados pelo Ministério Público Federal | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2019

POLÍTICA Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019, 05h:53 | - A | + A




1 a 5 anos de cadeia

Governador e ex-juíza são denunciados pelo Ministério Público Federal

Mauro Mendes responderá por crime de falsidade ideológica no caso de um leilão de apartamento

 Foto: reprodução 

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e a ex-juíza trabalhista Carla Reita Faria Leal foram denunciados criminalmente pelo Ministério Público Federal e viraram réus por falsidade ideológica no caso do leilão de um apartamento de luxo arrematado pelo político e, posteriormente, transferido para a ex-juíza. A informação é do portal Isso É Notícia.

O caso, revelado pelo site, já resultou na aposentadoria compulsória da ex-magistrada e uma ação de improbidade administrativa onde ambos também são réus.

A ação penal, proposta no dia 6 de agosto, foi recebida no dia 13 do mesmo mês pelo juiz Paulo César Alves Sodré, da 7ª Vara da Justiça Federal de Cuiabá.

Na ação, a procuradora da República, Ariella Barbosa Lima, diz que a Mauro Mendes arrematou um apartamento de luxo na Praça Popular, região nobre de Cuiabá, pelo valor de R$ 300 mil e, pouco tempo depois, o repassou à Carla Reita pelo valor de R$ 330 mil, conforme lavra registrada em cartório.

Para o MPF, tudo não passou de uma simulação para contornar a vedação legal que a magistrada teria para arrematar o imóvel, já que era funcionária do TRT e também tinha atuado no processo de execução.

Para justificar a transação, Mauro e Carla deram uma versão à Justiça de que Mauro teria pego os R$ 300 mil emprestados com a juíza e que o apartamento seria o pagamento pelo empréstimo.

No entanto, eles não conseguiram comprovar o empréstimo que pode ter sido inventado para dar ares de legalidade à transação.

O MPF também pediu à Justiça Federal que decretasse a prescrição do crime de fraude em lelilão judicial. O pedido foi aceito pelo juiz Paulo Sodré.

Carla reita Faria Leal

Juíza foi aposentada compulsoriamente pelo TRT-MT

Empréstimo falso

Um dado utilizado pelo Ministério Público para embasar a denúncia foi o fato de que Mauro Mendes alegou ao TRT e ao MPF que o repasse do apartamento à Carla era um pagamento de um empréstimo que ele teria feito com a ex-juíza no valor de R$ 300 mil.

Mas, no mesmo período, a Polícia Federal descobriu que Mauro tinha R$ 3.523.459,08 em sua conta corrente, fato que reforça a tese de que o empréstimo foi, na verdade, inventado.

"Verifica-se, assim, que, em verdade, não houve qualquer empréstimo/mútuo entre os acusados, que se valeram de informações inverídicas perante os membros da comissão do TRT-PADMag nº 0050015-21.20147.5.23.000 e a Receita Federal do Brasil, com o intuito de dar aparência à exceção legal do artigo 498 do Código Civil", diz a denúncia do MPF.

Se condenados, Mauro e Carla podem pegar de um a cinco anos de cadeia, pena máxima prevista para o crime de falsidade ideológica (artigo 299 do Código Penal).
Outro lado

A assessoria do governador não quis falar do assunto. A ex-juíza Carla Reita se manifestou sobre a denúncia e, por meio de seu advogado, enviou a seguinte nota:

1- O imóvel foi adquirido a partir de transação comercial válida, devidamente registrada no cartório de imóveis e declarada no imposto de renda.

2- Não houve a falsificação ideologia de qualquer documento.

3- Confia na Justiça Federal e tem a absoluta certeza de que a demanda do MPF será julgada improcedente.

Carla Reita Faria Leal

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes - 18-11-2019 07:44:57

Ih! Não vai acontecer absolutamente NADA, nadinha. Não é como o caso do tio Lula, onde os delatores premiados (diversos) contaram estórias, dizendo: Era propina mesmo. Odebrecht, JBS, tio Palocci...abriram o bico. Tio Palocci narrou com detalhes como passaram a mão na propina dos Fundos, dos Aviões, do Pre-Sal...como a Campanha 2010 de tia Dilma foi financiada com dinheiro da Odebrecht, em troca de favores pouco republicanos...e a campanha 2014 foi financiada com dinheiro da JBS. Foi ele que disse isso...na dúvida, coloca um DETECTOR DE MENTIRAS nele, e manda repetir toda a estória. DETECTOR DE MENTIRAS é o dedo duro tecnológico, que não vê cara, não vê posição, não distingue o Zé do Dr. José. Tô esperando aparecer um deputado federal ou senador CORAJOSO, pra mudar a Lei, mudar até a Constituição, e instituir o uso obrigatório do DETECTOR DE MENTIRAS, em todos os depoimentos em delações premiadas, CPI's, etc. Faz a pergunta pro cara, se ele não responder...é considerado como SIM, porque quem cala consente. Primeira pergunta: Vossa Excelência já pediu, recebeu PROPINA? Segundo o Datena, essa Lei, que sugiro, jamais será aprovada...porque político nunca vai fazer Lei onde eles mesmos poderão ser pegos, um dia... Ou vão fazer?

Responder

12
2


jose a silva - 18-11-2019 06:15:01

Essa descarada dessa ex juiza ainda tem a petulância de vir dizer asneiras? Se fosse lícita a operação não teria sido aposentada, outra sem sem-vergonhice dessa justiça! Agora o povo de MT começará a conhecer quem é seu suposto governador: um simples e mero criminoso! Serão praticamente 20 anos de governos pilantras dirigindo esse estado: Blairo, Silval, Taques e Mendes! Aliás, essa amizade colorida de MM, a juiza é por conta do marido dela, O tal Paschoal Santullo, que foi secretário de Mendes na prefeitura de Cuiabá! Então aí tem mais coisa feia.

Responder

14
4


2 comentários

coluna popular
Dr João ressalta importância da cultura do estado
Vereador não sabe diferenciar poderes
Expediente irá funcionar normalmente
Pela segunda vez
Prefeitura de VG

Últimas Notícias
11.12.2019 - 18:47
11.12.2019 - 18:19
11.12.2019 - 17:46
11.12.2019 - 17:24
11.12.2019 - 16:40




Informe Publicitário