"Guru" da oposição em Cuiabá é condenado a ressarcir R$ 6 milhões por improbidade | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019

POLÍTICA Quinta-feira, 25 de Abril de 2019, 04h:07 | - A | + A




Sem dinheiro nem moral

"Guru" da oposição em Cuiabá é condenado a ressarcir R$ 6 milhões por improbidade

Wilson Santos que "arma" o time de opositores a Emanuel Pinheiro sofre mais uma derrota na justiça


Muvuca Popular

 

O 'líder-guru' dos vereadores oposicionistas de Cuiabá, deputado Wilson Santos (PSDB), deverá se preocupar mais em pagar sua condenação do que em investir em algum candidato para a prefeitura de Cuiabá, já que ele mesmo não poderá ser. Isso porque o juiz Bruno D’Oliveira Marques, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Popular, manteve a decisão de condenar o parlamentar a ressarcir os cofres públicos o valor de R$ 6 milhões, referente a atos de improbidade administrativa da época em que o tucano foi prefeito de Cuiabá.

A decisão que condenou Wilson Santos atendeu a uma ação movida pelo Ministério Público Estadual (MPE). Wilson também teve seus direitos políticos suspensos pelo prazo de seis anos e está proibido de contratar com o poder público ou receber benefício/incentivo fiscal por cinco anos.

Wilson vem fazendo reuniões periódicas para definir entre os vereadores Abílio Jr., Diego Guimarães, Dilemário Alencar, Marcelo Bussiki e Felipe Wellaton, quem irá enfrentar a disputa pela prefeitura no ano que vem, mesmo sendo acusado de firmar parcerias misteriosas e sem licitação quando esteve como prefeito, quando chegou a vender até rua da cidade, cometendo diversos atos ilícitos, que ainda estão sendo investigados.

O juiz Bruno D’Oliveira considerou o recurso da defesa de Wilson inadequado para o caso específico das parcerias ilegais. “De rigor, o não acolhimento dos presentes embargos de declaração é medida que deve se impor. O Código de Processo Civil prevê que: Cabem embargos de declaração contra qualquer decisão judicial para: I - esclarecer obscuridade ou eliminar contradição; II - suprir omissão de ponto ou questão sobre o qual devia se pronunciar o juiz de ofício ou a requerimento; III - corrigir erro material”, disse o magistrado.

“Além disso, as demais teses, suscitadas para o efeito de pré-questionamento, foram apreciadas pelo Juízo tanto por ocasião da decisão saneadora, quanto da sentença embargada. Diante do exposto, CONHEÇO dos presentes embargos opostos por Wilson Pereira dos Santos em face da decisão de fls.1.601/1.602 e, no MÉRITO, NEGO-LHE provimento”, concluiu o juiz.

Na ação, o MPE alegou que Wilson e o então secretário municipal de Meio Ambiente Levi Pires de Andrade firmaram os termos de parcerias e, a título de pagamento, os parceiros se obrigavam a doar determinado valor, bens ou serviços em troca do uso de lugar público, por prazo previamente determinado.

Conforme o órgão, os valores recebidos não foram contabilizados, ou seja “não consta em seus registros o ingresso nos cofres públicos, tampouco a destinação”.

Outro lado

Por meio de sua assessoria de imprensa, o deputado Wilson Santos afirmou que respeita a decisão do magistrado, mas ainda irá recorrer. Disse ainda ter "plena convicção de que vai comprovar nos autos do processo que não houve dolo".

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(8) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Olavo - 25-04-2019 15:50:05

tem que sair nas ruas de cuiabá e peidr o impechemant esse PINÓQUIO, ele arrebentou a prefeitura de cuiabá, e depois foi viajar para o STATES... tenho vergonha, como a população elege um cara desses...já dizia o filosofo, cada um tem o governo que merece..

Responder

0
0


Rouboanel - 25-04-2019 10:22:09

Esses vereadores prantcharam a cara no chão agora!!!! Antes de cobrar moralidade de alguém deveriam cobrar q o líder deles devolva o dinheiro roubado!!!

Responder

1
1


José - 25-04-2019 09:33:20

QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Responder

5
0


Ricardo - 25-04-2019 09:10:19

Devolve o dinheiro sem noção poderíamos sair as ruas e pedir para esses larápios devolver todo o dinheiro que tirou de nós

Responder

4
0


Jessica - 25-04-2019 09:09:09

Esse eu nem sei como ainda ganhou para deputado, é uma vergonha sempre envolvido em alguma corrupção

Responder

3
0


Gabriel - 25-04-2019 09:08:19

Junto com a Selma, outro esta caindo

Responder

3
0


Rodrigo - 25-04-2019 08:59:20

É no Final das contas ninguém honesto entra política

Responder

3
0


Zaiome - 25-04-2019 08:57:23

O que? não acredito

Responder

2
0


8 comentários