Investigador acusa presidente de desviar R$650 mil de Associação  | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

POLÍTICA Quarta-feira, 09 de Outubro de 2019, 11h:15 | - A | + A




Dinheiro ilegal

Investigador acusa presidente de desviar R$650 mil de Associação

Servidor teve acesso a documentos que mostram várias transações financeiras suspeitas


redacaomuvuca@gmail.com

 Edleusa Afonso de Mesquita Filgueiras | Foto: divulgação 

O investigador de polícia Jamilson Adriano de Souza, secretário do Sindicato dos Investigadores da Polícia de Mato Grosso (Sinpol-MT), denunciou que a presidente, Edleusa Afonso de Mesquita Filgueiras, e o vice, Gláucio de Abreu Castanon, receberam irregularmente recursos da instituição.

O secretário denunciou em entrevista exclusiva ao Muvuca Popular que teve acesso às irregularidades após um colega mostrar um HD com várias transações financeiras suspeitas. Inclusive, no arquivo, constava um comprovante de depósito bancário, feito em 2017, na conta da presidente no valor de R$650 mil.

“Eu protocolei junto à presidência um requerimento solicitando dela um extrato de uma transferência que foi feita para conta dela, ela transferiu R$650 mil para conta dela e R$650 para conta do vice-presidente. Esse dinheiro saiu e não voltou”, denunciou.

“Ela também fez um empréstimo milionário, que ninguém sabe o valor, quem pagou foi à categoria sem saber. Em 2018 nós pagamos R$3 milhões de dívidas deles, ou seja, R$1,5 milhões que foi e não voltou”, acrescentou.

Na época, a presidente era diretora financeira e Glaucio era apenas candidato a vice-presidente, assim não tinha vínculo com a Sinpol, a não ser sindicalizado. Nesse sentido, não existiria justificativa para receber R$2 mil reais da instituição, conforme mostra comprovante que teve acesso.  

Além disso, nesse período, Glaucio viajava em campanha e as normas do sindicado são rígidas e proíbem o uso da “máquina” sindical.

Após suspeitar das irregularidades, Jamilson solicitou abertura de procedimento administrativo em desfavor da presidente e do vice, porém passou a ser retalhado pela gestão e, sem o devido procedimento legal, requereu o seu afastamento da função de secretário, para o qual foi eleito em Assembleia Geral, em 15 de janeiro de 2018, com mandato até dezembro de 2021.

Atualmente Jamilson está lotado na 2ª Delegacia de Polícia de Cuiabá, contudo, afastado, imotivadamente de suas funções, junto ao Sindicato, tendo sido determinada a devolução do aparelho celular e computador de propriedade da Sinpol.

Outro lado

Em resposta, a assessoria do Sinpol-MT enviou uma nota de esclarecimento, alegando que as acusações feitas pelo investigador são falsas, e que uma auditora externa será realizada pelo órgão.

"O Sinpol-MT informa que já contratou auditoria externa e vai provar a lisura em suas contas. Todas as acusações feitas pelo investigador Jamilson Adriano de Souza são infundadas. Sobretudo, denúncias devem ser feitas à justiça onde cabe ao acusador às provas, como diz a lei", afirmou. 

PageFlips: Denúncia Sinpol

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários