Mandato de Selma foi marcado por forte atuação por MT e combate a corrupção  | MUVUCA POPULAR

Domingo, 23 de Fevereiro de 2020

POLÍTICA Sexta-feira, 17 de Janeiro de 2020, 18h:53 | - A | + A




Balanço

Mandato de Selma foi marcado por forte atuação por MT e combate a corrupção

Senadora comandou diretamente pautas ligadas ao combate no crime organizado


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Selma Arruda

Ex-senadora Selma Arruda (Pode) | Foto: Reprodução

A ex-senadora Selma Arruda (Pode), divulgou com exclusividade ao Muvuca Popular nesta quinta-feira (16), um levantamento de sua atuação enquanto esteve no Congresso Nacional. Apesar da perda de mandato, a juíza atuou fortemente em prol Mato Grosso no pouco tempo que esteve representando o Estado.

Dedicada ao seu trabalho, a ex-senadora trabalhou até mesmo no dia de sua cassação, onde foi a relatora de uma importante medida para o combate à corrupção. A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou, por 22 votos a favor e um contra, a proposta que reestabelece a prisão em segunda instância.

Além disso, a juíza ganhou destaque pelos números de Projetos de Lei (PL) que conseguiu implementar durante seu mandato, e, principalmente, pela luta que travou em defesa das mulheres, onde conseguiu emitir um parecer favorável ao projeto que veda a nomeação, para cargo público, de condenados por crime de violência contra a mulher.

Responsável por 63 relatorias de projetos, 10 requerimentos, 9 comissões e 7 projetos de lei, Selma deixa seu cargo com um currículo de dar inveja.

Dentre eles, estão os mais conhecidos: o que fixa o prazo de regularização de propriedades, que prevê a inserção das quilometragens percorridas pelos veículos no documento de licenciamento, a alteração do Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para estabelecer a prestação de contas da entidade ao Tribunal de Contas da União, entre outras.

Veja na íntegra:

PENAS MAIS SEVERAS

Foi relatora da proposta que aumenta o tempo máximo de cumprimento de penas privativas de liberdade de 30 para 40 anos. PL 634/2019

FIM DO AUXÍLIO RECLUSÃO

Relatou a proposta que extingue o auxílio reclusão. PEC 3/2019

PRISÃO EM SEGUNDA INTÂNCIA

Senadora Juíza Selma foi relatora das propostas sobre a prisão após a condenação em segunda instância. PEC 5/2019 e PL 166/2018.

MEDIAÇÃO DE CONFLITOS

O projeto sob relatoria da senadora Juíza Selma que prevê a utilização do recurso da mediação na solução de conflitos ligados à alienação parental foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça. PLS 144/2017

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(5) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

maria QUÁ QUÁ QUÁ - 18-01-2020 14:08:00

KKKKKK....¨combatia¨...a corrupção ...e foi engolida por ela....quem? ...a CORRUPÇÃO !!!...kkkkkkk....ela , a Joyce,o Bozó,o Moro,o Queiróz a Carla Zambelli ,ré confessa....kkkkkkk...todos iam combater a velhota...de dentes podres...caricata ...fogosa ...trepadeira..a a a ...corrupção...kkkkkk...mas isso ,antes de pagar as chaves do cofre....kkkkkk....depois ,andam de braços dados ...dormem, trepam e acordam com a velhota fogosa...kkkkkk..uns usam até viagra ...para satisfazer a libido da velhinha....kkkkkk...todos tragados por ela...kkkkk...por isso odeio tanto os politicos da DIREITA ...arre como odeio esta corja de desajustados...KKKKKKKK

Responder

4
2


Ana Rosa - 18-01-2020 13:19:43

mas ela foi corrupta na eleição, usando meios que a lei condena e que cassou o mandato. Descepção!

Responder

4
1


Olavo - 18-01-2020 12:30:34

Para! fez caixa 2, se ferrou sabia o que estava fazendo, como juíza não é inocente... Não é uma leiga em leis, o próprio relator disse que fosse a juíza julgando a própria missa ela se condenaria...

Responder

6
1


Tavarez - 18-01-2020 11:00:56

Muvuca, toma vergonha e para de dar espaço para essa corrupta

Responder

7
1


Carlos Nunes - 18-01-2020 08:22:11

Ih! A cassação da Juíza SELMA já entrou pra história política do país como a mais inusitada. Que abre campo pra uma grande discussão: afinal de contas, um cidadão brasileiro só é candidato a alguma cargo (de vereador a presidente) DEPOIS que passa pela Convenção de um Partido Político e em seguida registra sua candidatura num TRE...e ANTES disso, não é simplesmente um mero eleitor? No Processo de Cassação são apresentados fatos quando a Juíza não era candidata a nada...era uma simples eleitora. Pode acontecer isso? Seria a mesma coisa que pegar todas as pessoas que disseram que possivelmente serão candidatos a Prefeito de Cuiabá, onde as Convenções Partidárias acontecerão em Agosto/2020, e começassem a relacionar fatos que acontecerão no período de Janeiro a Julho/2020...ANTES da Convenção e do registro da candidatura. O certo, o correto, seria analisar somente o que acontecerá do dia em que registrar a candidatura no TRE até a contagem final dos votos, que lhe dará a vitória ou a derrota na eleição. O exemplo maior é que tio EP, atual prefeito da cidade, vai continuar utilizando a máquina pública municipal, o marketing político como prefeito, etc. etc,...e provavelmente será candidato à Reeleição. A Convenção que o escolherá como candidato acontecerá em Agosto/2020...enquanto ele não passar nessa Convenção, e registrar sua candidatura, não é candidato a Reeleição nenhuma. Portanto pode continuar usando a máquina pública municipal e utilizando o marketing político. Nada o impede disso. Tem que separar a fase em que a pessoa não é candidata, da data em que se torna candidata. Se a pessoa não é candidata, é um mero eleitor. Não fizeram essa divisão com a Juíza SELMA...trataram como se ela já fosse candidata, mesmo não tendo havido a Convenção e o registro da candidatura. A não ser que Convenção Partidária e registro da candidatura não valha mais bulhufas alguma.

Responder

4
3


5 comentários

coluna popular
Aliança pelo Brasil não conseguiu adeptos
Mobilização em Cuiabá
Veja trecho da decisão
Sintonia com a Casa de Leis
Biometria é obrigatória por lei

Últimas Notícias
23.02.2020 - 09:02
23.02.2020 - 08:45
23.02.2020 - 08:22
23.02.2020 - 07:55
23.02.2020 - 06:04




Informe Publicitário