Para agradar latifundiários, deputados pretendem facilitar desmatamento em MT  | MUVUCA POPULAR

Domingo, 25 de Agosto de 2019

POLÍTICA Quinta-feira, 15 de Agosto de 2019, 19h:15 | - A | + A




Bloco governista

Para agradar latifundiários, deputados pretendem facilitar desmatamento em MT

Parlamentares apresentaram Projeto Substitutivo que visa ampliar área de desmatamento no Estado


redacaomuvuca@gmail.com

Madeira desmatada I Foto: Reprodução

Com o intuito de agradar os grandes latifundiários de Mato Grosso e fortalecer suas alianças com o agronegócio, deputados da Assembleia Legislativa (ALMT), apresentaram um Projeto Substitutivo que visa ampliar as áreas de desmatamento no Estado. Além disso, os parlamentares utilizaram de uma artimanha desonesta na tentativa de aprovar tal medida.

No Projeto Substitutivo incluiu no texto original, uma proposta já rejeitada no PLC nº 41/2019, votado na sessão plenária, desta terça-feira (13), que permitia a exploração de até 50,5 mil metros cúbicos (m³) de madeira. O Substitutivo é referente ao Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 48/2019, que foi apresentado pelas lideranças da Casa de Leis e dispõe sobre a Política Florestal do Estado.

Essa foi a artimanha encontrada para que os deputados conseguissem aprovar tal proposta, modificar apenas a extensão do volume de toras e ao invés de 50 mil metros cúbicos (m³) por ano, reduzir para 49.500 m³/ano.

Compare o texto do substitutivo com o do projeto derrotado:

“Art. 47 A pessoa, física ou jurídica, que por sua natureza tenha o consumo superior a 24.000 st/ano (vinte e quatro mil metros estéreos por ano), ou 8.000 mdc/ano (oito mil metros de carvão vegetal por ano), ou 49.500m³/ano (quarenta e nove mil e quinhentos metros cúbicos de toras por ano), fica obrigada a manter ou formar, diretamente ou em participação com terceiros, florestas destinadas à assegurar a sustentabilidade de sua atividade por meio de Plano de Suprimento Sustentável – PSS” 

PLC 41 - “Art. 47 A pessoa, física ou jurídica, que por sua natureza tenha o consumo superior a 24.000 st/ano (vinte e quatro mil metros estéreos por ano), ou 8.000 mdc/ano (oito mil metros de carvão vegetal por ano), ou 50.500m³/ano (quarenta e nove mil e quinhentos metros cúbicos de toras por ano), fica obrigada a manter ou formar, diretamente ou em participação com terceiros, florestas destinadas à assegurar a sustentabilidade de sua atividade por meio de Plano de Suprimento Sustentável – PSS” 

Desmatamento 

Recentemente, foi divulgado que Mato Grosso teve a maior taxa de desmatamento nos últimos 10 anos e, que conforme o Instituto Centro de Vida (ICV), 85% das derrubadas de florestas realizadas no Estado foram feitas de forma ilegal.

A organização não-governamental Instituto Centro de Vida (ICV) estima se “perdeu quase uma Cuiabá inteira” para o desmatamento em 2018. Somente entre agosto de 2017 e julho de 2018, 1.749 km² de floresta foram derrubados – ou 174 mil hectares.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(10) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Darciano - 16-08-2019 09:23:52

o Povo Matogrocense, tem que parar de Votar em Empresários mas o povo é muito leigo para ter essa consciência

Responder

5
0


Michel - 16-08-2019 09:22:45

Não quero mais estar fazendo parte da terra , quando a Mãe natureza resolver cobrar tudo isso

Responder

3
0


Lazaro - 16-08-2019 09:21:56

E quando foi difícil?

Responder

1
0


Clara - 16-08-2019 09:21:03

Derrubar o que mais em Mato Grosso?? QUI era MATO e mais mato, não tem mais nada, não perceberam isso? vai ficar mais calor

Responder

4
0


Geane - 16-08-2019 09:20:01

Está nas mãos dos deputados, cuidado em, melhor não aprovar, pois estamos de olho

Responder

2
0


Clóves - 16-08-2019 09:13:40

Eu discordo precisa é ser recuperado o que foi desmatado quando o ser humano vai ter consciência que precisamos preservar e não acabar?

Responder

3
0


CAMILO - 16-08-2019 09:00:04

PESSOAL BOICOTE, NAO COMPRE NENHUM MOVEL OU QUALQUER COISA QUE SEJE DE MADEIRA!

Responder

0
0


Eliene Ribeiro Prata - 16-08-2019 08:59:26

E quem sofre com isso é o povo que paga seus impostos... Cada ano que passa o Estado tem sofrido com o desmatanento e o clima e a umidade relativa do ar tem demonstrado mudanças que tem prejudicado a qualidade de vida da população e a imprudência com o meio ambiente... Chega de acabar com a NATUREZA EM BENEFÍCIOS DE ALGUNS , QUE VISAM APENAS OS SEUS BENEFÍCIOS

Responder

2
0


Marisa - 16-08-2019 08:58:30

Como dizem quer conhecer uma pessoa dê poder a ela

Responder

2
0


Talisia - 15-08-2019 21:08:16

A REALIDADE É UMA SÓ SENHOR GOVERNADOR MAURO MENDES, A FLORESTA DO ESTADO DE MATO-GROSSO VEM SOFRENDO BASTANTE COM O DESMATAMENTO ILEGAL A MUITO TEMPO. A BUSCA INCESSANTE PELO LUCRO A CORRUPÇÃO E O COMODISMO DAS NOSSAS AUTORIDADES SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS DESTE TRÁGICO PROBLEMA, E TAMBÉM A PORTA DO ESTADO ESTÁ ABERTA ( SEM FISCALIZAÇÃO ) PARA O TRANSPORTE DE MADEIRAS COMO A CASTANHEIRA (PROIBIDA DE CORTE) E TANTAS OUTRAS, E AINDA MAIS A FISCALIZAÇÃO DE MADEIRAS SEMPRE INCOMODOU E INCOMODA A MAIORIA DOS DEPUTADOS E AQUELAS MADEIREIRAS QUE QUEREM ANDAR NA ILEGALIDADE, AVANTE MPE, MPF E JUVAM, A FLORESTA NÃO É SÓ PARA A PRESENTE GERAÇÃO MAIS TAMBÉM PARA AS FUTURAS GERAÇÕES.

Responder

6
0


10 comentários