“PEC da Câmara sobre prisão em segunda instância é inviável”, diz Juíza Selma | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020

POLÍTICA Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019, 14h:55 | - A | + A




PL na Câmara

“PEC da Câmara sobre prisão em segunda instância é inviável”, diz Juíza Selma

Relatora afirma que projeto do Senado é ‘sucinto’ e ‘fácil de passar’


redacaomuvuca@gmail.com

 

WhatsApp Image 2019-12-06 at 11.26.54.jpeg

 Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADAO

A relatora do projeto que prevê a prisão após condenação em segunda instância no Senado, Selma Arruda (Podemos-MT), afirmou que o texto é a única proposta no Congresso com possibilidade de aprovação e alcance. Para ela, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) em discussão na Câmara, por outro lado, foi estrategicamente formulada para atrair resistência política e enterrar o assunto.

“Não vejo dessa forma. Essa regra foi uma imposição de pessoas que não votariam a favor do projeto. Não conseguiremos aprovar se não for dessa forma”, afirma Juíza Selma.

A PEC da Câmara altera trechos da Constituição Federal, enquanto que o projeto de lei mexe no Código de Processo Penal. Ao Estadão/Broadcast, o presidente da comissão especial da segunda instância na Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), classificou o projeto no Senado como uma “gambiarra”.

Abaixo, os principais trechos da entrevista da senadora ao Estadão

Por que o projeto do Senado é melhor que o da Câmara?

O projeto não ofende a Constituição porque não muda regras da presunção de inocência. Ele apenas dá efeito suspensivo ou não para recursos. É um projeto sucinto, fácil de passar. O conteúdo da PEC (da Câmara) é muito mais abrangente, então vejo com temor porque me parece que a intenção é não aprovar nada.

Ampliando a abrangência, a PEC da Câmara é uma estratégia para não ser aprovada?

Com certeza. Ela vai atrair óbice de todo lado. Imagina no direito bancário, no direito tributário, nos precatórios. Há uma série de interesses que vão ser mexidos e que, definitivamente, vão inviabilizar a aprovação. Por isso, fazemos questão de não deixar morrer o projeto de lei porque é a nossa garantia de que alguma coisa vai ser feita em relação a esse assunto. O deputado Marcelo Ramos afirmou que o projeto do Senado não vai prender ninguém porque aceita recurso não protelatório. Ele falou em “gambiarra”. Não vejo dessa forma. Essa regra foi uma imposição de pessoas que não votariam a favor do projeto. Não conseguiremos aprovar se não for dessa forma. A PEC da Câmara está correta. O problema é a viabilidade de aprovação. Eu diria que quem não quer que alguma coisa seja feita é que está defendendo essa PEC.

O projeto alcança condenações anteriores?

Sim. Sendo regra processual, retroage mesmo que ela vá prejudicar algum ou outro réu. Cada juiz decide o seu caso. O normal é o Ministério Público pedir a prisão.

Como a senhora vê o movimento de aguardar a Câmara aprovar uma proposta para só então pautar no Senado?

Não sou do mundo político. Para mim, isso não é política. Tem outro nome. Estão querendo fazer até sessão do Congresso semana que vem para evitar a votação na CCJ. É estratégia de pessoas que simplesmente não pensam no que é bom para a nação.

Diante disso, a estratégia é marcar a CCJ em horário alternativo para votar o projeto?

Estamos muito afinados com a presidente da CCJ, Simone Tebet. Ela tem consciência de que é necessário colocar isso em votação e não vai ser postergado até ad eternum. Uma hora vai ter que acontecer. Vamos ter uma estratégia que possibilite a votação na semana que vem.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Israel Santos - 07-12-2019 23:24:33

Teriam é que aproveitar a onda e criminalizar o CAIXA 2. Está no pacote anti-crime do Sergio Mouro.

Responder

0
0


1 comentários

coluna popular
Chapa matrimonial
Marketing
Eleições municipais
Senado
Coronavírus

Últimas Notícias
22.09.2020 - 22:49
22.09.2020 - 21:15
22.09.2020 - 20:43
22.09.2020 - 19:42
22.09.2020 - 19:00


Muvuca (PL)

Adevair Cabral (PTB)

Chico 2000 (PL)

Misael Galvão (PTB)

Ricardo Lobo (PL)

Aladir (PL)

Sargento Joelson (SD)

Juca do Guaraná (MDB)

Luluca Ribeiro (MDB)

Macrean

Ralf Leite (MDB)

Renivaldo Nascimento

Toninho de Souza

Edna Sampaio (PT)

Robson Cireia (PT)

Ricardo Saad

Oseas Machado (MDB)

Rogério Varanda

Alex Ribeiro (PP)

Maurélio (PSDB)

Dudu Santos

Marcelo Bussiki

Vinícyus Clovito

Diego Guimarães

Mário Nadaf

Marcos Veloso

Gisele Almeida

Orival do Farmácia

Wilson Kero-Kero

Dr. Xavier

Justino Malheiros

Zidiel Coutinho

Sargento Vidal

Dídimo Vovô

Clebinho Borges

Júlio da Power

Jamilson Moura

Emídio de Souza (PSL)

Adalberto Cavalcanti

Ricardinho

Kako do CPA

Dilemário Alencar

Max Campos (PSB)

Cezinha Nascimento

Edienes Hadassa

Dr Luiz Fernando

PF Rafael Ranalli

Gabriel Henrique

Itamar Jefferson (PL)

Cristiano Paraqueda

Sebastião Moraes

Daniel

Justino Campos

Rafael "Faré"

Darley Gonçalves

Osmar Rodrigues "Chefinho"

Elenir Pereira

Prof.instrutor Joaquim Neto

Diogo Fernandes

Ade Silva

Sargento Ozeni

Dito Paulo

Paulo Macedo

Luiz BA

Professor Frankes

Paulo da VGDI

Valdemir MM

Weto Salgado

Dr. Daúde

Bob Medina

Wagner Vinícius

Luis Carlos

Carlos Henrique do Correio

Adv Cris

Elenir Pereira

Zé Carlos

Luis Cláudio

Huelton Souza

Rosenil Luiz (Canelinha de pacu) (PL)

Sargento Ozeni

Luiz Poção (PL)

Edilson Odilon (PL)

Paulinho CPA

Germânio Araújo

Chico do Leblon

Delegado Garcia

Renato Anselmo

Cleber Adôrno

Doidinhoducorte

Neno do Pascoal Ramos

Prof. Jorginho



Informe Publicitário