Político esquerdista da França vem ao Brasil para visitar Lula na prisão | MUVUCA POPULAR

Domingo, 15 de Setembro de 2019

POLÍTICA Domingo, 25 de Agosto de 2019, 12h:23 | - A | + A




Admiração

Político esquerdista da França vem ao Brasil para visitar Lula na prisão

Jean-Luc Mélechon encontrará o ex-presidente pessoalmente para prestar apoio


redacaomuvuca@gmail.com

O líder do partido França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon, declarou que deve vir ao Brasil no próximo dia 5, para visitar o ex-presidente Lula. O político francês divulgou a notícia em sua página no Facebook. "5 de setembro tenho encontro com Lula em sua prisão no Brasil em Curitiba. Recebi a confirmação de que esta visita foi aceita. Lula é hoje o caso mais famoso no mundo de lawfare, este método de instrumentalização da justiça para eliminar um adversário político".

Em sua publicação, Mélechon afirmou ter conhecimento da importância do contato com Lula, pois o preso político tem resistido a inúmeras ameaças e injustiças. “Recentemente sujeito à ameaça de ser levado para uma nova prisão onde a sua vida estaria em perigo”, ressaltou o francês.

“Desde o encarceramento de Lula, o juiz “independente” que o condenou, Sr. Moro, foi nomeado ministro da justiça do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro. Uma mídia inquisidora forneceu as provas a juízes que agiram em conluio para condenar Lula sem provas”, diz Mélenchon, citando as reportagens da Vaza Jato divulgadas pelo site The Intercept.

Candidato à presidente da França duas vezes, o francês argumentou que seu partido é parte da mobilização internacional pela libertação do ex-presidente brasileiro. “Conheço Lula desde os anos em que ele realizou suas primeiras campanhas para a presidência do Brasil. É para mim um dever político e pessoal de ir e dizer-lhe sobre o nosso apoio”.

Confira na íntegra o comunicado: 

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Olavo - 26-08-2019 00:08:44

Quer entender o engajamento do Macron com a Amazônia? Vou te explicar, resumidamente. A Europa vive, hoje, um socialismo "velado": A "social democracia". Altas cargas tributárias, muitos serviços "gratuitos" e uma montanha de subsídios, que não estatizam as propriedades, mas mantém os cidadãos absolutamente dependentes do Estado. Um destes subsídios é para a produção rural, nos países integrantes do PAC (Política Agrícola Comum), do qual a França é o maior beneficiário. São 10 BILHÕES DE EUROS, por ano, destinados a complementar a renda dos produtores rurais. Chegando, em alguns casos, a 40% do faturamento. Não são raras as propriedades onde o subsídio supera o lucro, após descontados os pesadíssimos impostos. Desde 2016, com a vitória do Brexit, a União Européia prepara-se para perder vários bilhões de Euros, em receita, devido a saída do Reino Unido. Uma das medidas, apresentada em maio de 2018, antes das eleições brasileiras, era a de CORTAR OS SUBSÍDIOS AGRÍCOLAS. Proposta que, de imediato, a França tratou como "inaceitável". Com a vitória de Bolsonaro e os novos tratados comerciais sendo rascunhados, entre Mercosul e União Européia, Macron se viu em um "mato sem cachorro". O Brasil é o maior gigante do agronegócio e, com uma política de acordos comerciais, considerando a taxa cambial, engolirá a produção francesa. É como colocar um supermercado de bairro para concorrer com o Walmart. Para "pregar a tampa do caixão", Boris Johnson venceu as eleições no Reino Unido, com a promessa de que, até 31 de Outubro, sairá definitivamente da União Européia, ainda que de forma "selvagem", e abrirá as fronteiras para além do comércio europeu. Ou seja, a França está vendo a chegada de um concorrente peso-pesado, ao mesmo tempo que teve a certeza de uma perda de receita bilionária, que fará os recursos de subsídio minguarem, exatamente quando a demanda tende a aumentar. Surge, então, um incêndio na Amazônia. Coisa absolutamente comum nesta época do ano e muito menor do que os já acontecidos em outras ocasiões. Desta vez, porém, o governo brasileiro é de direita e a esquerda, inconformada com a perda do "trono", começa a fazer o que sabe de melhor: BARULHO. Foi a OPORTUNIDADE PERFEITA para o bem maquiado presidente francês começar a demonizar a política ambiental brasileira e, assim, pedir sanções que salvarão a sua pele. No ímpeto de convencer os colegas de UE, recém "chutados" da NOSSA floresta, resolveu aumentar o tom e deu a entender "disposições bélicas" para "garantir a preservação" daquele "patrimônio da humanidade". Só esqueceu que a Alemanha já teve uma certa experiência do que acontece quando se enfia em território desconhecido e DUVIDO que, lembrando do inverno siberiano, tenha qualquer intenção de encarar o verão amazonense. Macron está tão preocupado com o meio-ambiente quanto eu estou com a final do campeonato coreano de futebol de botão. O problema do presidente pó de arroz é o DINHEIRO que vai perder, competindo de igual para igual com o Brasil. Dinheiro, aliás, que ele NÃO TEM. São as "belezas" do "Estado de Bem-Estar Social".

Responder

2
4


alexandre - 25-08-2019 14:20:14

Já não bastou o estrago nas relações, que machon fez , vão mandar um melecon, dar palanque político para Lula ? Nós não intrometendo na política da França, o que vem fazer aqui ? Plantar discórdia ?

Responder

9
3


Carlos Nunes - 25-08-2019 12:53:54

Enquanto isso...tio Palocci, que abriu o bico e contou estórias do arco da velha da Corrupção...apontou e disparou denúncias cabeludas contra o PT, tio Lula e companhia. Tio Palocci conta a estória com tantos detalhes...que a PF não tem dúvida, investiga e confirma tudo. Tem que avisar esse político esquerdista da França, que não foram o MORO, o DALLAGNOL, que prenderam tio Lula...foram os delatores premiados, um montão deles, que abriram o bico e complicaram tio Lula. A França tá desesperada, porque o Brasil. nesse acordo Mercosul-UE, vai vender a beça seus produtos, que são mais competitivos do que os franceses...são melhores e mais baratos. Produtores e trabalhadores franceses tão pressionando o tio Macron, e os políticos franceses, a rechaçar esse acordo, impedindo que produtos brasileiros entrem na Europa, pois vão perder mercado...Tio Macron e os políticos de lá vão perder milhares de votos. Serão os delatores premiados que farão a limpeza da Corrupção? Serão com certeza, pois se não abrirem o bico e contarem estórias...jamais saberemos de nada. Então, Viva os Delatores Premiados! Pra todas as pessoas que ainda farão delação premiada, a gente só pode pedir uma coisa> CONTEM TUDO! SALVEM O BRASIL! AINDA HÁ TEMPO!

Responder

8
3


3 comentários